quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Comissão aprova gratuidade de água em aviões, trens, ônibus e navios

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou nesta quarta-feira (31) o Projeto de Lei 838/11, do deputado Felipe Bornier (PHS-RJ), que obriga as empresas aéreas brasileiras a fornecer água gratuitamente aos passageiros.

A proposta foi aprovada com emenda do deputado José Carlos Araújo (PDT-BA) que estende a obrigatoriedade aos demais meios de transporte (ferroviário, rodoviário e naval), exceto em viagens urbanas.

Bornier argumenta que impor barreiras ao acesso a água potável atenta contra a dignidade da pessoa humana e, portanto, afronta um dos fundamentos da Constituição. Ele concorda com a cobrança por comida e outras bebidas, mas diz que essa prática não pode ser estendida à água.

O relator, deputado Dimas Ramalho (PPS-SP), afirma que, em algumas empresas, o passageiro só recebe água de graça se estiver passando mal. “Se precisar apenas ingerir um remédio, ganha ‘dois dedos’ de água, e os demais estão pagando por ela”, acrescenta.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

O turismo do Maranhão e as novas possibilidades

O turismo é uma instituição que congrega diversos agentes: do vendedor de coco, passando pelo taxista ao guia de turismo. Segundo estudiosos do setor, são mais de sessenta categorias unidas em prol de um segmento. Estima-se que seja a segunda maior indústria do planeta, perdendo somente para a indústria armamentista.

Mesmo com todo esse potencial, a atividade ainda não é encarada como prioridade pelo governo e pelo próprio setor da cadeia produtiva local, que muitas das vezes tem atuado de maneira dessincronizada. Assim tem sido. O Estado não se entende com o município, que também não se entende com o trade, aonde, cada um puxa para um lado, numa espécie de “samba do crioulo doido”.

É bem verdade, que como em qualquer atividade, os participantes têm interesses variados e atuam mediante ações distintas ou em sintonia, mas, “se a farinha for pouca, o meu pirão primeiro” e com isso, ficamos patinando em números pífios e equipamentos sucateados. Que digam o Aeroporto Marechal da Cunha Machado e a BR 135, única via de acesso a capital maranhense e a falta de balneabilidade das praias de São Luís, entre outras.

Mas, visando equacionar estes e outros problemas do setor, o governo Roseana, nomeou Jurandir Ferro do lago Filho, como novo Secretário de Turismo do Maranhão. Jura Filho, como é conhecido, traz consigo uma folha corrida de serviços prestados ao Estado, além de muita vontade de desenvolver as políticas já pensadas pelo governo, entre elas, a implementação da segunda versão do Plano Maior de Desenvolvimento do Turismo do Maranhão – O Plano Maior II, que já está concluído.

Em conversa com este Jornalista, Jura Filho falou do desafio de uma boa gestão que é alinhar as iniciativas dos diversos agentes envolvidos com o objetivo da própria governadora, com ênfase nos 400 anos de São Luís. Disse ainda, que o setor pode esperar da parte dele, muito empenho, compromisso e dedicação.

Nesse cenário, o Secretário Jura Filho, pretende atuar como maestro, cuja principal função é reger e captar meios para desenvolver um setor tão importante para economia do Estado, que é o turismo. Para tanto, é importante que o mesmo tenha no seu quando de colaboradores um corpo técnico de capacidade comprovada e que tenha atitude e compromisso com a atividade, e que acima de tudo, seja capaz de desenvolver projetos e captar recursos federais e que melhore os números do setor.

Sair correndo do hotel! Nunca mais

Nada mais desagradável que você chegar em um hotel em uma determinada hora do dia ou da noite e ter de fechar a diária, no dia seguinte, pagando por 24 horas, mesmo que você tenha usado somente 5, 10 horas de acomodações.

Mas, este problema já é findo. Pelo menos no Paraná. O projeto de lei 334/11, do deputado Fábio Camargo (PTB), que regulamenta a cobrança de diárias nos meios de hospedagem do Paraná, foi aprovada nesta terça-feira (30), em primeira discussão, por 42 parlamentares. Para se tornar lei, ainda necessita de mais duas votações em plenário, redação final e sanção do governador Beto Richa (PSDB).

A proposta de lei estabelece que as diárias em hotéis, pousadas, pensões e casas de repouso e similares passarão a vencer a cada 24 horas, comprovadamente, a partir do momento de ingresso dos hóspedes no estabelecimento. A medida também proíbe a cobrança de mais de uma diária antes que se complete o período de 24 horas de hospedagem.

Com isso, acaba aquele corre corre de ter que deixar o estabelecimento ao meio-dia, onde o hóspede, muitas das vezes tiinha que abortar compromisso ou passeios, para poder ter de fazer seu chek-out no hotel e não ter de pagar por uma diária extra.

Jura Filho assumirá a Secretaria de Turismo

O ex-deputado estadual e secretário de Estado de Projetos Especiais, Jura Filho, será efetivado no comando da Secretaria de Estado do Turismo.

Confirmado! A governadora definiu ontem (30) a ida de Jura Filho, titular da Secretaria de Estado de Projetos Especiais, para a Secretaria de Turismo, em substituição ao ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio. “Está comigo o meu secretário de Turismo, Jura Filho”, disse a governadora, em Paulino Neves, durante inauguração de um hospital no município.

Fez, inclusive, uma advertência ao auxiliar: “Vai ter que olhar com muito cuidado esta área do meu governo”.

A confirmação de Jura Filho abre vaga na Secretaria de Projetos Especiais, que deve ser ocupada pelo senador João Alberto de Souza (PMDB).

Sobre Jura Filho
Jurandir Ferro do Lago Filho, o Jura Filho, é natural de Bacabal (MA). Formado em Administração de Empresas, acumula experiências como: ex-diretor do Tribunal de Contas dos Municípios (1985 a 1990), deputado estadual por três mandatos consecutivos (1991 a 2002), gerente regional de Bacabal (1999 a 2002), vice-governador do Maranhão (2003 a 2006), presidente do Diretório Municipal do PMDB em Bacabal, onde exerceu mandato de deputado estadual, de 2007 a 31 de dezembro de 2010.

Como parlamentar, apresentou projetos importantes na Assembleia Legislativa. A maioria versa sobre a melhoria em sistemas de abastecimento de água para diversas cidades do Maranhão. As outras propostas foram para implantação de serviços públicos de telefonia em Esperantinópolis e asfaltamento da MA-275. Também é autor do projeto de lei que instituiu o dia 20 de novembro como o Dia da Consciência Negra, no Maranhão. E, ainda, do projeto de lei que torna obrigatória a disponibilização gratuita de vacina contra o vírus HPV. O vírus é o responsável por 97,7% dos casos de câncer de colo de útero.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Bumba meu boi do Maranhão é patrimônio cultural imaterial do Brasil


A manifestação mais importante da cultura popular do Maranhão, o Bumba-meu-boi, passa a ser reconhecido como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A proposta de registro do Complexo Cultural do Bumba-Meu-Boi do Maranhão como Patrimônio Cultural do Brasil foi apresentada hoje a tarde (30), na sede do Iphan, em Brasília, aos membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan, que julgaram a favor da inscrição da manifestação como Patrimônio Cultural do Brasil no Livro de Registro das Celebrações.

A governadora Roseana Sarney destacou o momento como sendo de grande orgulho, não só para quem esteve presente no momento do anúncio, como para todo o povo do Maranhão. "É bom saber que o nosso patrimônio agora será de todo o Brasil", afirmou emocionada.

A historiadora Zelinda Lima, que acompanhou de perto o processo de registro do Complexo Cultural do Bumba-meu-boi também ficou emocionada e, principalmente, surpresa com o reconhecimento: "Eu sinceramente jamais imaginei que esse dia iria chegar. Hoje é um dia de grande emoção para todos que estão aqui e para todos os maranhenses", ressaltou.

Ao fim da votação, a governadora Roseana falou sobre os planos de comemoração do título: "Vamos fazer uma festa sim para comemorar este momento e pretendemos que seja quando a comissão vier entregar o título. Queremos que a ministra, os conselheiros, principalmente, o Luís Felipe Andrés, que defendeu este voto de maneira tão dedicada, compartilhem dessa festa com a gente", finalizou.

Memória
A proposta de registro do Complexo Cultural do Bumba Meu Boi do Maranhão como Patrimônio Cultural do Brasil foi apresentada em 2008, pela Comissão Interinstitucional de Trabalho. O grupo é composto pela Superintendência do Iphan no Maranhão, Secretaria de Estado de Cultura, Fundação Municipal de Cultural, Comissão Maranhense de Folclore, Grupo de Pesquisa Religião e Cultura Popular da UFMA, representantes dos Grupos de Bumba meu boi de sotaques além de representantes e membros de grupos de bumba-boi e da comunidade.

Bumba-meu-boi
Tradição de mais de duzentos anos, o bumba-meu-boi já foi alvo de proibições da polícia no século XIX e hoje é reconhecido como a principal manifestação cultural popular do Maranhão, festejado em todas as regiões do estado, em diversos ritmos e estilos.

A brincadeira mistura lendas indígenas, dança e música, além de uma indumentária caprichada e cheia de brilho. É na temporada junina que as centenas de grupos reinam nos arraiais como principal atração da cultura maranhense.

No enredo, o peão Pai Francisco mata o boi mais bonito da fazenda onde trabalha, para satisfazer o desejo de sua esposa Catirina, que grávida, deseja comer a língua do animal, estima do fazendeiro.

A desfeita deixa o dono da fazenda furioso e um grupo de índios é chamado para fazer rituais de pajelança e ressuscitar o novilho.

Saiba mais
Patrimônio cultural imaterial (ou patrimônio cultural intangível) é uma concepção de patrimônio cultural que abrange as expressões culturais e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em respeito da sua ancestralidade, para as gerações futuras. São exemplos de patrimônio imaterial: os saberes, os modos de fazer, as formas de expressão, celebrações, as festas e danças populares, lendas, músicas, costumes e outras tradições.

Roseana confirma Jura Filho no Turismo

Do Blog do Gilberto Leda

(17h35) - A governadora Roseana Sarney (PMDB) tratou hoje o ex-deputado Jura Filho como titular da pasta de Turismo.

“Está comigo o meu secretário de Turismo, Jura Filho”, disse ela, em Paulino Neves, durante inauguração de um hospital no município.

Fez, inclusive, uma advertência ao auxiliar: “Vai ter que olhar com muito cuidado esta área do meu governo”.

A confirmação de Jura Filho abre vaga na Secretaria de Projetos Especiais.

Para lá deve ir o senador João Alberto de Souza (PMDB).

Mas esta já é uma outra história.

Bumba-meu-boi do Maranhão pode virar bem imaterial da Cultura Brasileira

Nesta terça, o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural se reúne no Iphan, em Brasília.
Maior manifestação do folclore maranhense vai virar patrimônio imaterial
A manifestação mais importante da cultura popular do Maranhão, o Bumba-meu-boi, poderá se tornar, bem imaterial da Cultura Brasileira.

Nesta terça-feira, dia 30 de agosto, o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural se reúne na nova sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, em Brasília, para avaliar o registro do Complexo Cultural do Bumba-meu-boi do Maranhão como Patrimônio Cultural do Brasil.

A proposta foi apresentada em 2008 ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan pela Comissão Interinstitucional de Trabalho, composta pela Superintendência Regional do Iphan e atual Superintendência do Iphan no Maranhão, Secretaria de Estado de Cultura, Fundação Municipal de Cultural, Comissão Maranhense de Folclore, Grupo de Pesquisa Religião e Cultura Popular da UFMA, representantes dos Grupos de Bumba-meu-boi dos Sotaques da Baixada, Matraca, Zabumba, Costa-de-mão, Orquestra e de Bois Alternativos.

O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro de bens do patrimônio cultural brasileiro é presidido pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, e formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia.

Ao todo, são 22 conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.

Serviço:

Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

Data: 30 de agosto de 2011, de 10h às 19h

Local: Sede do Iphan - Sala do Comitê Gestor

Edifício Lucio Costa

SEPS Quadra 713/913 – Bloco D – Asa Sul

Brasília – DF.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

“Maranhão na Tela” emplaca quarta edição e enriquece aniversário da cidade

Por Paulo Melo Sousa

O projeto “Maranhão na Tela” apresenta uma overdose de cinema de primeira qualidade, e oferece ainda cursos para quem deseja se iniciar ou se aperfeiçoar nessa arte. Já na sua quarta edição, o evento terá início no próximo dia 6 de setembro e se estenderá até o dia 16, tornando-se uma ótima pedida para o aniversário da cidade e para quem não irá viajar durante o feriado.

Além da exibição dos filmes, haverá espaço para a realização de oficinas, cursos, workshops e laboratórios, com a intenção de incentivar e desenvolver o cinema em São Luís. O festival acontecerá no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho (Cine Praia Grande, Teatro Praia Grande, estacionamento do Odylo, no bairro da Praia Grande) e se encontra direcionado para crianças, jovens e adultos, cineastas, videoastas, cinéfilos, produtores culturais, incluindo a população em geral. Idealizado e coordenado pela produtora Mavi Simão, o “Maranhão na Tela” se amplia a cada edição e já se inseriu no calendário cultural da cidade, preocupando-se cada vez mais em articular e desenvolver a produção audiovisual no estado.

Serão oferecidos cursos de animação, análise do filme e produção executiva, oficinas de produção cinematográfica, laboratórios de roteiro e direção, workshop de empreendedorismo cultural e individual, dentre outros. O link “Maranhão na Telinha” irá prestigiar o público infantil, enquanto que a mostra “Música para os Olhos” apresentará documentários musicais. O escritor maranhense, produtor e roteirista José Louzeiro será homenageado durante o evento, que exibirá filmes baseados em sua obra: “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia”, “Pixote” e “Quem Matou Pixote?”. Filmes recentes, produzidos entre os anos de 2010 e 2011, por sua vez, incluirão a mostra “Brasil de Ficção”.

Capacitação com resultados

Será oferecido um seminário que tratará da questão do negro no cinema, com participação da atriz global Roberta Rodrigues, que interpretou a personagem Fabíola, da novela “Insensato Coração”. Animação e distribuição cinematográfica serão temas que também comporão os debates da mostra, contando com participação de atores, diretores e produtores de cinema de todo o país. Dentre eles, destaca-se a participação do diretor Luiz Antonio Pilar, que dirigiu, dentre outros trabalhos, a mini-série “A Casa das Sete Mulheres” e “O Sítio do Pica-Pau Amarelo”. Nas edições anteriores do projeto, foram realizadas 196 sessões de mais de 300 filmes, a maioria deles inéditos, com público estimado em 20 mil pessoas, o que incentivou a formação de platéia e respalda a vitalidade do evento.

No contexto da capacitação, o Maranhão na Tela oferecerá 850 vagas gratuitas para cursos e oficinas, que também serão ministradas no Odylo Costa, filho. 60 vagas estão à disposição do público para quem estiver interessado em animação de bolso. As inscrições para esta atividade estão sendo feitas até o dia 2 de setembro no prédio do SEBRAE (praça Pedro II – Centro), das 14 às 18 horas. Os organizadores do evento direcionam seus esforços para a capacitação de jovens, disponibilizando acesso a escolas públicas e organizações de cunho social, visando ainda promover a geração de emprego e renda. Dessa forma, foram contratados alguns jovens que participaram das primeiras edições do projeto para trabalharem na organização do evento deste ano.

A formação de platéia é de suma importância para a sobrevivência das salas de cinema de arte em São Luís. Nos últimos anos, houve uma evasão de cinéfilos dos cinemas em razão de vários fatores, dentre os quais a falta de continuidade dos eventos ligados ao audiovisual, falta de apoio à produção local, precariedade de salas com o mínimo de conforto para exibição dos filmes, além de uma sofrível programação exibida, aquém da média, em vários circuitos. No encerramento do projeto, neste ano, será exibido um longa-metragem que será escolhido pelo público e ainda os curtas produzidos durante as oficinas de animação de bolso e de vídeo de baixo orçamento. Maiores informações sobre o festival podem ser obtidas pelo site: www.maranhaonatela.com.br

SERVIÇO

PROGRAMAÇÃO INICIAL DO EVENTO

06/09 – terça-feira:

CINE PRAIA GRANDE

19h - Sessão de Abertura

07/09 – quarta-feira:

CINE PRAIA GRANDE

10h MA na Telinha – Anim!Arte 1 (2010/2011, 60’) + Oficina Animação de Bolso

15h Seminário Negro no Cinema

19h Perfis – Em Quadro, a História de Quatro Negros na Tela (2009, 93’), de Luis Antônio Pilar + bate-papo com elenco e diretor

21h Brasil de Ficção – Vamos Fazer um Brinde (2010, 70’), de Sabrina Rosa e Caví Borges

TEATRO ALCIONE NAZARETH

10h30 MA na Telinha – As Aventuras de Gui e Estopa (2006, 72’), de Mariana Caltabiano

16h Workshop SEBRAE Empreendedorismo Cultural

18h30 Música para os Olhos – Elza (2010, 82’), de Izabel Jaguaribe e Ernesto Baldan

20h30 Novo Olhar – Malditos Cartunistas (2011, 93’), de Daniel Garcia e Daniel Paiva

SALA MULTIMÍDIA (ODYLO)

14h Oficina Vídeo de Baixo Orçamento – Parte 1 l Cavi Borges e Christian Caselli

18h Laboratório Direção l Luis Antonio Pilar

08/09 – quinta-feira:

CINE PRAIA GRANDE

10h MA na Telinha – Anim!Arte 2 (2010/2011, 60’) + Oficina Animação de Bolso

15h Curso Cinema de Animação

19h Perfis – A Raça Síntese de Joãozinho Trinta (2009, 62’), de Paulo Machline e Giuliano Cedroni

21h Debate Animação

23h Homenagem José Louzeiro – Pixote, a Lei do Mais Fraco (1981, 129’), de Hector Babenco

ESTACIONAMENTO PRAIA GRANDE:

19h30 Perfis – Em Quadro, a História de Quatro Negros na Tela (2009, 93’), de Luis Antônio Pilar

TEATRO ALCIONE NAZARETH

10h30 MA na Telinha – Gui e Estopa e a Natureza (2009, 52’), de Mariana Caltabiano

16h Workshop SEBRAE Empreendedorismo Cultural

18h30 Música para os Olhos – Sistema de Animação (2009, 80’), de Guilherme Ledoux e Alan Langdon

20h30 Novo Olhar – A Noite dos Chupacabras (2011, 104’), de Rodrigo Aragão

SALA MULTIMÍDIA (ODYLO)

14h Oficina Vídeo de Baixo Orçamento – Parte 1 l Cavi Borges e Christian Caselli

18h Laboratório Direção l Luis Antonio Pilar

09/09 – sexta-feira:

CINE PRAIA GRANDE

10h MA na Telinha – Brasil Animado (2011, 75’), de Mariana Caltabiano + Oficina Animação de Bolso

15 Curso Cinema de Animação

19h Perfis – Belair (2009, 80’), de Noa Bressane e Bruno Safadi

21h Debate Distribuição

23h Homenagem José Louzeiro – Quem Matou Pixote? (1996, 110’), de José Joffily

ESTACIONAMENTO PRAIA GRANDE

19h30 Música para os Olhos – Sistema de Animação (2009, 80’), de Guilherme Ledoux e Alan Langdon

TEATRO ALCIONE NAZARETH

10h30 Galera na Tela – Antes que o Mundo Acabe (2009, 100’), de Ana Luiza Azevedo

16h Workshop SEBRAE Empreendedorismo Individual

18h30 Música para os Olhos – Rock Brasileiro, História em Imagens (2010, 70’), de Bernardo Palmeiro

20h30 Novo Olhar – Estrada para Ythaca (2010, 70’), de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti

SALA MULTIMÍDIA (ODYLO)

14h Oficina Vídeo de Baixo Orçamento – Parte 1 l Cavi Borges e Christian Caselli

18h Laboratório Direção l Luis Antonio Pilar

Jura Filho poderá comandar a secretaria de Estado de Turismo


O nome do ex-deputado estadual e secretário de Estado de Assuntos Estratégicos, Jura Filho, apareceu também como um dos cotados para substituir o ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio (sem partido), na Secretaria de Estado do Turismo.

Jura iria para o lugar de Tadeu numa espécie de “recompensa” pelo período em que foi vice-governador de José Reinaldo (2002-2006). Na época, apesar das investidas da oposição, ele se manteve fiel ao grupo Sarney.

Ainda no ano passado, após a reeleição de Roseana, ele se movimentou no sentido de assumir uma pasta de peso: foi cotado para a Agricultura, Casa Civil, Indústria e Comércio, Minas e Energia e o próprio Turismo.
No entanto, um “estranhamento” dele e de seu padrinho político, senador João Alberto de Souza (PMDB), acabou lhe prejudicando nessas articulações. Foi para a Assessoria de Projetos Especiais, que tem status de secretaria mas com apenas meia dúzia de cargos e sem orçamento.

Jura Filho

Jurandir Ferro do Lago Filho, o Jura Filho, é natural de Bacabal (MA). Formado em Administração de Empresas, acumula experiências como: ex-diretor do Tribunal de Contas dos Municípios (1985 a 1990), deputado estadual por três mandatos consecutivos (1991 a 2002), gerente regional de Bacabal (1999 a 2002), vice-governador do Maranhão (2003 a 2006), presidente do Diretório Municipal do PMDB em Bacabal, onde exerceu mandato de deputado estadual, de 2007 a 31 de dezembro de 2010.

Como parlamentar, apresentou projetos importantes na Assembleia Legislativa. A maioria versa sobre a melhoria em sistemas de abastecimento de água para diversas cidades do Maranhão. As outras propostas foram para implantação de serviços públicos de telefonia em Esperantinópolis e asfaltamento da MA-275. Também é autor do projeto de lei que instituiu o dia 20 de novembro como o Dia da Consciência Negra, no Maranhão. E, ainda, do projeto de lei que torna obrigatória a disponibilização gratuita de vacina contra o vírus HPV. O vírus é o responsável por 97,7% dos casos de câncer de colo de útero.

Outros nomes

A governadora Roseana Sarney optaria por uma escolha política dentro do grupo. Há especulações em torno do nome do ex-deputado estadual Alberto Franco, a ex-secretária de estado do turismo hoje ocupando o cargo em Berreirinhas, Kátia Lima, e até o do ex-secretário da pasta no governo Jackson Lago, João Martins. Este último estaria descartado, embora com apoio do trade nacional. Também estão entre os mais cotados para assumir a Setur Maranhão: Marizinha Raposo – Pelo que se sabe, foi o primeiro nome a ser convidado, quando do retorno de Roseana Sarney ao governo, só que naquele momento ela não aceitou, alegando motivos pessoais; Nan Sousa – Presidente do São Luis Convention & Visitours Bureau, empresário do setor de hotelaria e militante de carteirinha da atividade. Defensor de um modelo de gestão compartilhada entre o poder público e o setor privado; Edilson Baldez – Empresário do setor de hotelaria e atual presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), é sempre um nome a ser lembrado. Além da ex-secretária adjunto de turismo, Professora Socorro Araújo – Coordenadora dos Cursos de Turismo e Hotelaria da UFMA, que já esteve à frente da Secretaria Municipal de Turismo e também foi secretária adjunta na gestão de Tadeu Palácio, o que lhe rendeu uma vasta experiência.

Em seu retorno de Brasília, onde cumpre agenda de compromissos de interesse do Maranhão na capital federal, a governadora Roseana Sarney deverá escolher o sucessor de Palácio e anunciá-lo até o final desta semana.

Fábrica São Luís, como é triste vê-la se acabar!


Entre 1872 e 1900, instalaram-se em São Luís, vinte e quatro estabelecimentos fabris, principalmente os têxteis e em seguida os de fósforo, cerâmica, chumbo, sabões, prego, calçados e outros mais. Estávamos nos tornando uma potência ao ponto de São Luís ser chamada naquele momento de “Manchester do Norte”.

Com o passar do tempo, as fábricas não acompanharam o desenvolvimento e acabaram entrando em processo de falência e perdemos tudo, infelizmente!.

Como exemplo dessa riqueza, temos a Fábrica São Luís, que foi comprada pela Prefeitura de São Luís no final dos anos 90 e alí se projetou uma fantástica fábrica de sonho intitulado “Fábrica Cidade da Cultura”, mas tudo isso ficou somente no papel e a fábrica está por ruir a qualquer momento.

Se o projeto tivesse sido feito, teríamos naquele local um complexo composto de:

  • Centro de convenção;
  • Anfiteatro e Uma grande área livre para shows artísticos;
  • Salas de informática;
  • Dois teatros e um Teatro de Arena,
  • Circo;
  • Escola de dança;
  • Artes visuais;
  • Tv e um estúdio de gravação digital;
  • Oficinas de cerâmica, solda, madeira, ferro e plástico;
  • Oficina de fotografia;
  • Cenografia;
  • Salas de exposição;
  • Um memorial do índio, Memorial do Tambor de Crioula e Memorial do Bloco Tradicional;
  • Uma sala para recepção/convivência, confraternizações e exposições temporárias;
  • Duas bibliotecas, sendo uma setorial, com acervo específico das áreas de Artes e Cultura Popular, com espaço para leitura individual;
  • Quatro cinemas;
  • Quatro restaurantes;
  • Sete bares/cafés;
  • 24 lojas;
  • Um elevador panorâmico.
Enfim, seria um um sonho e tanto para São Luís, pois a dimensão da fábrica é enorme.

Não entendo como um projeto desse maravilhoso não sai do papel. Isso daria um impulso para o turismo de São Luís, traria alto estima para a população e embelezamento da cidade além de se recuperar um Patrimônio Secular que não tem culpa da inoperância das autoridades.

Já que não se tem verba, deveriam buscar apoio de empresas como Vale, Alumar, Petrobras, Bancos Estatais e Privados, Governo federal através do Pac das Cidades Históricas, Ministério da Cultura e Ministério das Cidades, além de uma unidade entre Governo do Estado e Prefeitura de São Luís.

Aposto se um projeto dessa magnitude e com esse largo alcance social fosse levado a essas empresas e ao Governo Federal se não seria aprovado imediatamente.

As outras Cidades conseguem, porque não conseguimos também?

Só tem uma explicação: acomodação, incompetência, preguiça e má-fé.

Hoje nas Secretarias de Turismo, Cultura e de Patrimônio Histórico, se tem um verdadeiro batalhão de “funcionários” que ao invés de servirem a população, se "servem" com a benção dos chefes do Executivo, tanto Estadual quanto Municipal e só quem perde é a Cidade e a população que não tem culpa da famigerada inoperância.

Que nojo isso dá!

Fonte: Blog Patuscadas & Pantominas

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pela primeira vez na série histórica, volume de chegadas em aeroportos brasileiros supera a marca dos 7 milhões

O número de desembarques domésticos em aeroportos brasileiros, no mês de julho, foi o maior já registrado desde 1990. Foram 7.426.128 desembarques, 22% a mais que os 6.084.737 verificados no mesmo período do ano passado.

O resultado, novo recorde da série histórica, supera em 8,17% o recorde anterior, registrado em janeiro de 2011 (6.865.480 desembarques). “Se o ritmo de crescimento for mantido, deveremos ultrapassar os 77 milhões de desembarques ao fim de 2011, superando 2010 em 9 milhões”, garante o ministro do Turismo, Pedro Novais. De janeiro a julho, o acumulado foi de 45.364.722 chegadas, 20,97% a mais que as 37.501.222 registradas nos primeiros sete meses de 2010.

Desembarques internacionais Os desembarques internacionais também cresceram e emplacaram recorde da série histórica dos meses de julho. Foram 855.739 chegadas, 14,68% superior às 746.185 registradas no sétimo mês do ano passado. O acumulado de desembarques internacionais, em 2011, chega a 5.213.609, superando em 18,23% os 4.409.561 verificados no mesmo período de 2010.

Os desembarques nacionais e internacionais, apurados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), são um dos indicadores utilizados pelo MTur para avaliar o crescimento da atividade turística no país.

Fonte: Ascom do Mtur

O sorriso não tem sotaque

No atendimento ao nosso turista internacional é imprescindível que se tenha o conhecimento de uma segunda ou terceira língua, além daquela que se fala em casa.

No entanto, mais do que saber línguas o fator surpresa pode ser o grande diferencial. Sempre podemos fazer algo mais que não está escrito no programa, e sorrir, que é uma ação inerente de todo ser humano, é um desses diferenciais. Sorrir, sorrir, sorrir, e conseguir dar no atendimento às pessoas aquele toque amistoso que é irresistível. Seja bem vindo!

Por isso, recomendamos aos nossos alunos que sempre pensem no inusitado, aquele algo mais que podemos fazer e que, sempre, impactará nosso turista e visitante fazendo com que eles jamais esqueça essa sutileza, esse detalhe, em forma de alegria.

Diante dos grandes eventos que se prenunciam no horizonte do país, devemos nos preocupar com o que pode acontecer sem os cuidados que deverão ser tomados com a grande quantidade de pessoas que virá para cá, pois não temos histórico no receptivo de grandes multidões.

Destacamos o uso de idiomas estrangeiros, sobretudo o inglês, que o trabalhador do turismo deverá dominar para fazer-se entender, com precisão, agudeza e rapidez. Sem malabarismos verbais ou inglês macarrônico.

Reação Química - uma grande união de elementos humanos nos aguarda. Europeus, asiáticos, africanos, latinoamericanos, povos, culturas com seus conhecimentos os mais variados, os seus usos e costumes estarão aqui.

Uma grande massa variada de conceitos, modos de vida, conhecimentos, religiões, formarão uma grande e inteligente “reação química” como jamais foi vista no Mundo. A Copa do Mundo e as Olímpíadas no Brasil representam esse caldeirão cultural com seus elementos reagentes e outros nem tanto.

Mas, e há sempre um mas, nos espera um grande compromisso que ninguém sabe o tamanho: apresentar ao mundo, mostrar ao planeta que nos veio visitar o grande salto que demos em questão relacionada à hospitalidade e bem receber. Temos que dar exemplo do carinho, da gentileza, da atenção e da presteza com o outro.

Somos essa química de raças e credos que deu certo. Somos esse povo loiro, moreno, mestiço, negro, índio, que sorri. Sorri e é entendido por todo o planeta, pois o sorriso não tem sotaque.

Autor: Professor Moura Lacerda (diretor-presidente da ABL - Centro de Treinamento Avançado de Turismo - www.ableassociados.com.br/).

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Flávio Dino defende novo modelo de gestão para a EMBRATUR

Depois de abrir sua palestra na reunião do Conselho de Turismo da CNC citando o ex-presidente Juscelino Kubtitschek, ao afirmar que o Brasil pode realizar 50 anos em 5 no processo de desenvolvimento se souber aproveitar as oportunidades geradas pelos mega eventos, o presidente da EMBRATUR, Flávio Dino, defendeu um novo modelo de gestão do Instituto baseado na parceria público privada. "Já comecei inclusive conversações a respeito deste assunto e vou levar o mesmo a Casa Civil pois um novo modelo nos permitiria maior agilidade e parcerias na obtenção e aplicação de recursos", adiantou.

O dirigente também falou sobre a crise no Ministério do Turismo e defendeu a punição dos culpados. "Sou um defensor sim do turismo e não daqueles que acabaram procedendo fora da lei desviando recursos de convênios", admitiu. Em relação a capacitação da mão de obra admitiu também que o programa Bem Receber Copa precisa de ajustes de modo a ser um indutor que atinja um maior volume de pessoas no programa de qualificação.

Flavio Dino foi sabatinado por representantes do Conselho. O presidente Alexandre Sampaio, que presidia sua primeira reunião defendeu a inclusão do SENAC nos programas de qualificação, enquanto o secretário geral Eraldo Alves fez um histórico do papel do Conselho da CNC. O presidente da EMBRATUR também defendeu a criação de uma Agenda Nacional que atenda aos interesses dos principais atores da indústria do turismo. "Sempre fui favorável a uma gestão descentralizada", afirmou ele.

Depois de fazer um balanço dos números do turismo lembrou que apenas este ano estão previstos 262 eventos pela EMBRATUR e garantiu que o turismo brasileiro terá resultados recordes tanto na chegada de turistas estrangeiros como nos gastos de divisas. "Os resultados obtidos até agora demonstram isso", afirmou.

Fonte: Site Mercado e Eventos

Gasto de turistas estrangeiros atinge recorde em julho

Em julho deste ano, os turistas estrangeiros gastaram US$ 489 milhões no Brasil. O crescimento foi de 11,68% em relação ao mesmo período de 2010, quando entraram no país US$ 438 milhões, por meio de viagens internacionais.

Os dados, divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira, 23, indicam também que, de janeiro a julho de 2011, foram gastos US$ 3,859 bilhões, valor 14,48% maior que o obtido no mesmo período do ano passado (US$ 3,371 bilhões). O cálculo do Banco Central inclui trocas cambiais oficiais e gastos com cartões de crédito internacionais.

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), Flávio Dino, os números resultam da constante melhoria na qualidade dos destinos, atrações e serviços turísticos oferecidos no nosso país. “Este aumento está atrelado ao trabalho de promoção internacional desenvolvido pela EMBRATUR e demonstra que o Brasil está cada vez mais qualificado e competitivo em relação a outros destinos turísticos.”

Ainda de acordo com Dino, os números da receita mostram que a tendência é a diminuição do déficit no item turismo. "Este processo de entrada de divisas por parte do turista estrangeiro vai nos conduzir a zerar o déficit após os megaeventos.”

Fonte: Diário do turismo

Publicadas portarias com exoneração de diretora e nomeações no Turismo

Demissões ocorreram após investigações da Polícia Federal, na ''Operação Voucher''.

O Diário Oficial da União publica hoje (25) portaria assinada pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Roffmann, com a exoneração de Francisca Regina Magalhães Cavalcante do cargo de diretora do Departamento de Qualificação e Certificação e de Produção Associada ao Turismo da Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo.

A demissão ocorreu na última sexta-feira (19). Com Francisca, foram demitidos outros servidores investigados pela "Operação Voucher", da Polícia Federal, que apura o desvio de dinheiro de um convênio firmado entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi), no Amapá.

Outra portaria, assinada pelo ministro Pedro Novais, nomeia Rodrigo Silva Barreto para exercer o cargo em comissão de chefe do Gabinete da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo.

A portaria nomeia, também, Francisco de Assis Portela Milfont para exercer o cargo em comissão de coordenador-geral de Eventos do Departamento de Promoção e Marketing Nacional da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo do ministério.
 
Autor: Christina Machado/Agência Brasil

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Novais diz que Turismo cancelou R$ 35 milhões em convênios e empenhos

Duas semanas após ser alvo de denúncias por irregularidades em convênios com entidades privadas sem fins lucrativos, o Ministério do Turismo cancelou convênios e empenhos no valor de R$ 35,3 milhões. De acordo com o ministro da pasta, Pedro Novais, além do cancelamento, R$ 15,8 milhões, indevidamente pagos, foram devolvidos aos cofres públicos e o pagamento de R$ 3,7 milhões está sendo parcelado.

Após participar de audiência pública na Câmara dos Deputados na semana passada, Novais voltou ao Congresso nesta terça-feira (23) para prestar esclarecimentos na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal.

O ministro disse que, este ano, cerca de 300 processos de tomada de conta especial foram instaurados. Tais processos são usados como instrumento para ressarcimento de eventuais prejuízos causados à administração pública. “Aproximadamente um terço desses processos instaurados é referente a convênios com entidades privadas”.

De acordo com Novais, as irregularidades que estão sendo investigadas são das administrações anteriores. “As investigações estão sendo feitas pela Controladoria-Geral da União, a quem pedimos auxílio. Estão sendo feitas no próprio ministério o exame das prestações de conta. Criamos uma força-tarefa.”

No último dia 9, a Polícia Federal deflagrou a Operação Voucher, para cumprir mandados de prisão contra pessoas envolvidas em denúncias de desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares. A operação contou com a participação de 200 policiais federais. Foram expedidos 38 pedidos de prisão. Duas pessoas continuam foragidas.

A investigação sobre o esquema de corrupção de verbas do Ministério do Turismo começou em abril, depois que um levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) detectou irregularidades em contrato firmado entre o ministério e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). O valor do convênio fraudado é R$ 4,4 milhões. A PF estima que dois terços dos recursos tenham sido desviados pelo grupo.

Após as denúncias, o Ministério do Turismo suspendeu convênios com entidades privadas sem fins lucrativos, como o Ibrasi. Segundo Novais, contratos com organizações não governamentais para promoção de eventos já tinham sido suspensos em 2010. “Ano passado, houve grandes problemas com esses eventos e eles foram proibidos na LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] do ano passado. De tal forma que, este ano, nenhum convênio com entidades privadas foi feito”, disse Novais aos senadores.

Fonte: Diário do turismo

Turismo é disputado como se fosse a última "bolacha do pacote"

Apesar da Secretaria de Turismo ser uma secretária técnica, o seu dirigente devia ser alguém com formação e atuação na área ou que no mínimo tenha conhecimento da importância do turismo para economia de qualquer destino, ainda mais, se este destino é o Maranhão, com atrativos que encanta 10 entre 10 turistas que conhece ou ouviu falar dos atrativos do Estado.

Mas, na prática, o cargo de Secretário de Turismo tem sido ocupado por pessoas alheias a atividade, ou seja, no bojo da administração, o turismo é uma pasta que não tem grandes cifras, mas tem onde captar. Para tanto, o gestor tem de se cercar de técnicos competentes e que conheçam o caminho das pedras e de lá retirar os recursos para desenvolver dos simples aos grandes projetos.

Mesmo assim, apesar de ser uma pasta sem grandes recursos, a secretaria está atraindo uma infinidade de candidatos ao cargo que até ontem era ocupado por Tadeu Palácio.

Sabe-se que a romaria rumo ao Palácio dos Leões está grande na busca do cargo. Informações que chegam ao autor deste blog, dizem que a disputa pela pasta do turismo tem atraído deputados com mandato e ex-deputados sem cargo no governo e afilhados políticos, mas a disputa mesmo está entre os ex-deputados, Alberto Franco e Jura Filho, este último deixaria a Secretaria de Projetos Especiais, que não dá projeção política e o lugar de Jura Filho seria ocupado por Alberto Franco.

Procurado pelo titular deste blog, o ex-deputado Alberto Franco admitiu que não há nenhum convite para ele dirigir o turismo, mas afirmou que "se acontecer vou aceitar com maior prazer". Franco, quando deputado, foi um defensor das causas do turismo e do meio ambiente, sendo presidente da comissão que debatia e os temas na casa legislativa maranhense.

Também perguntado sobre a possibilidade de substituir Jura Filho, Franco falou que a situação ainda não está definida e que a Secretaria de Projetos Especiais não lhe interessa. Disse, ainda, que a sua entrada no governo, pode acontecer logo que a governadora, que está em viagem, retorne a São Luís, e se não for no turismo será na Secretaria de Juventude que também está sem titular. Então, é esperar e conferir.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Alberto Franco é um dos nomes cotados para assumir Secretaria Estadual de Turismo

Com a saída de Tadeu Palácio da secretaria de Turismo do Governo do Maranhão para disputar à Prefeitura de São Luís, começaram as especulações sobre o nome do novo gestor da pasta de Turismo.

O ex-deputado estadual Alberto Franco (PMDB), é um dos nomes cotados para substituir Tadeu Palácio na Setur Maranhão. Procurado pela reportagem do Blog Cazombando, Franco disse ter ficado envaidecido com a lembrança e que teria o maior prazer em dirigir a pasta, mas garantiu que não foi ainda procurado. "Tenho interesse. Mas não me procuraram ainda. Mas se quiserem, tenho vontade de fazer um bom trabalho, de assumir esse desafio”.

Franco já teve seu nome envolvido em pelo menos outras duas pastas e é o primeiro na seqüência de suplentes para retornar ao parlamento maranhense, mas até o momento não participa, pelo menos diretamente, do governo Roseana Sarney.

A indicação de Alberto Franco para o Turismo contaria com o apoio e simpatia de um dos homens fortes do governo, o secretário da Casa Civil, Luis Fernando Silva.

Outro nome forte para assumir a Setur seria o de Patrícia Sevilha, Executiva da Chias Marketing. Foi Patrícia que fez o Plano Maior de Desenvolvimento Turístico do Estado, que já está em fase de conclusão, além de ter bom trânsito no Palácio dos Leões.

Também na lista dos mais cotados para assumir o comando da pasta de Turismo estão: Marizinha Raposo – Pelo que se sabe, foi o primeiro nome a ser convidado, quando do retorno de Roseana Sarney ao governo, só que naquele momento ela não aceitou, alegando motivos pessoais; Kátia Lima – Secretária Municipal de Turismo de Barreirinhas, ex-presidente da extinta MARATUR – Empresa Maranhense de Turismo e ex-Subgerente de Turismo, consultora da CHIAS Marketing no Maranhão; Nan Sousa – Presidente do São Luis Convention & Visitours Bureau, empresário do setor de hotelaria e militante de carteirinha da atividade. Defensor de um modelo de gestão compartilhada entre o poder público e o setor privado; Edilson Baldez – Empresário do setor de hotelaria e atual presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), é sempre um nome a ser lembrado. Além da ex-secretária adjunto de turismo, Professora Socorro Araújo – Coordenadora dos Cursos de Turismo e Hotelaria da UFMA, que já esteve à frente da Secretaria Municipal de Turismo e também foi secretária adjunta na gestão de Tadeu Palácio, o que lhe rendeu uma vasta experiência.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Trade turístico maranhense repercute saída de Tadeu Palácio e já especula sobre novo nome para o turismo do Estado

O Secretário de Turismo do Maranhão, Tadeu Palácio, pediu a exoneração do cargo. Na carta entregue à Casa Civil do Governo do Estado, na qual ele justificou a saída do governo alegando motivos pessoais e por não ter mais identidade com a gestão, que preteriu o seu nome em prol do Secretário de infraestrutura, Max Barros, para concorrer a prefeitura de São Luís em 2012.

Palácio, já havia demonstrado seu descontentamento com a predileção da governadora Roseana ao nome de Max, ainda na semana passada, quando o então secretario de turismo foi a uma emissora de rádio da capital e falou que era canditatíssimo às eleições de 2012, com ou sem apoio do PMDB e do grupo que dá sustentação ao governo de Roseana

No meio turístico do Estado já repercute a notícia da saída de Tadeu do governo. Para as entidades que compõem o trade local, o afastamento do secretário demonstra a insatisfação com o rumo que a governadora pretende dar nas próximas eleições e falam com naturalidade sobre saída de um membro da equipe. Para o Presidente da Abav/MA, Guilherme Marques, a saída de Tadeu, neste momento, não é um bom negócio para a atividade, que passa por turbulência a nível nacional e Tadeu conseguia fazer um bom trabalho no Maranhão.

Já o Presidente do São Luís Convention Visitors Bureau, Nan Souza, a saída de Tadeu, mostra coerência e atitude certa, uma vez que ele já havia externado seu objetivo em concorrer a Prefeitura de São Luís e não é de agora e mostra que tem compromisso e com os apoiadores de sua campanha de retorno a administração municipal.

A saída de Tadeu palácio da SETUR/MA abre uma lacuna na administração do turismo do Estado, mas por pouco tempo. O que se sabe, é que a pasta será administrada temporariamente pelo Secretário Adjunto da pasta, Carlos Martins, que pelo que se sabe tem competência para fazer um bom trabalho, mas, não será efetivado, por motivos óbvios, Carlos não é político.

Nomes como Patrícia Sevilha, Executiva da Chias Marketing, é um nome muito forte para assumir a SETUR. Foi Patrícia que fez o Plano Maior de Desenvolvimento Turístico do Estado, que já está em fase de conclusão, além de ter bom trânsito no Palácio dos Leões.

Marizinha Raposo é um nome sempre lembrado para assumir a pasta. Pelo que se sabe, foi o primeiro nome a ser convidado, quando do retorno de Roseana Sarney ao governo, só que naquele momento ela não aceitou, alegando motivos pessoais.

Outros nomes cotados:

Kátia Lima – Secretária Municipal de Turismo de Barreirinhas, ex-presidente da extinta MARATUR – Empresa Maranhense de Turismo e ex-Subgerente de Turismo, consultora da CHIAS Marketing no Maranhão;

Nan Sousa – Presidente do São Luis Convention & Visitours Bureau, empresário do setor de hotelaria e militante de carteirinha da atividade. Defensor de um modelo de gestão compartilhada entre o poder público e o setor privado;

Edilson Baldez – Empresário do setor de hotelaria e atual presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), é sempre um nome a ser lembrado. Além da ex-secretária adjunto de turismo, Professora Socorro Araújo – Coordenadora dos Cursos de Turismo e Hotelaria da UFMA, que já esteve à frente da Secretaria Municipal de Turismo e também foi secretária adjunta na gestão de Tadeu Palácio, o que lhe rendeu uma vasta experiência. É bem verdade que outros nomes poderão surgir. Por ser um cargo político, a governadora poderá nomear alguém alheio a atividade, tal como foi com o demissionário Tadeu Palácio.

Porém, certamente a Governadora deverá consultar o trade turístico para tal decisão. O certo é que o novo ou nova secretária de turismo, deverá ser alguém capaz de conduzir a pasta com competência e acesso aos meios públicos para implementar ações que incluam o Maranhão na tão sonhada rota do turismo. Com foco no quarto centenário de São Luis, além de eventos como a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016.

Roseana tenta persuadir Tadeu a permanecer à frente da SETUR/MA

Notícias que chegam a esta redação dizem que setores do governo Roseana tentam persuadir Tadeu Palácio a permanecer na Secretaria de Turismo do Estado, mesmo desfilado do PMDB, partido do qual Tadeu pediu desfiliação hoje pela manhã. 


Segundo fontes deste blog, a governadora Roseana Sarney, para amenizar os ânimos de alguns nomes do governo e da própria cadeia do turismo que se manifestaram contra a saída de Tadeu, pedem sua permanência e, ainda, um reforço a continuidade dos trabalhos da sua atual gestão, além de tentar fazer com que Tadeu abdique de sua candidatura para a Prefeitura de São Luís no ano que vem.

O autor desse blog, já tentou ouvir Tadeu Palácio, para falar de sua saída ou não do governo, mas não teve sucesso. Sua Assessoria falou que ele está em lugar incerto e que logo falaria com a imprensa.

O secretário Tadeu Palácio pede demissão do cargo de Secretário de Turismo para concorrer à Prefeitura de São Luís

O Secretário de Turismo do Maranhão Tadeu Palácio pediu hoje sua exoneração do cargo de Secretário de Turismo do Governo do Estado, em caráter irrevogável. Procurado para falar sobre a decisão, sua assessoria falou que ele não falaria os motivos da decisão.

Nos meio políticos, fala-se que a motivação se deu pelo fato da Governadora Roseana Sarney ter externado a sua preferência pelo Secretario de Infraestrutura, Max Barros, para concorrer a Prefeitura de São Luís no ano que vem, o que gerou um descontentamento com o então Secretário Tadeu, que na última quinta-feira foi a uma emissora de rádio da capital e falou em alto e bom som, que é candidatíssimo a Prefeitura de São Luís, com ou sem apoio de Roseana e do PMDB, partido do qual também pediu desfiliação.

Neste momento, a SETUR/MA, está sob a liderança do Secretario Adjunto Carlos Martins, que assume a titularidade até que a governadora Roseana Sarney, nomeie o novo titular da pasta.

Sítios arqueológicos da Ilha de São Luís têm preservação precária

Os sítios arqueológicos da Ilha de São Luís têm preservação precária por causa do crescimento desordenado das cidades. O alerta foi dado durante o Seminário Nacional "Arqueologia e Sociedade", que foi encerrado sexta-feira, dia 19, no Auditório Central da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Já foram catalogados pelo menos 23 sítios arqueológicos na Ilha de São Luís, oito deles somente na Capital. Alguns já se estão totalmente destruídos.

As principais referências pré-históricas da Ilha de São Luís são os sambaquis, que são sítios arqueológicos formados por amontoado de conchas, restos alimentares e cultura material deixados pelas populações que habitavam a Ilha antes da chegada dos europeus no século XVII. Os registros mais antigos datam de 6.600 anos e mostram que os primeiros habitantes de São Luís eram povos pescadores-caçadores-coletores.

Pesquisa - O arqueólogo maranhense Arkley Bandeira, do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, pesquisa sambaquis no Parque Estadual do Bacanga (São Luís), em Panaquatira (São José de Ribamar) e em Paço do Lumiar. "O objetivo é a caracterização dos grupos de pescadores-coletores e caçadores do litoral do Maranhão com base na tecnologia, cultura material, subsistência e assentamento espaço-temporal dos sítios remanescentes desses povos sambaquieiros", informou.

Os estudos arqueológicos já localizaram 15 sítios de sambaquis em São Luís, cinco em São José de Ribamar e três em Paço do Lumiar. "Esses povos exploravam os recursos aquáticos disponíveis na Ilha, vivendo principalmente da pesca e coleta de mariscos. Para tanto, fabricavam instrumentos como anzóis e varas de pescar. Trata-se de adaptações dos primeiros povoadores ao ambiente em que se instalaram", explicou Arkley Bandeira.

A intervenção humana no meio ambiente é a principal responsável pela deterioração dessas formações arqueológicas. Ainda na década de 1930, o pesquisador maranhense Raimundo Lopes, ligado ao Museu Nacional (RJ), localizou o Sambaqui do Pindaí, em Paço do Lumiar. Esse é um dos sítios que se encontra totalmente destruído por ações como a construção de estradas, residências, extração de terra preta, etc. "As cidades da Ilha cresceram sem planejamento e muitos sítios arqueológicos devem ter se perdido antes mesmo de serem localizados", acredita o arqueólogo.

As informações são do Jornal O Estado do MA.

sábado, 20 de agosto de 2011

Ministro do Turismo exonera mais servidores após Operação Voucher

O ministro do Turismo, Pedro Novais, decidiu exonerar mais quatro servidores comissionados investigados pela Operação Voucher da Polícia Federal. A portaria com as exonerações será publicada na próxima semana. Perderam os cargos os funcionários Antônio dos Santos Júnior, Freda Azevedo Dias, Kátia Terezinha Patrício da Silva e Kérima Silva Carvalho.

Segundo o ministério, Novais também pediu à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a demissão da diretora de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo, Francisca Regina Magalhães Cavalcante.

A Operação Voucher investiga desvio de dinheiro de convênio firmado entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) para captação profissional de 1,9 mil pessoas no setor de turismo no Amapá. Dos R$ 4,4 milhões do contrato, a Polícia Federal estima que cerca de R$ 3 milhões foram desviados. A ação da Polícia Federal levou à prisão 38 pessoas, entre elas, o número dois do ministério, o ex-secretário executivo Frederico Silva da Costa. Costa pediu demissão do cargo na última quarta-feira (17).

Agência Brasil

Campanha para escolher as 7 Maravilhas da Natureza entra na reta final

O Comitê Local de Apoio da candidatura das Cataratas do Iguaçu apresentou na sexta-feira (19), no Centro de Recepção de Visitantes (CRV) da Itaipu, a estratégia de campanha para a reta final do concurso que vai escolher as Novas Sete Maravilhas da Natureza. O concurso se encerra em 11 de novembro de 2011 e as Cataratas do Iguaçu disputam posição com outras 27 candidaturas do mundo todo.

A novidade da nova fase da campanha é o uso do telefone celular. Os brasileiros poderão votar mandando uma mensagem pelo sistema SMS para o número 22046, com a palavra “Cataratas”. O custo é de R$ 0,31, mais impostos. Podem participar clientes de todas as operadoras de telefonia celular e não há limite para o número de votos por pessoa.

A apresentação das novas peças da campanha foi feita pelo superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, um dos coordenadores do Comitê Local de Apoio das Cataratas do Iguaçu. O diretor-geral da Itaipu Binacional, Jorge Samek, e o prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi, além de representantes do trade turístico local, participaram do lançamento.

Entre as peças da campanha, está um vídeo de três minutos mostrando um sobrevoo pelas Cataratas, que será divulgado principalmente nas redes sociais da internet – como Twitter, Facebook e Orkut. No spot de 30 segundos para divulgação nas emissoras de tevê, as imagens das corredeiras ganharam como trilha sonora a música “Que Maravilha”, sucesso de Jorge Benjor e Toquinho.

Fonte: Imprensa Itaipu Binacional

Problema na próstata fez Depardieu urinar em avião, diz amigo


O ator francês Gérard Depardieu foi humilhado e pediu desculpas aos passageiros de um avião quando problemas na próstata o forçaram a urinar diante deles, no corredor, antes de um voo da Air France decolar esta semana, disse um amigo dele.
O ator Edouard Baer, um amigo que viajava com ele no voo com destino a Dublin, disse que Depardieu, de 62 anos, chegou a tentar urinar em uma garrafa de água depois que uma aeromoça lhe negou permissão para ir ao banheiro. Os dois iam participar da filmagem do último filme da série Asterix e Obelix.
"É que a garrafa era muito pequena. É verdade que transbordou", disse Baer à rádio Europe 1. "Ele ficou embaraçado. Queria limpar... Foi muito humilhante e desagradável para ele. Ele obviamente fez muma grande cena (dizendo) que 'mijou' em si mesmo."
O incidente veio à tona na quarta-feira, quando um passageiro do voo Paris-Dublin disse à rádio francesa que Depardieu, astro de filmes como Jean de Florette e Green Card, parecia estar bêbado e tinha urinado no corredor durante a decolagem, quando os passageiros têm de permanecer sentados.
O fato ocorreu na terça-feira no voo AF5010, operado pela CityJet, uma subsidiária da Air France, que foi forçado a retornar ao terminal, onde uma equipe de limpeza entrou no avião para limpar o carpete. O voo partiu com atraso de 1 hora e 15 minutos, disse um porta-voz da companhia aérea.
"Mesmo que meu amigo Gérard tenha causado ofensa, ninguém ficaria feliz por ter problemas na próstata e ser obrigado a urinar", disse Baer. "Gérard queria explicar às pessoas no avião, então ficou furioso, o que posso entender, mas ele não perdeu a cabeça. A aeromoça é que foi zelosa demais, e então ele tomou o próximo avião. Não houve problema."
Depardieu é um dos atores franceses mais conhecidos no exterior. Fez mais de 100 filmes, incluindo as séries Asterix.
Ele ganhou um César de melhor ator -- o equivalente francês ao Oscar -- por sua interpretação no filme Cyrano de Bergerac, de 1990.
Fonte/foto: Internet

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Fornatur divulga carta de apoio ao Ministério do Turismo

Documento elaborado por secretários e dirigentes estaduais destaca a importância da pasta e cobra apuração justa dos fatos.
Brasília, 16 de agosto de 2011
"O TURISMO É MAIOR"
O turismo brasileiro é maior que eventuais erros ou equívocos administrativos. Ele representa cerca de sete milhões de empregos, R$ 75 bilhões de receita e movimenta uma cadeia produtiva de mais de 52 elos com quase todos setores da economia.
Através do turismo, o Brasil se relaciona com dezenas de países em todo o mundo como destinos ou mercados emissivos. E, além de constituir o 4º item da pauta de exportações brasileiras, o setor contribui decisivamente na atração de investimentos internacionais.
Assim, é que os secretários e dirigentes estaduais de turismo manifestam sua profunda inquietação com a possibilidade de uma redução do ritmo de funcionamento dos órgãos federais de turismo, em decorrência dos processos de investigação vigentes. Menos pelo volume de recursos, de convênios e financiamentos pelo Ministério do Turismo e mais pela saudável e produtiva interface permanente dos setores público e privado na atividade turística. Medidas paralisadoras das atividades do Ministério longe de atenuar os efeitos da óbvia crise administrativa ministerial poderão agravá-la.
Desde sua criação em 2003, o Ministério do Turismo tem atuado de forma estratégica para o desenvolvimento da atividade no Brasil, através da construção e implementação de políticas públicas próprias para o setor, que teve sua criação comemorada pelas diversas organizações ligadas ao turismo, tendo em vista a perspectiva de fortalecimento dos setores que formam essa cadeia produtiva no País.
Como órgão oficial de turismo em âmbito nacional, a principal atribuição deste ministério é gerir o desenvolvimento do turismo no Brasil. Para isso, em abril de 2003, lançou o seu Plano Nacional 2003-2007, cuja implementação o consolidou como articulador do processo de integração dos diversos atores do turismo, tendo sido fundamental para que a atividade espontasse como um dos fatores de construção da cidadania e de integração social, em consonância com as políticas federais, o que se consolidou nos planos subseqüentes.
Além disso, o Ministério do Turismo tornou-se um importante instrumento para a gestão descentralizada e participativa da atividade turística, incentivando a criação de fóruns de discussão entre o poder público, a iniciativa privada e o terceiro setor em todo o território nacional.
Conhecedores do funcionamento e da estrutura do Ministério do Turismo, temos plena ciência e profunda convicção sobre a honrabilidade e correção da maioria esmagadora de seus servidores. O corpo técnico do MTur é parte do patrimônio turístico brasileiro.
Entendemos também que o ministro Pedro Novais e os auxiliares que com ele entraram no ministério há pouco mais de três meses não podem deixar de merecer a confiança dos parceiros públicos e privados do MTur, inclusive os Secretários e Dirigentes de Turismo de Estados.
Assim é que como cidadãos e gestores públicos, conclamamos as autoridades responsáveis pela apuraçde eventuais crimes ou irregularidades a agirem com o máximo rigor e com a maior velocidade possível, para punir os verdadeiros culpados e retirar do ambiente do turismo a nuvem da suspeição e a sombra da paralisação.
São empregos, renda e riqueza da sociedade brasileira que dependem da agenda positiva do turismo e da correta percepção de que o turismo é um setor estratégico para desenvolvimento socioeconômico do pais.
Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Turismo (Fornatur)

Cidades da região que fazem parte da ADRS cobram ação do governo

No início do governo Roseana, surgiu uma discussão sobre a saída ou não do Maranhão do consórcio público de turismo feito em parceria com os estados do Piauí e Ceará, que resultou na criação da Agência de Desenvolvimento Regional Sustentável (ADRS), cujo objetivo seria desenvolver ações em prol dos três estados, o que de fato não aconteceu.

A ADRS nasceu no governo de Jackson Lago. Fruto de muitos debates entre técnicos, avalizadas pelas Assembléias Legislativas dos três estados, com o endosso do Ministério do Turismo e sancionada pelos governos envolvidos, que viram na parceria uma iniciativa pioneira de desenvolvimento da região.

Ao ser criada a ADRS, ficou acertado um repasse de verbas por parte dos governos signatários para custear salários, despesas de deslocamentos dos técnicos que ali trabalham, além de que cada estado indicaria três pessoas para cuidar dos assuntos de seus interesses e que a coordenação da agência seria rotativa, onde cada estado ocuparia a coordenação por dois anos.

Sentindo o descompromisso da ADRS no Maranhão, empresários e prefeitos das cidades, que deveriam ser assistidas pela ADRS, resolveram cobrar do governo um posicionamento. Nestes quase cinco anos de existência, a ADRS deixou de dar respostas a questões concretas, deixando o trade insatisfeito pela falta de ações em solo maranhense.

Ao assumir em abril de 2008, a governadora Roseana se mostrou insatisfeita com o consórcio, deixou de fazer os repasses financeiros, e também não indicou mais o executivo que respondesse pelo Maranhão. Ou seja, o Consórcio Maranhão, Piauí e Ceará, hoje é formado somente pelos dois últimos.

Depois de toda essa repercussão a governadora recebeu os representantes dos municípios da Rota e de bate pronto prometeu todo apoio para as ações em prol do turismo maranhense, e, ainda, um posicionamento de fato sobre o destino do Maranhão no dito consórcio, nas quais algumas ações seriam revistas, entre elas, melhorias no aeroporto de Barreirinhas e que São Luís também fosse porta de entrada para a Rota das Emoções.

O que se percebe é a preocupação do governo maranhense em manter o Maranhão como entrada para a rota, o que é altamente positivo uma vez que é sempre nas capitais a entrada para os grandes destinos turísticos existentes no Brasil e São Luís, não podia abrir mão de ser portal de entrada. Agindo assim, o governo maranhense preserva os interesses do Estado que tem 75% das ilhas do Delta das Américas, e “de quebra” tem os Lençóis Maranhenses como um dos destinos mais cobiçados pelos turistas brasileiros e estrangeiros que desejam conhecer o roteiro.

O posicionamento do estado está correto em potencializar o destino Maranhão, mas deve discutir urgentemente sua posição como integrante no Consórcio público para que possa também utilizar o roteiro integrado como captador de turistas para o Estado, coisa que está acontecendo timidamente.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Turismo sucateado

*Por: Julio Serson - O Estado de S.Paulo

O turismo mundial cresce, a cada ano, na esteira da competitividade do setor, da ampliação dos nichos turísticos de cada país e, sobretudo, da melhoria dos sistemas de emissão e recepção de turistas. Se essa tem sido a tendência internacional, o Brasil mostra que sua locomotiva turística ainda é a velha maria-fumaça, movida a lenha.

Basta ver os números. O País representa cerca de 4% a 5% do PIB global, mas fica com apenas 0,7% das receitas geradas pelo setor turístico em todo o mundo. O movimento de turistas estrangeiros no Brasil permanece praticamente estagnado há uma década, diante de um crescimento mundial acumulado na faixa de 40%. Recebemos cerca de 5 milhões de turistas estrangeiros ao ano, pouco mais de 0,5% do total do planeta. Se compararmos com os líderes, a diferença é absurda: França, 76 milhões; EUA, 59,7 milhões; China, 55,7 milhões; Espanha, 52,7 milhões; e Itália, 43,6 milhões de visitantes.

Esse desempenho preocupa bastante, porque está muito abaixo do que se pode esperar de um país com tantas condições favoráveis: natureza exuberante, cultura rica, diversidade étnica, culinária espetacular, povo acolhedor. Deveríamos apresentar resultados mais expressivos, empregar mais e investir mais. Em 2010, esse mercado movimentou quase US$ 1 trilhão no mundo. O Brasil recolheu míseros US$ 6 bilhões. Pior ainda: os brasileiros que viajaram para o exterior gastaram US$ 16 bilhões. Registramos um déficit de US$ 10 bilhões, que significa algo como 16 mil empregos que perdemos aqui e "exportamos" para outros países.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, este ano o Brasil caiu da 45.ª para a 52.ª posição no ranking de competitividade em turismo (e ocupa só o 7.º lugar nas Américas). É interessante notar que nosso país lidera a pontuação no que se refere a recursos naturais, é o 23.º em recursos culturais e o 29.º em sustentabilidade ambiental. Nosso atraso mostra que ainda nos encontramos na fase da infância neste setor da economia.

O câmbio supervalorizado estimula as viagens de brasileiros para o exterior, mais baratas, e atrapalha a vinda de estrangeiros. O real é, hoje, uma das moedas mais valorizadas do planeta, por causa das estratosféricas taxas de juros, que atraem o capital externo em busca de lucros fáceis. Se tivéssemos abundância de capitais aos juros que americanos e europeus têm, daríamos de 10 a 0 nas empresas deles.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) se enreda numa burocracia exagerada que termina por tornar praticamente inviável qualquer tentativa de obtenção de crédito. Basta lembrar que hoje há 1.280 hotéis em construção no Brasil, sem a participação de recursos públicos. Outra questão dramática é a carga tributária. Hotelaria e turismo detêm a incrível marca de mais de 40 itens de tributos.

Falta-nos uma infraestrutura moderna. Não têm sido feitos os investimentos necessários em estradas, ferrovias, portos, aeroportos, energia, transporte urbano e saneamento. Aliás, não fossem os gargalos nos transportes, especialmente aeroportos, o País poderia dobrar o número de turistas estrangeiros.

Enfrentamos a carência de mão de obra qualificada. É preciso formar trabalhadores para o setor turístico e hoteleiro, capazes de receber melhor, atender melhor, conhecer outras línguas e proporcionar ao turista estrangeiro a satisfação que ele espera quando escolhe seu destino.

Nas últimas duas décadas o Brasil deu importantes passos, a partir da estabilização econômica, da liberalização do mercado e da desestatização de áreas que encontraram melhor desempenho sob gestão privada (como telecomunicações, rodovias e, agora, aeroportos, que começam a entrar no regime de concessão). Mas ainda há muito por realizar. A sociedade civil, por sua vez, tem de se organizar e valorizar o setor turístico como fonte de riqueza e desenvolvimento.

*PRESIDENTE DO GRUPO SERSON, VICE-PRESIDENTE DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DO FÓRUM DE OPERADORES HOTELEIROS DO BRASIL (FOHB), FOI PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE HOTÉIS DE SÃO PAULO (ABIH-SP)

Fonte do Ribeirão é imagem do descaso

Considerada como um dos mais tradicionais pontos turísticos de São Luís, a Fonte do Ribeirão está abandonada. Localizada em frente à Fundação Municipal de Cultura (Func), entre as ruas dos Afogados e das Barrocas, no Centro, o local está malconservado. Lixo, roupas velhas, sandálias, limo e até fezes humanas são vistas na parte interna e externa da fonte.

A pintura está desbotada e não jorra mais água das carrancas, por causa de entupimento nos canos, faltam iluminação e coletores de lixo, conforme reclamação de quem reside na área e frequenta o local constantemente.

O guia de turismo Simão Sirineu Ramos denunciou a precariedade em que se encontram os pontos históricos da capital, em especial a Fonte do Ribeirão. "Trabalho há anos como guia de turismo e é um descaso como está o nosso Centro Histórico e a nossa fonte. É um desrespeito para nós e para quem visita nossa cidade. Os turistas reclamam muito da falta de limpeza. É preciso que alguma providência seja tomada", disse.

Segundo alguns comerciantes, com a falta de iluminação na Fonte do Ribeirão, o lugar está servindo de esconderijo para marginais e usuários de drogas. O turista Reginaldo Costa, de Belém, lamentou a falta de cuidados. "É uma tristeza que a Fonte do Ribeirão esteja nestas condições, é a primeira vez que venho aqui e percebi que não existe limpeza nos pontos históricos. Poderia ter pessoas cumprindo pena alternativa e mantendo a higienização e segurança do local", frisou.

Já a paulista Cristina Lopes, que morou em São Luís por dois meses, disse estar decepcionada com o abandono em que se encontra a Fonte do Ribeirão. "Na época que morei aqui, a fonte era limpa, bem cuidada. Hoje, está esquecida", lamentou.

Sem resposta - De acordo com o comerciante João Campos, a reclamação sobre a falta de reparos já foi feita ao Município, mas não houve resposta para o caso. "Já reclamamos para a Prefeitura sobre os problemas que existem aqui, mas até hoje nada foi feito", contou. Segundo ele, guardas municipais poderiam fazer a segurança na área para evitar que usuários de drogas consumam entorpecentes no lugar, o que acontece diariamente.

Sobre a conservação da Fonte do Ribeirão, a Secretaria Municipal de Turismo (Setur), em parceria com a Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), desenvolveu projeto de restauração e iluminação artística do local, já aprovado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pela Caixa Econômica Federal. Os recursos são provenientes do Governo Federal. O projeto aguarda agora o início do processo de licitação para a execução dos serviços.

Já sobre a iluminação na Fonte do Ribeirão, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) informou que vai enviar uma equipe da Citeluz ao local, no período da noite, quando é possível verificar os problemas apresentados no sistema de iluminação do local e, casso seja detectado algum problema, tomará as providências necessárias.

Fonte: Jornal O Estado do MA

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Flávio Dino diz que América do Sul é foco de promoção internacional

O presidente da Embratur, Flávio Dino, participou hoje (17/08) da 20ª Fornatur, onde afirmou que a América do Sul é prioridade imediata e será o foco das ações da promoção turística internacional do Brasil. “Nossa intenção é começar desde agora uma forte campanha para que tenhamos o melhor verão dos últimos anos, e os turistas da América do Sul são peças fundamentais para alcançarmos esse resultado”, declarou.

Dentre as ações previstas para a América do Sul, estão a ampliação do número de Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs), que são uma espécie de “braço” de atuação da Embratur nos mercados. Antes funcionava apenas um EBT e a previsão é de criar mais dois. Para Flávio Dino, o trabalho dos EBTs é estratégico e vai auxiliar na identificação de novas demandas turísticas e no estreitamento do contato com os agentes locais de turismo, proporcionando uma maior comercialização dos destinos brasileiros.

Além de ampliar a atuação in loco, o planejamento para os mercados sul-americanos prevê ainda estratégias de divulgação para aproveitar as grandes feiras e assim alcançar o público final. O treinamento de agentes de viagens e a criação de novos produtos e peças publicitárias também estão incluídas no plano de trabalho.

Dino ressaltou, ainda, que a intensificação da promoção na América do Sul não representa um abandono do trabalho de divulgação dos destinos promovidos em outros países emissores de turistas. “Vamos seguir toda a agenda de eventos e feiras internacionais previstas para o segundo semestre”.

Fonte: mercadoeeventos.com.br

Maranhão é campeão em convênios do Ministério do Turismo


Bruno Góes, de O Globo

O Maranhão é o estado que mais recebeu atenção do Ministério do Turismo, de acordo com convênios publicados este ano. A pasta, que está em crise após a operação “Voucher” prender 36 pessoas suspeitas de desviar recursos destinados ao treinamento de profissionais do turismo no Amapá, é comandada pelo maranhense Pedro Novais (PMDB). A partir dos novos contratos, está previsto que a região receba, por exemplo, cerca de 1.450% a mais de recursos previstos do que o Rio de Janeiro.

Os maranhenses podem ser beneficiados, se todos os convênios forem cumpridos, com mais de R$ 66,6 milhões, enquanto o estado fluminense pode receber aproximadamente R$ 4,3 milhões. Segundo o site Contas Abertas, que obteve os dados junto ao Portal da Transparência, do Ministério do Planejamento, o estado é o principal destino de investimentos em convênios até o momento: cerca de 13,2% do total.

Os estados do Amapá e Roraima são os únicos que não celebraram qualquer convênio junto ao Ministério do Turismo publicado em 2011.

Atrás do Maranhão, o estado de São Paulo é segundo com mais investimentos em novos contratos: R$ 55,3 milhões.

Assessoria contesta – A assessoria de imprensa do Ministério do Turismo questionou o valor de R$ 66, 6 milhões em convênios beneficiando o Maranhão este ano. Em entrevista por telefone, a assessoria afirmou que foram assinados dois novos convênios para o Maranhão em 2011, num total de R$ 22,8 milhões.

Algumas obras que contam com a contribuição do ministério no Maranhão chamam atenção por um aspecto: elas são de infraestrutura urbana. Para um órgão do Executivo que cuida do turismo, o fato é curioso. Dos 42 convênios publicados neste ano, 12 são para pavimentação asfáltica, 10 para construção ou reforma de praças públicas, nove para urbanização e um para construção de ponte no município de Barra do Corda-MA. Os demais são destinados a pequenos restauros de centros turísticos do estado.

Um convênio de R$ 20 milhões já assinado, conforme antecipou O GLOBO no dia 22 de julho , por exemplo, irá financiar uma das principais promessas de campanha da aliada de Novais, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB): a Via Expressa de São Luís, que ligará duas avenidas da capital maranhense. A ligação mais forte entre a obra da Via Expressa e o turismo em São Luís é a intenção de Roseana inaugurar a nova avenida, de 5,3 quilômetros de extensão, no aniversário de 400 anos da cidade, em 8 de setembro do ano que vem. Para isso, dividiu a obra em três lotes que, somados, custarão R$ 109 milhões. Sobre o tipo de obra que conta com a contribuição da pasta, a assessoria do Turismo respondeu por e-mail:

“Por meio do macroprograma Infraestrutura Pública, o Ministério do Turismo desenvolve o turismo provendo os municípios de infraestrutura adequada para a expansão da atividade turística por meio de obras de acesso, sinalização turística, recuperação de patrimônio histórico entre outras”.