segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Poluição das praias ameaça turismo


A capital maranhense sempre ostentou a fama de possuir algumas das mais belas praias do país. A cor diferenciada das suas águas deve-se às algas pardas que se encontram dispersas em grande quantidade no meio marinho, e ao despejo de água doce de vários rios que deságuam na baía de São Marcos, e ainda, aos muito material em suspensão em nosso litoral.

Num passado não muito distante, ainda era possível se encontrar pés de muricis, guajerus e cajus em algumas praias de São Luís. Tempos idos. Com a construção da Avenida Litorânea, a poluição das praias se tornou uma triste realidade.

Aliado a esse processo, dezenas de prédios residenciais foram erguidos nos últimos anos na orla marítima, bem próximo às dunas, e o surgimento de dezenas de bares ao longo da Litorânea, com despejo de esgoto sem tratamento no mar transformaram as praias impróprias ao banho, tornando proibitiva uma das principais atrações turísticas de tais locais. A quantidade de coliformes fecais nas praias (três superior ao permitido) se encontra há tempos acima do permitido, sendo que apenas 5% do esgoto de São Luís recebe algum tratamento adequado.

A praga da especulação imobiliária, feita de forma não sustentável, é um dos principais vilões. A Ponta d’Areia é uma das praias que recebe maior lançamento de esgoto, oriundo das dezenas de prédios localizados no local. Na Península da Ponta d’Areia, por exemplo, o esgoto jorra diariamente através de uma tubulação que fica bem em frente ao edifício de alto luxo Two Towers, contaminando tal setor desse ecossistema já bastante combalido.

O quadro piora quando se sabe que o rio das Bicas, Bacanga e Anil recebem, há anos, o esgoto de São Luís, sendo que tais rios desembocam na baía de São Marcos. O lixo acumulado também é muito grande, de tal forma que, quando a maré vaza, o lixo e o esgoto fluem para o mar, retornando em seguida com a maré alta, espalhando-se pela orla marítima da ilha e contribuindo para poluir ainda mais o ecossistema costeiro de São Luís, e prejudicando, dessa maneira, o desenvolvimento turístico da capital maranhense.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Lagoa da Jansen – Cartão Postal do Abandono


Causa pena a situação de abandono da Lagoa da Jansen, um dos pontos de atração turística mais importante de São Luís. A falta de conservação dos logradouros públicos já é, de há muito, um indigesto prato oferecido pelas autoridades aos habitantes da cidade e para seus visitantes. Ao redor da Lagoa, lixeiras foram destruídas por vândalos e não foi feita a reposição desse equipamento urbano. As placas de sinalização estão deterioradas, com as informações apagadas, as ruas de acesso à Lagoa, intrafegáveis, e os brinquedos do parque infantil depredados.

O lixo se acumula em vários locais, como nas quadras de esporte, que se encontram sem a devida manutenção. O odor fétido que exala das águas, provocado pela poluição da Lagoa torna o simples ato de um passeio a pé ou de bicicleta se transformar numa tortura para quem ainda se arrisca a freqüentar o local.

O Mirante da lagoa, cuja finalidade é proporcionar uma bela vista da paisagem, ultimamente vem servindo para festas privadas que deixam por lá um rastro enorme de sujeira. A falta de poda das árvores prejudica a visibilidade da lagoa, e a insegurança afasta os frequentadores da área. O mato cresce por todos os lados e relega esse cartão postal da cidade a uma triste pena.

A serpente que ornamenta a Lagoa, obra do artista plástico Jesus Santos, é a imagem do descaso. Em janeiro de 2010 o governo do Estado encenou realizar a restauração e ampliação da obra, mas, tudo ficou apenas na promessa. Alardearam que a serpente passaria a emitir um som durante o dia, anunciando a passagem das horas e, à noite, suas narinas emitiriam labaredas de fogo, marcando o tempo. A serpente continua lá, cabisbaixa, envergonhada. Nem som nem fogo, a beleza da serpente se apaga no abandono e se afunda nas águas do desprezo.

O local já deveria ter sido saneado há tempos; a lagoa poderia muito bem abrigar pedalinhos e sediar competições de remo ou de atletismo, com aulas gratuitas de Tai Chi Chuan para a população, por exemplo, dentre outras ações esportivas, aquecendo o turismo e garantindo uma qualidade de vida mais saudável para a população.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Ministro do Turismo concedeu entrevista exclusiva ao Jornal Cazumbá

O Ministro de Turismo do Brasil, Pedro Novais, concedeu entrevista exclusiva ao jornalista e editor do Cazumbá, Reginaldo Rodrigues. Durante a conversa, Novais fala um pouco sobre a sua trajetoria pessoal até sua ascensão como Ministro do Turismo.

Foi uma conversa tranquila, onde o Ministro conheceu a versão impressa do Jornal Cazumbá e convidou Reginaldo Rodrigues para uma visita ao Ministério do Turismo, em Brasília/DF.

Durante o Workshop CVC, foram gravadas entrevistas também com os presidentes da Embratur, Mário Moysés, e da CVC, Valter Patriani, a Gerente do Produto "Descobertas" da CVC, Lúcia Helena Gonçalves, e a Consultora da Chias Marketing, Patrícia Sevilha, entre outros nomes importantes para o turismo brasileiro.

As entrevistas você confere na versão impressa e online do Cazumbá.

Confira algumas fotos:


Infraero ameaça fechar aeroporto de São Luís devido ao excesso de urubus

O deputado Roberto Costa (PMDB) denunciou agora há pouco, da Tribuna da Assembléia, a ameaça da Infraero de fechar ou restringir os voos no Aeroporto de São Luís por causa do execesso de urubus no local.

Urubus sobre o muro que divide o aeroporto dos bairros As aves são atraídas à área de pouso e decolagem devido à proximidade do Aterro da Ribeira, onde é depositado o lixo da capital.

Segundo o deputado, o próprio ministro Nelson Jobim (Justiça) encaminhou relatório ao Governo do Maranhão alertando para o problema. “O ministro só ainda não determinou o fechamento do aeroporto devido a relação que mantém com a governadora Roseana Sarney (PMDB) e saber do prejuízo que seria gerado ao Maranhão”, afirmou Roberto Costa.

O parlamentar disse que o relatório é do último dia 8 e foi encaminhado à Prefeitura de São Luís. Roberto afirmou que o problema no aterro acontece também porque a compactação do lixo não é feita de forma inadequada pela administração municipal.

A deputada Gardeninha Castelo (PSDB) saiu em defesa do pai, prefeito João Castelo (PSDB). Disse que ele herdou o problema – o aterro foi construído na gestão da ex-prefeita Conceição Andrade, hoje secretária estadual de Desenvolvimento Agrário, no início dos anos 1990.

“De fato, o local é inadequado”, admitiu a tucana dizendo não saber se a solução para o lixo da cidade seria realmente um aterro.

Texto reproduzido do Blog do Décio

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Inverno forte e falta de manutenção provocam desabamento de prédios no Centro Histórico


Mais um inverno rigoroso, com chuvas intensas e duradouras, novamente traz consigo estragos consideráveis, alguns irreversíveis, ao precioso casario histórico de São Luís do Maranhão (tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o que é preocupante. O risco de desabamentos dos prédios, que ano a ano se verifica na capital maranhense se deve às más condições de conservação da maioria dos imóveis do Centro Histórico.

Neste ano, a fachada de dois casarões localizados na rua Rio Branco desabaram. Com as chuvas fortes, as infiltrações ocorrem com freqüência, o que aumenta o risco de deterioração física dos imóveis. De um total de 5.607 prédios tombados em São Luís, 41 deles sofrem ameaças de desabamento, segundo dados fornecidos pela Defesa Civil (segundo mapeamento do órgão, 550 famílias moram atualmente em 93 áreas de risco). Alguns desses prédios se encontram em pé graças a escoras de madeira, visando garantir a segurança dos transeuntes. Outros sofrem reformas, prejudicadas pelas chuvas. Ainda segundo o Superintendente da Defesa Civil, foi realizado pelo órgão um mapeamento dos pontos mais críticos.

Normalmente, os telhados são os primeiros a caírem, já que a madeira apodrecida não suporta o peso das telhas e vem abaixo. Como o custo de manutenção de um prédio histórico é muito alto, poucas reformas são feitas pelos proprietários de muitos imóveis, que não possuem condição financeira para fazer a manutenção dos mesmos. O descaso das autoridades agrava a situação, pois falta uma legislação específica para o problema.

Muitos desses prédios se encontram abandonados, alguns deles há muito tempo se encontram à venda e, sem compradores, deterioram-se com facilidade. Alguns são invadidos por moradores de rua, desocupados ou por pessoas que fazem uso de drogas. Às vezes, o custo de estabilização de um casarão, por exemplo, pode chegar à cifra astronômica de 1 milhão de reais. Na madrugada do último sábado, a fachada lateral de um prédio situado na rua do Sol, esquina com a Travessa da Passagem, centro de São Luís, ruiu. O imóvel se encontra sem moradores.

Aumento do preço do petróleo é revés para setor aéreo, diz IATA

O aumento do preço do petróleo constitui "um revés muito grande" para o setor aéreo e poderá impedir um bom ano para as companhias, noticiou hoje a AFP, citando a Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA).

"As tarifas do petróleo constituem um grande problema que poderá mudar radicalmente a situação do setor", afirmou o diretor da IATA Giovanni Bisignani durante uma conferência de imprensa realizada em Tóquio nesta terça-feira (22).

Segundo Bisignani, o ano poderá, simplesmente por este fato "ser muito difícil de gerir, quando se esperava um ano lucrativo".

De acordo com fontes econômicas, o barril do petróleo está custando 104 dólares o que significa uma fatura de 32 mil milhões de dólares para o setor áereo. "Uma parte terá de ser coberta com o aumento do preço dos bilhetes, mas isso depende de decisões comerciais. Mas é um fardo para as companhias", explicitou o director da IATA. O barril de Brent ultrapassou os 108 dólares, ontem, em Londres - o preço mais alto desde a crise de 2008.

As receitas podem ainda diminuir devido à diminuição de voos para o Oriente Médio, devido à instabilidade política na região, sendo que é um mercado importante para as companhias europeias. A boa notícia é que poderá ser compensado com o aumento dos voos para a Ásia, zona em crescimento.

Os preços do petróleo bruto subiram nos últimos dias devido à escalada de violência no mundo árabe e particularmente na Líbia.

Texto reproduzido do site www.diariodoturismo.com.br

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O caos no trânsito de São Luís. Até quando?


Na última semana foi divulgada por alguns veículos da imprensa do Maranhão, notícia sobre o balanço da quantidade de,veículos registrados em cada estado. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran o Maranhão possui a quinta maior frota de veículos automotores do Norte/Nordeste, pois sabe que não parece! Parece ser a maior frota do Brasil, devido à grande quantidade de problemas encontrados no transito do dia a dia na capital maranhense.

Em todo o estado, até o mês de dezembro foram 796.083 veículos registrados E olha que os números são referentes a dezembro de 2010, ou seja, de lá pra cá o número de carros, caminhões e motocicletas registrados já aumentou bastante. Tanto é que o Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) já estima que o número de veículos chegue a mais de 804 mil.

Além da buraqueira que toma conta da cidade, a falta de sinalização e a imprudência de motoristas despreparados, ainda temos que conviver diariamente com 247.997 carros trafegando por ruas e avenidas estreitas. Isso sem falar no Centro Histórico, um dos principais atrativos turísticos de São Luís, onde as ruas não suportam o tráfego de veículos. A impressão que se tem é que as vias da capital foram projetadas por pessoas que não enxergaram São Luís como Capital Brasileira da Cultura ou Cidade Patrimônio Histórico Mundial.

O resultado disso tudo podemos ver, ouvir e sentir todos os dias da semana, onde o trio: engarrafamentos, buracos e falta de sinalizações tiram a paciência de qualquer pessoa que se habilite a trafegar em nossa cidade. Engana-se quem pensa que esse é apenas um problema de quem possui automóvel. Os usuários de transporte coletivo, coitados, esses sim é que sofrem, passam horas a fio para esperar o “busão” que quando passa, na maioria das vezes vem parecendo uma lata de sardinhas, tamanho é o aperto.

Agora pense nisso que foi descrito e junte meia-hora de chuva, seja ela torrencial ou não, e bingo! Temos um verdadeiro caos, porque é isso que o trânsito de nossa cidade parece, um verdadeiro caos, uma terra de ninguém. Fica a pergunta e as autoridades onde estão que não se mobilizam pra tentar amenizar essa situação em que nos encontramos? Porque não adianta tomar medidas paliativas, não adianta colocar dez mil agentes de trânsito (se bem que na maioria das vezes eles fazem é sumir) se as vias que cortam nossa capital não estão adaptadas ao crescimento populacional e consequentemente ao crescimento econômico e a coisa toda tende a piorar ainda mais, já que a cada dia que passa mais veículos cadastrados e nada de planejamento ou soluções para o nosso tão sofrido trânsito de cada dia.

Fazendo as contas com base nos últimos levantamentos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontam mais de um milhão de habitantes e cruzando com os dados do DETRAN-MA temos a surpreendente marca de um carro para cada 3,24 habitante de São Luís e até agora nada de planejamento. Eu só espero que inventem logo o carro que voa pra eu não precisar mais enfrentar esse caos todo dia.

Texto de:Patrick Pereira - Estagiário do Jornal Cazumbá
Foto:Divulgação

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Taxa de aeroporto vai custar até 364% mais em horário de pico

As companhias aéreas aumentarão seus custos com o reajuste das tarifas aeroportuárias, a partir de 14 de março. O aumento das taxas pagas pode chegar a até 364% nas tarifas de pouso em horários de pico. A Infraero vai aumentar as taxas nos horários de maior movimentação para incentivar as operações em horários mais vazios.

A maioria dos aeroportos terá tarifas iguais. Apenas os maiores terminais do país tiveram seus horários e tarifas reajustados de forma independente. São eles: Brasília, Guarulhos e Congonhas, em São Paulo; Galeão e Santos Dumont, no Rio de Janeiro; e Confins, em Belo Horizonte. As taxas de embarque, pouso e permanência vão subir em praticamente todos os horários nesses aeroportos. As companhias aéreas ainda não sabem se esse aumento poderá influenciar no preço dos bilhetes.

As taxas de pouso, permanência e estadia terão aumentos na casa de 300% nos aeroportos da categoria 1 (Brasília, Congonhas, Guarulhos. Na categoria 2, (Rio Branco -AC, Goiânia -GO) a tarifa de pouso aumentou em 261%, a de pátio de manobras em 262% e a de estadia em 266%. As tarifas internacionais de pouso e permanência subiram, em média, 80%.

Em uma simulação da categoria 1 utilizando as novas tarifas, caso um Airbus A320, usado pela TAM, pouse e permaneça no aeroporto de Congonhas das 10h às 11h pagará R$ 117,86 em taxas. Se a mesma aeronave ficar das 20h às 21h pagará R$ 673,51. Em uma simulação com um Boeing 737-700, operado pela Gol, os valores, no mesmo horário e aeroportos, partiriam de R$ 118,01 e chegariam, no horário de pico, a R$ 673,3.

Na categoria 2, por enquanto, não existe mudança de valor em relação ao horário, mas o reajuste foi alto. Caso um Airbus A320 pouse no Aeroporto de Rio Branco (AC), ele pagará, na primeira hora, R$ 461,3, contra R$ 127,4 atuais.

O maior desconto das tarifas foi dado para o aeroporto de Congonhas, com redução de 79% do valor teto nos horários de 6h às 7h e 10h às 11h. Já a cobrança de sobretaxa de 20% foi utilizada em vários aeroportos, dentre eles o de Brasília, Congonhas e Guarulhos, ambos em São Paulo e o de Santos Dumont no Rio de Janeiro.

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) foi procurado, mas não se manifestou, pois os cálculos das companhias para saber se o aumento vai encarecer as passagens não foi concluído. O próximo reajuste das tarifas aeroportuárias será feito em 2013 com base na variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Porém, cada aeroporto só poderá aplicar o valor integral do IPCA se cumprir as metas de produtividade da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Maranhão: O Estado das Oportunidades.


Aqui temos mais uma oportunidade para lamentarmos que, aquilo que já era previsto, acabou acontecendo. E não é de hoje que este blog vem comunicando que, prevenir ainda é a melhor solução. E pasmem, muito mais econômico.

Quando tivemos a oportunidade de comunicar em primeira mão que o município de Raposa correria o sério risco de ficar isolado, pelo rompimento de dois trechos da MA 203, não queríamos anunciar apenas mais uma das tantas deficiências de nosso malha viária. Mas, alertar nossos gestores públicos, de que um simples olhar técnico, é capaz de economizar uma fortuna para os cofres do governo. O que poderia custar uma bagatela há um ano, agora vai custar um montante de dinheiro, que poderia ser aplicado em outras frentes.

É nessa oportunidade que nos perguntamos: De quem é a responsabilidade pela manutenção de uma via pública? É obvio que é do Estado. Mas, se esta via é tão importante para um município, porque este município não a conserva? Isso seria uma oportunidade para prefeitos e vereadores, se promoverem, mostrarem porque foram eleitos. Mas essa não é uma prática comum no Maranhão.

Foi necessário que um Promotor Público, através de um pedido de interdição, chamasse a atenção do Estado para um problema detectado diariamente por quem trafega pelas MA. Oportunidade essa, que vai gerar uma série de contratempos aos usuários dessa importante via de acesso ao município de Raposa. E que também vai permitir que, nessa oportunidade, vejam o estado em que se encontra o outro trecho que será utilizado durante o período de execução da obra.

Foram tantas as oportunidades que tiveram de evitar esse contratempo. Foram tantos os alertas, inclusive o deste blog. Agora só nos resta esperar que o inverno colabore, para que o prejuízo seja menor. Certamente, alguém deve aproveitar a oportunidade para solicitar também que tampem os buracos laterais, refaçam os vergonhosos quebra-molas, sinalizem vertical e horizontalmente, essa importante rota turística e gastronômica. Antes que seja necessário uma nota preta para reconstruí-la.

Até outra oportunidade.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ministério do Turismo discute ações para o Nordeste e diz que região precisa crescer


O ministro do Turismo, Pedro Novais, reuniu-se, na quinta-feira (17), em Brasília (DF), com o presidente da Fundação CTI Nordeste, Bismarck Maia. Em pauta, ações para alavancar o turismo na região Nordeste.

“O Nordeste precisa crescer. As condições de turismo que nós temos são inigualáveis. Devemos aproveitar a oportunidade para alavancar nossa região e, neste instante, o meio mais eficaz e eficiente é o turismo”, ressaltou Novais.

Maia solicitou apoio do MTur para a realização da Brazil National Tourism Mart, em maio, em Natal (RN). E, ainda, pediu a liberação de verba descentralizada para promoção nacional e internacional da região e apoio aos estados do Nordeste na liberação da contrapartida do MTur junto ao Prodetur Nacional. “O Nordeste está esperançoso. O senhor é o ministro do Brasil, mas primeiro é nosso ministro”, brincou Maia.

Novais solicitou esforço conjunto entre as secretarias de turismo estaduais e municipais e a CTI Nordeste para desenvolver o turismo na região. “O Ministério sozinho não pode muito, mas juntos. Sejam criativos e proponham projetos economicamente viáveis, que teremos o máximo prazer em ajudar”, finalizou Novais.
Representando a Paraíba na reunião com o ministro estiveram o secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, e a presidente da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo), Ruth Avelino.


Fonte:ASCOM do Mintur/Turismo em foco
Foto:Divulgação

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Brasil precisa agregar valor a destinos turísticos para atrair estrangeiros, diz Embratur

Para aumentar a competitividade no mercado turístico internacional, o Brasil precisa “enriquecer o seu produto turístico” e mostrar aos estrangeiros que o país tem, em vários destinos, mais de uma opção de atividade para quem venha a trabalho ou a passeio. A ideia é do presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Mário Moysés, que na manhã desta quarta-feira participou de entrevista a emissoras de rádio de todo o país no programa Brasil em Pauta, veiculado pela Rádio Nacional AM e pelo canal NBR.

Moysés deu como exemplo Salvador que agrega sol e praia com diversidade cultural. Além do chamariz do litoral, a capital da Bahia abriga o Centro Histórico do Pelourinho que guarda parte da história da colonização portuguesa e também tem diversas atividades de lazer, como os shows semanais do grupo Olodum. “Os turistas procuram locais com identidade própria”, enfatizou durante a entrevista aos radialistas.

No ano passado, números preliminares apontam que o Brasil recebeu 5,1 milhões de turistas estrangeiros que trouxeram US$ 5,91 bilhões ao País. No entanto, o valor gasto por brasileiros no exterior (cuja maior parcela é relativa ao turismo) é quase três vezes maior. Segundo Mário Moysés, “é difícil equilibrar o saldo”. Além dos atrativos de outros países, destinos estrangeiros têm vantagens por causa da conectividade de transporte e oferta de pacotes baratos, “que atrai perfil com renda mais baixa e forma grande volume de visitantes”, explicou.

Na competição com destinos de sol e praia, por exemplo, o Brasil sofre concorrência direta do México, dos países do Caribe e até da Espanha que estão mais próximos dos “países emissores” da Europa e América do Norte. Para atrair mais turistas estrangeiros, a estratégia é crescer em mercados que já são alvo como a Alemanha e a Inglaterra; em mercados emergentes, como os países escandinavos; e, especialmente, na América do Sul. Segundo Moysés, colombianos, peruanos e venezuelanos ainda visitam pouco o Brasil.

A expectativa da Embratur para este ano é que 5,5 milhões de turistas de outros países venham ao país. No ano da Copa do Mundo (2014), a projeção é de até oito milhões de pessoas; e em 2020, dez milhões de visitantes.

Para atrair mais turistas, a Embratur vai aumentar sua participação em feiras estrangeiras de turismo e seminários com agentes de viagem, companhias aéreas e operadores de pacotes no exterior. Hoje, por exemplo, o país promove um road show (seminários e exposições) em Paris por ocasião do amistoso de futebol das seleções brasileira e francesa.

Moysés aponta que esses eventos são úteis para esclarecer informações e reverter imagens negativas de violência e do turismo para exploração sexual. O presidente da Embratur citou como exemplo sua passagem, no mês passado, pela Espanha onde concedeu várias entrevistas à mídia local explicando que os deslizamentos das encostas na região serrana fluminense não afetaram a cidade do Rio de Janeiro, principal destino de estrangeiros no Brasil, a cerca de 80 quilômetros do local.

Segundo o presidente da Embratur, o País atualmente desfruta de uma imagem positiva em função da diminuição da exclusão social. “O Brasil projeta imagem de país que se desenvolve e atrai investimentos”, acredita.

Agência BrasilPara aumentar a competitividade no mercado turístico internacional, o Brasil precisa “enriquecer o seu produto turístico” e mostrar aos estrangeiros que o país tem, em vários destinos, mais de uma opção de atividade para quem venha a trabalho ou a passeio. A ideia é do presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Mário Moysés, que na manhã desta quarta-feira participou de entrevista a emissoras de rádio de todo o país no programa Brasil em Pauta, veiculado pela Rádio Nacional AM e pelo canal NBR.

Moysés deu como exemplo Salvador que agrega sol e praia com diversidade cultural. Além do chamariz do litoral, a capital da Bahia abriga o Centro Histórico do Pelourinho que guarda parte da história da colonização portuguesa e também tem diversas atividades de lazer, como os shows semanais do grupo Olodum. “Os turistas procuram locais com identidade própria”, enfatizou durante a entrevista aos radialistas.

No ano passado, números preliminares apontam que o Brasil recebeu 5,1 milhões de turistas estrangeiros que trouxeram US$ 5,91 bilhões ao País. No entanto, o valor gasto por brasileiros no exterior (cuja maior parcela é relativa ao turismo) é quase três vezes maior. Segundo Mário Moysés, “é difícil equilibrar o saldo”. Além dos atrativos de outros países, destinos estrangeiros têm vantagens por causa da conectividade de transporte e oferta de pacotes baratos, “que atrai perfil com renda mais baixa e forma grande volume de visitantes”, explicou.

Na competição com destinos de sol e praia, por exemplo, o Brasil sofre concorrência direta do México, dos países do Caribe e até da Espanha que estão mais próximos dos “países emissores” da Europa e América do Norte. Para atrair mais turistas estrangeiros, a estratégia é crescer em mercados que já são alvo como a Alemanha e a Inglaterra; em mercados emergentes, como os países escandinavos; e, especialmente, na América do Sul. Segundo Moysés, colombianos, peruanos e venezuelanos ainda visitam pouco o Brasil.

A expectativa da Embratur para este ano é que 5,5 milhões de turistas de outros países venham ao país. No ano da Copa do Mundo (2014), a projeção é de até oito milhões de pessoas; e em 2020, dez milhões de visitantes.

Para atrair mais turistas, a Embratur vai aumentar sua participação em feiras estrangeiras de turismo e seminários com agentes de viagem, companhias aéreas e operadores de pacotes no exterior. Hoje, por exemplo, o país promove um road show (seminários e exposições) em Paris por ocasião do amistoso de futebol das seleções brasileira e francesa.

Moysés aponta que esses eventos são úteis para esclarecer informações e reverter imagens negativas de violência e do turismo para exploração sexual. O presidente da Embratur citou como exemplo sua passagem, no mês passado, pela Espanha onde concedeu várias entrevistas à mídia local explicando que os deslizamentos das encostas na região serrana fluminense não afetaram a cidade do Rio de Janeiro, principal destino de estrangeiros no Brasil, a cerca de 80 quilômetros do local.

Segundo o presidente da Embratur, o País atualmente desfruta de uma imagem positiva em função da diminuição da exclusão social. “O Brasil projeta imagem de país que se desenvolve e atrai investimentos”, acredita.


Fonte:Jornal de Turismo/Agência Brasil

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Obra inacabada no Mercado Central prejudica a população


Uma obra que se arrasta há mais de cinco meses. Esse é o triste cartão postal que se oferece aos moradores e transeuntes das imediações do Mercado Central, ao lado da Fonte das Pedras, um dos monumentos históricos mais importantes de São Luís, que está com o fluxo de visitantes bastante prejudicado em razão de um problema gerado pelo atraso na conclusão da intervenção urbana.

O trabalho de recuperação da drenagem da rua Antônio Rayol, que passa em frente ao antigo prédio do SIOGE, vem se arrastando graças à incompetência da Prefeitura de São Luís, que iniciou e não termina a obra, iniciada em agosto do ano passado, e se insere no projeto de drenagem do Canal do Portinho e de toda a área que fica perto do Mercado Central, nas quais alagamentos crônicos se verificam há décadas sem solução, em razão do acúmulo de água no período chuvoso.

A obra foi orçada em mais de 6 milhões de reais. Além da drenagem, a obra prevê ações de saneamento, rede de distribuição de água e pavimentação. “Os problemas crônicos desta área vão terminar e, logo no próximo período chuvoso, com certeza, não haverá mais alagamentos nesta área da cidade”, assegurou em agosto o Secretário Municipal de Obras, Marcos Aurélio Freitas. As chuvas começaram, os alagamentos e os transtornos continuam e ainda não existe prazo para o fim das obras. Todo aquele trecho foi aterrado no passado. “Isso tudo ali era maré, os barcos atracavam nesse local, onde houve aterramento, e os alagamentos ocorrem porque o trecho fica praticamente ao nível do mar”, informa Rogério Rodrigues, Técnico Cultural de Patrimônio do Departamento Histórico, Artístico e Paisagístico do Estado do Maranhão – DEPHAP-MA.

Os moradores e comerciantes da área já contabilizam grandes prejuízos. “Isso aqui virou o caos, tive que parar com o serviço de uma máquina de xerox digitalizada, fax e computador por causa da poeira; os meus clientes sumiram, aqui ao lado uma Farmácia e uma Panificadora fecharam as portas”, informa o proprietário da Ótica Greyce, Sr. César Marcos, que fica na esquina da rua da Inveja com a rua Antônio Rayol. Vários carros já caíram num grande buraco que ainda se encontra aberto nesse trecho. A obra é complexa, e os comerciantes afirmam que a empresa que foi contratada para fazer a obra, Empresa Maranhense de Terraplanagem - EMT não tem competência para realizar o trabalho.

O furto verde da lagoa



Nos últimos meses quem mora, caminha ou passa pela Lagoa da Jansen um dos principais cartões postais de São Luís nota a falta de algumas áreas verdes que o local oferecia. É simples, é que derrepente o local vem sofrendo de uma nova modalidade de furto, o furto verde.

Isso mesmo, empreendimentos e empresas agora decidiram se apropriar de áreas verdes sem qualquer consulta pública sobre o assunto, e o que é pior, sob o olhar do poder público que finge não saber e por isso não coíbe taís crimes contra a natureza e o bem comum.

Começo pelo espaço público localizado a rua das amendoeiras. O local foi tomado por um empresário dono de loja de material de construção que da noite para o dia construiu um muro cercando todo o espaço e de quebra ainda colocou sua identificação. Depois de várias denúncias dos moradores da área felizmente a Administração da Lagoa mandou retirar o muro devolvendo o espaço já avaliado em mais de um milhão de reais à comunidade.

Outro caso bastante revoltante é o estacionamento privativo feito pelo Atlanta Center também localizado na área da Lagoa. Uma área completamente verde foi transformada em estacionamento privado do prédio sem que nada seja feito por parte do poder público.

Completando a seqüência de furtos que a Lagoa vem sofrendo em um curto espaço de tempo, temos uma construtora que resolveu levantar uma cerca de alumínio em uma área verde ao lado do edifício Vitral da Lagoa e fundos com o hotel Expresso XXI.
A pergunta é simples, será que existe legalidade ou mesmo titularidade da área cercada, ou simplesmente posso eu me apropriar de um espaço público destruindo o verde e a natureza em nome do interesse individual?

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Secretário de Turismo esclarece problemas envolvendo sinalização turística da capital

O Blog Cazombando publicou, em 20 de janeiro de 2011, um post intitulado “Sinalização turística de São Luís e entorno apresenta problemas”, onde fala da problemática da nova sinalização turística da capital, que apresenta alguns problemas, tais como a falta de padronização, sobreposição de placas, cores erradas, entre outras. E o Secretário Municipal de Turismo, Liviomar Macatrão, em resposta a este Blog, expõe os motivos e como está o projeto da Sinalização Turística em São Luís.

Confira abaixo resposta de Liviomar Macatrão:
“Em respeito aos leitores do “Cazombando” e respondendo às dúvidas sobre a falta de sinalização turística ou a falta de padrão de algumas placas que estão sendo fixadas em vias da cidade, destacamos alguns pontos sobre o assunto.

A Prefeitura de São Luís, por meio das secretarias municipais de Turismo (Setur) e de Trânsito e Tranporte (SMTT), já desenvolve um projeto de Sinalização Turística da cidade há dois anos, ou seja, desde o início da gestão do prefeito João Castelo. O Aporte financeiro para realização do plano é R$ 1.023.750,00 em convênio com o Ministério do Turismo, tendo com intermediador dos valores a Caixa Econômica Federal.

O Projeto de Sinalização Turística foi lançado pelo Prefeito no mês de novembro de 2009 e será realizado em duas etapas, sendo que primeira etapa do plano já está sendo implantada na capital. Seis painéis com informações turísticas já estão dispostos no aeroporto, nas estações rodoviária, ferroviária e hidroviária e outros portões de entrada. O plano ainda contempla a instalação de 25 totens com informações e mapas do Centro Histórico para ajudar na localização dos turistas, além de dez terminais de auto-atendimento, em shoppings e outros pontos, e confecção de 100 mil mapas turísticos, que ficam à disposição de hotéis locais.

A primeira etapa também programou a colocação de 140 placas de sinalização nas principais vias da cidade, como avenidas e ruas que dão acesso às praias locais. Em outro ponto, a SETUR percebeu que empresa licitada – que reconheceu o erro nos trabalhos - não estava obedecendo algumas especificações contidas no Termo de Referência do projeto que tem como base o Guia Brasileiro de Sinalização Turística e imediatamente paralisou a implantação das referidas placas. Das 140 placas, foram implantadas 68 placas no perímetro urbano, que serão corrigidas. Em relação às demais, técnicos da Setur e da empresa executora estudam sua localização.

Em breve, a Setur sinalizará dez rotas de interesse turístico, implantar 58 placas no perímetro urbano, 17 placas na área do Maracanã. Haverá ainda a implantação de 20 placas internas de monumento, 20 placas de interpretativas de região, e 10 placas Direcionais, que serão instaladas no Centro Histórico, com o objetivo de indicar a localização de ruas e monumentos a turistas e comunidade. Ainda: confecção de 80.000 (oitenta mil) mapas de bolsos Georeferenciado (ZCARD) que contempla informações sobre os principais atrativos turísticos de São Luís e os principais serviços utilizados por turistas e comunidade, como: bares, restaurantes, hotéis, pousada dentre outros.

Entendemos que a sinalização de caráter turístico reveste-se de grande importância, pois tem função indicativa e educativa, além de dinamizar e potencializar o setor turístico, tão importante para todos os municípios da Ilha. Estamos trabalhando com afinco na consolidação deste projeto e buscando sempre a excelência na recepção de visitantes em São Luís. Várias pessoas estão mobilizadas em sua execução e em 2012, ano que culminará com o aniversário de 400 anos de São Luís estaremos muito mais avançados em nossos planos turísticos. Agradecemos às opiniões e sugestões pertinentes e construtivas que serviram de base no realinhamento das atividades”.

Secretário Municipal de Turismo
Liviomar Macatrão



PS: O Cazombando acha muito interessante e pertinente as colocações do Secretário Liviomar Macatrão, pois não se admite que empresas que se apresentam com um KNOW-HOW, para executar serviços na capital, são pagas conforme o contratado e o resultado é o que temos nas avenidas e ruas de São Luís, ou seja, serviços executados sem a mínima decência. Parabéns à Secretaria, que detectou os problemas e suspendeu a fixação destas placas até que se corrijam os problemas.

São Luís ganhará como presente pelos quatrocentos anos, uma comissão...!

Falta pouco mais de um ano para o quatrocentenário de São Luís e o que parece é que a capital maranhense ganhará como presente do poder público o que já está evidente para todos desta capital: iluminação precária, ruas esburacadas, esgotos a céu aberto, e, o pior, o coração da cidade, o mosaico de sua história, o nosso querido Centro Histórico totalmente abandonado, entregue a empresários e pessoas, que na maioria das vezes, só sabe é reclamar.

A Prefeitura de São Luís começou a mobilizar o empresariado e outras secretarias, com a finalidade de solucionar alguns destes entraves, e algumas ações já começam a aparecer. Estão tapando alguns buracos menores (as bocas de galerias continuam do mesmo jeito), pintando alguns meios fios, recolhimento de lixo, entre outras, ou seja, literalmente estão maquiando a Praia Grande para a o carnaval.

E as outras ações, como a proibição do tráfego de veículos pelo Centro Histórico, como fica? A adequação e desobstrução das calçadas para pessoas que tem problema de mobilidade e idosos? Bem, quero acreditar que os quatrocentos anos de São Luís não fiquem somente na queima de fogos, entendo que a cidade merece muito mais.

Portanto, Prefeito e Governadora, se mobilizem e saiam das comissões, o que só foi feito até agora. É comissão do Estado, do Ministério, do Município, do SEBRAE, do SLZ Convention Bureau, dos empresários e os cambaus, e até agora não se tem notícia de uma ação concreta para se comemorar essa data especial para a capital Patrimônio da Humanidade, que é São Luís, a ilha de encantos, que ultimamente não tem encantado ninguém.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Igrejas do Centro Histórico sofrem com assaltos frequentes


Virou moda. Agora assaltos constantes são feitos nas igrejas do Centro Histórico de São Luís. Nem os santos são mais respeitados, e a igreja católica já contabiliza a diáspora de fieis. A violência costuma aumentar nos fins de semana, quando a área fica deserta e a polícia não circula com assiduidade no local, o que facilita a ação dos bandidos. A insegurança também apresenta outros parâmetros.

Há uma semana, uma mulher ensandecida atirou pedras nas portas da igreja do Carmo, atemorizando a todos os que se encontravam no templo. “Isso aqui virou uma loucura, todo mundo correndo de um lado para o outro; aqui nesse abrigo do Largo do Carmo também fica um bando de cachaceiros e de drogados que fazem arruaça o dia inteiro, e as autoridades não tomam a mínima providência”, informou seu Antônio, mais conhecido como ‘14’, ambulante que trabalha na praça João Lisboa vendendo cartões telefônicos. Felizmente, ninguém saiu ferido.

O problema forçou os padres a tomarem providências drásticas. Homens armados, câmeras de segurança e grades nas portas e nas janelas são os mais novos acessórios dos templos, competindo no cenário com imagens e castiçais. Muitas missas de horários noturnos já foram suspensas. Quase a totalidade das 15 igrejas e capelas do Centro Histórico já foram vítimas de assaltos, o que revela o descaso para com São Luís, cidade considerada patrimônio histórico da humanidade, e que no ano que vem completará 400 anos de existência.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

É hora da População de São Luís tomar uma ATITUDE

Parabéns aos Editores da Revista Cazumbá por ter criado o “Cazombando”.
Finalmente existe um espaço nesta Cidade onde, além de poder desabafar o descontentamento com a realidade da nossa Cidade, pode-se também encontrar e com certeza reunir pessoas com o mesmo sentimento de impotência com o qual me deparo há tanto tempo.

Moro no centro de SLZ desde 1997 e o que se vê ano após ano nada mais é que a sua decadência, em vez de progredir ela vai sucumbindo a passos agigantados não pela erosão do tempo mais pela cruel Política da Desconstrução, pela total ingerência do Poder Público, pela total falta de Vontade Política e pela total falta de Sensibilidade e Amor pela Cidade destes Maranhenses Natos que não tem há mínima ideia do que estão provocando com este descaso histórico.

Estes “Ilustres” representantes do Povo, não tem a mínima ideia do imensurável valor Histórico que esta cidade representa não apenas para o Brasil, mais para o mundo todo, e o descaso existente é proporcional ao dano que está se provocando.
O descaso não é apenas Histórico, é também Social, Cultural, Arquitetônico e Ambiental.

Cadê a Prefeitura Municipal de São Luís?
O esgoto estourado não é apenas o da Praça dom Pedro II, é de todo o centro, como também é insuportável o fedor à urina por todo canto da cidade, se concentrando ainda mais no Centro Histórico nas redondezas onde se produzem os “Shows” ditos de Culturais, promovidos na maior parte apenas para beneficiar os representantes e fabricantes de cerveja que são os “Santos” patrocinadores de todos estes eventos.
Cadê o Ministério das Cidades?

O centro da cidade de São Luís deveria ganhar um Grande Premio a DESCRÉDITO por ser a pior cidade do Brasil para as pessoas com necessidades especiais, as quais não tem a mínima condição de se poder locomover, tanto é o descaso que até as faixas para pedestres já não mais existem.
Cadê o Poder Público?

É hora da População de São Luís tomar uma ATITUDE e evidentemente dentro da legalidade já que no mais podemos ficar olhando passivamente o desmoronamento deste Extraordinário Patrimônio Cultural da Humanidade.


Por:Serafín Fernández M. Layola
Guia de Turismo Regional – MA
Reg. 04989301811

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Ação de ativistas denuncia abandono da Fonte do Ribeirão

A Fonte do Ribeirão, um dos mais importantes cartões postais da cidade, localizada no Centro Histórico de São Luís, na esquina das ruas dos Afogados e do Ribeirão, vive um dos seus piores momentos. Abandonada pelo poder público municipal, agoniza em frente a uma fundação que se intitula de cultural (FUNC). Suas carrancas, em pedra lioz, de origem portuguesa, estão entupidas, o pátio interno do monumento se encontra imundo, pois o local se tornou abrigo de desocupados que lavam suas roupas, tomam banho, urinam e defecam ali, sem que as autoridades tomem a mínima providência sobre essa lamentável situação.

Para que se tenha uma clareza maior acerca do problema, cabe informar que a Fonte se encontra na área de tombamento federal. Cabe ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN realizar as restaurações dos bens tombados, enquanto que a conservação cabe ao poder público municipal, representado pela Prefeitura de São Luís. Nesse caso específico, o órgão ficaria responsável pela limpeza da Fonte, obrigação da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos – SEMOSP, e pela segurança do local, que ficaria a cargo da Guarda Municipal. Quando um desses órgãos é questionado sobre o assunto, joga a responsabilidade para o outro e nada se resolve. O entupimento das carrancas é de responsabilidade da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão – CAEMA.

Inconformados com a apatia do poder público, um grupo de artistas, moradores da área e simpatizantes resolveu agir e criou o movimento “Acorda Serpente”, uma alusão a uma das lendas mais significativas de São Luís. Diz a lenda que existiria uma serpente encantada que vive nas galerias subterrâneas da cidade e que a mesma cresce indefinidamente. Sua cabeça estaria na Fonte do Ribeirão, sua barriga por baixo da igreja do Carmo e a ponta da cauda na igreja de São Pantaleão. O movimento começou com um modesto café da manhã servido no dia 1º de fevereiro na parte externa da Fonte, reunindo artistas como Márcio Vasconcelos, Celso Borges, Chico Maranhão, Kátia Dias, Eduardo Cordeiro, Ana Borges, Christian Knepper, a trupe do Laborarte, Xama Teatro e Cia. Tapete, além da jornalista e ativista cultural Marília de Laroche, uma das articuladoras do movimento.

A ideia cresceu, circulou pela internet e na última quinta-feira, 10 de fevereiro, uma nova ação reuniu mais de uma centena de pessoas, dentre poetas, fotógrafos, artistas plásticos, atores, cineastas, moradores da área e simpatizantes. Novamente foi servido um café aos presentes, foi feita uma limpeza da fonte pelos presentes, ocorreram apresentações de Tambor-de-Crioula, performance do ator Uilmar Júnior com a ‘mulher babaçu’, performance com uma serpente de tecido, exposição de fotografia, participação da cantora Rosa Reis que entoou o Hino de São Luís, de autoria de Bandeira Tribuzi, e sonorização com o DJ Pedro Sobrinho.

Preocupada com a repercussão do movimento, a Prefeitura mandou uma equipe despreparada pintar de cal a parte externa da Fonte. A emenda saiu pior do que o soneto. O serviço foi de péssima qualidade, a tinta escorreu e manchou a parte das paredes pintadas de azul. As primeiras reivindicações feitas pelos ativistas para a Fonte do Ribeirão são: um guarda municipal pela manhã e outro à tarde para regulamentar o uso da Fonte, limpeza diária da Fonte e de seu entorno e colocação de um coletor de lixo que não interfira na imagem do monumento, limpeza da tubulação da Fonte para passagem da água pelas carrancas, pintura da Fonte, urgente, de forma competente e não de forma emergencial e sem critério algum, requalificação do entorno da Fonte, com a retirada do asfalto e colocação de calçamento original de pedra como já existe em frente ao monumento e em uma de suas ruas laterais.

A próxima mobilização já está com data marcada. Será no dia 25 d fevereiro, às 17h30. O 2º Ato pela Fonte já tem nome: SARAU com VARAL, que apresentará declamações de poesia e exposição de fotos em varais, expostos nas paredes da Fonte.

Praça da Sé totalmente entregue a flanelinhas e cachorros


Um vazamento de esgoto numa das áreas mais movimentadas da capital, uma fonte luminosa que há tempos deixou de funcionar, ruas alagadas por flanelinhas que lavam carros, roupas e até tomam banho. Ah, ainda tem os bancos da praça totalmente desbotados pelo tempo e pela falta de manutenção da Prefeitura. Somam-se a isto, alguns cachorros sarnentos, trombadinhas, disfarçados de guardadores de veículos que orientam motoristas a estacionar em fila dupla, entre tantas outras mazelas de uma das áreas mais visitadas do Centro da capital maranhense.

A Praça da Sé preocupa moradores e transeuntes que temem pela saúde das pessoas que circulam por lá, pois além dos cachorros doentes, ainda tem os esgotos estourados bem no início da praça, que há meses jorra água suja fétida. Isso acontece porque o sistema de esgotos da capital está saturado e ninguém faz nada, provocando indignação na comunidade e turistas.

Um turista paulista, que visitava nossa cidade pela primeira vez disse que é uma vergonha o que fazem com essa cidade. “Não se concebe uma capital cultural, que recebe milhares de turistas, ter essa receptividade bem em frente às sedes dos governos estadual e municipal”, disse Olavo Frontini indignado.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Aeroporto de São Luís – um telhado em forma de peneira

Inúmeros foram os posts e matérias que já fiz sobre a falta de condição de uso do aeroporto de São Luís e hoje mais uma vez esses problemas se evidenciaram. Com as fortes chuvas que caíram sobre a capital, algumas áreas da cidade foram alagadas, mas, acreditem, no aeroporto não foi diferente.

Quem passou hoje pelo Aeroporto Internacional Marechal da Cunha Machado, em São Luís, ficou bestificado com o estado lastimável do principal portão de entrada para o Estado. Eram inúmeras as goteiras, que alagavam toda a extensão do aeroporto, causando transtornos nas pessoas, que tentavam se abrigar dos vazamentos. E só não foi pior, porque a administração local espalhou baldes, latas e até sexto de lixo, para aparar as goteiras. E olha que tinha mais de 4 horas que a chuva tinha acabado.

Muitas lojas e agências de viagens foram fechadas e as pessoas tentavam se abrigar ou se proteger, evitando escorregar no assoalho molhado. É muita falta de vergonha. Até quando essa situação vai perdurar?

Na sua estreia na Câmara, Romário cita turismo


A estreia do ex-atacante Romário (PSB-RJ) na tribuna da Câmara do Deputados, nesta quinta-feira (10/2), em Brasília, deu uma mostra de que o "baixinho" pode ser mais um aliado do setor de Turismo. Embora seus compromissos de campanha tenham se baseado em ações para disseminação de práticas esportivas e em projetos para portadores de necessidades especiais, Romário não deixou de citar o turismo durante sua primeira fala no Congresso como deputado federal.

Ele lembrou que os grandes eventos esportivos são de grande importância para o desenvolvimento de alguns setores, incluindo o turismo. “São oportunidades que teremos para dar um salto nas áreas do Turismo e do Transporte. São oportunidades de disseminar a prática do esporte entre os jovens e incentivar a formação de atletas”, declara.

Fonte/foto:Jornal de Turismo

Museu da Gastronomia, uma obra que anda a passos de cágado


Quando do início da atual gestão da prefeitura de São Luís, verificou-se que a Secretaria Municipal de Turismo – SETUR tinha dois projetos que não estavam complementados, um do Museu da Gastronomia (situado na esquina da rua de Nazaré a rua da Estrela – Centro Histórico de São Luís) e outro da Sinalização Turística, ambos financiados pelo Ministério do Turismo, sendo que ainda estava para ser depositado o dinheiro para as obras do Museu, o que só aconteceu em fevereiro de 2009

Quanto ao projeto de Sinalização Turística, ainda não havia sido aceita a proposta técnica e o plano de trabalho pela Caixa Econômica Federal - CEF, que é o órgão que repassa o dinheiro para as obras.

No caso do Museu da Gastronomia, na ocasião, foi feita a apuração de toda a situação. Havia inicialmente uma empresa licitada que ainda não havia começado a obra porque logo que colocaram o tapume em volta do prédio verificou-se que o casarão ao lado ameaçava cair sobre o imóvel no qual será instalado o Museu, pois o mesmo apresentava uma infiltração muito grande. “A primeira ação que fizemos foi autorizar a empresa para sanar inicialmente esse problema que, depois de resolvido, permitiu o início das obras, em abril de 2009; de imediato, percebemos que seriam necessários 1 milhão e seiscentos mil reais para a conclusão do trabalho com alguns equipamentos, enquanto que o Ministério do Turismo havia repassado apenas 873 mil reais”, informa o Secretário Municipal de Turismo, Liviomar Macatrão.

Foram logo identificadas algumas falhas no projeto, alguns problemas no projeto conceitual e no projeto de engenharia, o que é normal em prédios do Centro Histórico, pois aparecem situações nesses prédios que não estavam previstas e que só aparecem quando se começa a mexer na estrutura do imóvel, e foram detectados ainda alguns equívocos no projeto inicial.

Dessa forma, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, a construtora, a Fundação Municipal do Patrimônio Histórico - FUMPH, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos - SEMOSP, que são parceiras da SETUR, tomaram conhecimento dos problemas. Por exemplo, no valor contratado, havia a previsão de 500metros quadrados de reboco, quando na verdade o prédio necessita de 1.812 metros quadrados de reboco.

Então, a obra foi paralisada e a empresa desistiu de continuar e terceirizou a obra. Foi solicitada à CEF a reestruturação de toda a planilha para que ficasse adequada a toda uma sequência de obra. Após a conclusão do procedimento e os encaminhamentos do trâmite burocrático, com nova aprovação pelo Ministério do Turismo e pela CEF, a obra foi retomada em 17 de novembro de 2010.

Além de contemplar os recursos que estavam disponíveis, mais 300 mil reais de recursos próprios serão necessários para a conclusão da obra física. “Com a análise do projeto inicial do projeto, vimos que o museu está num prédio que possui 4 andares, com gestões diferentes. Localizamos situações como montar um restaurante escola a 200 metros de um restaurante do mesmo tipo, no Centro Histórico. Não concordamos com essa proposta e, em parceria com o SEBRAE, foi contratado um diagnóstico de curadores, o que não havia sido feito anteriormente. Todo museu tem que ter um curador e essa figura não existia no projeto inicial”, complementa Liviomar Macatrão.

Após a contratação do Plano Curatorial, será definido o que haverá em cada ambiente do museu, com essa nova adequação do projeto, com a inclusão de coisas que antes não foram previstas como a impermeabilização do imóvel, instalação elétrica e hidrosanitária, com uma proposta de maior interação com os visitantes, prevendo-se também a questão da acessibilidade para cadeirantes, por exemplo. Serão revistas ainda a estrutura administrativa, o modelo de gestão e o aumento da área do museu para exposições de longa duração, dentre outras intervenções. Diante do exposto, verifica-se que o Museu da Gastronomia ainda vai demorar um bom tempo para começar a funcionar de verdade.

Se levarmos em conta que a atual gestão já está há mais de dois anos no poder, e que a gestão anterior prometeu que a obra sairia no prazo estipulado de 180 dias, o que não ocorreu, diante do andamento atual das obras a conclusão das mesmas está indefinida. A população e o trade turístico já esperaram mais do que o suficiente. Agora é torcer para que o museu seja inaugurado antes de São Luís completar 400 anos, em setembro de 2012. É ver para crer!

Foto:Divulgação

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Ex-ministro do Turismo assume presidência do SEBRAE


A importância das micro e pequenas empresas para a economia brasileira foi destacada durante a posse da nova diretoria do Sebrae e da presidência do Conselho Deliberativo Nacional. Em cerimônia realizada nesta quarta-feira (9), em Brasília, o novo presidente da instituição, Luiz Barretto, afirmou que os negócios de micro e pequeno porte somam quase seis milhões de empresas no país e empregam 53% da força de trabalho formal.

“As micro e pequenas empresas são as grandes geradoras de oportunidades de emprego e renda e também o motor do nosso mercado interno. E esse papel se torna ainda mais importante em momentos especiais, como o que estamos vivendo no Brasil”, disse Barretto.

A presidência do Sebrae foi transmitida a Barretto pelo ex-presidente da instituição, Paulo Okamotto. A cerimônia também marcou a transmissão do cargo de presidente do Conselho Deliberativo Nacional, que passou de Adelmir Santana para Roberto Simões. Os diretores Carlos Alberto dos Santos (diretoria-técnica) e José Claudio dos Santos (diretoria de administração e finanças) foram reconduzidos aos cargos ocupados na gestão anterior.

O evento contou com a participação de governadores, ministros, parlamentares, embaixadores, representantes do Executivo e de dirigentes e colaboradores do Sistema Sebrae.

Além dos diretores e ex-diretores da instituição, compuseram a mesa de apresentação os governadores Agnelo Queiroz (Distrito Federal) e Antônio Anastasia (Minas Gerais), o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT/RS).

Empossado na presidência do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae, Roberto Simões lembrou que ainda há um longo caminho a percorrer. “Enquanto os pequenos respondem por 20% do Produto Interno Bruto (PIB) no Brasil, na Argentina chega a 60%. Já se fez muito, mas ainda há muito a fazer para tornar o ambiente ainda mais favorável. Isso depende do nosso esforço”, afirmou.

Fonte:Agência Sebrae de Notícias
Foto:Divulgaçao/internet

Estudo analisará situação alimentar e nutricional de quilombolas

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) em parceria com a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) realizarão, neste ano, um levantamento sobre a segurança alimentar e nutricional de comunidades quilombolas tituladas entre 20 de novembro de 1995 e 14 de outubro de 2009. No total, serão avaliadas 173 comunidades em 14 estados.

O estudo, previsto para ser divulgado em novembro deste ano, revelará o perfil nutricional de crianças menores de cinco anos. Para isso, todas serão pesadas e medidas. Ademais, a população quilombola ainda responderá a perguntas sobre alimentação, situação socioeconômica e como é o acesso a programas, serviços e benefícios do Governo.

Cerca de 11.070 famílias serão avaliadas. As comunidades quilombolas que serão objeto do estudo receberam o título de posse coletiva entre 1995 e 2009. Ao todo, comunidades de 14 estados serão contempladas na pesquisa: Pará, Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Amapá, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Sergipe, Minas Gerais, Piauí e Rio Grande do Sul.

Ronaldo dos Santos, líder da comunidade quilombola Campinho da Independência (RJ) e representante da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), reconhece a importância do estudo, mas lembra que as questões das comunidades não podem ficar apenas no papel. "A pesquisa é importante por levantar indicadores, mas ela por si não resolve problema algum”, destaca.

Para o coordenador da Conaq, é preciso mais investimento em projetos de desenvolvimento local que garantam a soberania dos quilombolas. "Falta investimento nas experiências locais”, observa. A atenção com a saúde também é uma demanda dos quilombolas. De acordo com ele, "a maioria absoluta” das comunidades não possui posto de saúde.

Por conta disso, Ronaldo aproveita para chamar atenção do atual Governo para as demandas da população quilombola. "O novo Governo precisa colocar a questão quilombola como prioridade, senão a gente fica do jeito que está ou retrocede”, comenta.

Chamada Nutricional
Essa não é a primeira vez que a situação nutricional de comunidades quilombolas é pesquisada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Em 2006, o MDS, em parceria com a Seppir, o Ministério da Saúde e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), realizaram a "Chamada Nutricional de Crianças Quilombolas Menores de Cinco Anos de Idade”.

O estudo avaliou 2.941 crianças de 60 comunidades em 22 unidades federativas e concluiu que os quilombolas menores de cinco anos formam o "grupo com altos riscos de desnutrição, igualando-se às crianças do Nordeste urbano de uma década atrás (1996).” Em relação à desnutrição infantil, o estudo conseguiu analisar 2.723 crianças. Desse total, 11,6% apresentaram déficit na relação entre altura e idade, e 8,1% tinham déficit de peso.

Com informações do MDS

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ministro do Trabalho é favorável a inserção do Turismólogo na CBO


Nesta tarde (08/02) o Ministro do Trabalho e Emprego recebeu o Instituto Brasileiro de Turismólogos na esplanada dos ministérios em Brasília, DF.

Acompanhado de técnicos e assessores do ministério, que após avaliação do processo de inserção do Turismólogo na Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, iniciado pelo Instituto em 2010 (processo número 40.000.021820/201016), obteve parecer favorável do ministério.

O processo chega a sua etapa final, que consiste na contratação de uma instituição externa, através de convênio, que resultará um segundo estudo e parecer, para então anunciar o reconhecimento deste profissional pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Não foi informado o prazo, mas foi notório o empenho da equipe ministerial.

Foi solicitado o apoio do Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT, para realização de cursos técnicos de especialização voltados aos turismólogos, que também obteve parecer favorável e uma nova reunião será agendada para as próximas semanas onde será apresentado um projeto.

Fonte:http://turismologos.org.br
Foto:Divulgação

41º Congresso do Skal é aberto com homenagens



A presidente do Skal Internacional do Brasil, Ana Carolina Medeiros, comandou ontem a abertura do 41º Congresso Nacional do Skal, que acontece a bordo do Costa Serena, navio que hoje ancora em Salvador, passando depois por Ilhéus, Ilhabela e retornando a Santos e Rio de Janeiro. Em seu discurso, rápido e objetivo, a presidente ressaltou algumas conquistas desse seu primeiro ano de gestão, como o retorno de associados e bem-sucedidos encontros de trabalho realizados em três localidades brasileiras: São Luís (MA), Araxá (MG) e Gramado (RS).

Ana Carolina também falou da proposta inovadora e desafiadora de levar o evento para dentro de um navio, o que acontece pela primeira vez este ano. “Para vocês terem uma ideia do que significa estarmos aqui, o congresso mundial do Skal costuma ter 500 participantes. Estamos aqui, no nacional, em 243 pessoas”, disse a dirigente.

“Às vezes para uma entidade tão longeva, é muito complicado manter seu dinamismo e é isso que seguimos buscando”, destacou, agradecendo o apoio e particição, lembrando que fez parte do Skal Jovem, quando mais nova, e com isso busca agregar ao clube – ou retomar – conceitos e valores aprendidos desde aqueles tempos.

Os vice-presidentes José Maurício Gomes e Nylvando Oliveira também tiveram a palavra. Gomes, mineiro que já foi presidente nacional, disse do quanto a alternância de poder é saudável e como é importante Ana Carolina levar seu espírito jovem e inovador para o Skal. Nylvando Oliveira, que também é o anfitrião do 41º Congresso (apesar de boa parte ser no mar, a sede do evento é o Rio de Janeiro, onde aconteceu o embarque e o primeiro dia do congresso). “Oitenta por cento das coisas acontecem porque a gente quer. E a Ana é uma prova disso”, disse.

Na solenidade, o secretário de Estado de Turismo do Maranhão, Tadeu Palácio, contou o motivo de estar presente. É que o 42º Congresso Nacional do Skal será em São Luís, com tours para localidades próximas, como os Lençóis Maranhenses. “Vim aqui não apenas para ressaltar as atrações do Maranhão, nosso rico folclore e a receptividade de nosso povo, mas também trazer a palavra da governadora Roseana Sarney, que está muito animada com o evento e a possibilidade de agregar ao turismo do Estado nacionalmente”, disse, ressaltando que seu desafio será receber um congresso tão bom quanto está sendo esta edição.

Mas Palácio provou o quanto fala sério e já trouxe um pouco do Maranhão para o navio – a Companhia Barrica Teatro de Rua participou da festa por sua iniciativa e, para isso, foi preciso trazer a bordo 24 participantes para mostrar a riqueza do folclore, da dança e da música do Maranhão. A atração empolgou os presentes. “Esse é um gostinho do que vocês vão ter em São Luís”, concluiu.

Ana Carolina Medeiros aproveitou a oportunidade ainda para prestar algumas homenagens e reconhecimento da entidade. Receberam troféus e placas do Skal a Costa Cruzeiros, pelo apoio à realização do evento; o presidente do Skal-MG, Antônio da Matta, como o clube mais participativo e com a delegação mais animada; Nylvando Oliveira, do Skal anfitrião, o RJ; Enid Câmara, por sua atuação à frente do Skal-CE; o skalega Antônio Bluvol, por sua história com a entidade – ele esteve representado pelo filho Enrico; o presidente da PANROTAS, Guillermo Alcorta, pelo apoio e reconhecimento na promoção das ações do Skal; e a secretária Aline Martini, por sua dedicação ao clube.

Compuseram a mesa da cerimônia solene de abertura Deyne Dantas, da Costa Cruzeiros, os membros honorários do Skal, Manoel Silva e Isaac Haim, os vice-presidentes José Maurício Gomes e Nylvando Oliveira, a past-president Sonia Vidinhas, a presidente Ana Carolina, e o secretário Tadeu Palácio.

Texto e fotos: Site Panrotas

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Maranhão na rota do Fantástico


De repente a globo descobriu o Maranhão. Nos últimos programas da emissora Venus platina, sempre tem algo sobre o Estado. São presídios onde presos são decapitados; ônibus, que não respeitam cadeirantes; delegacias sem a mínima condição de atender às comunidades, onde os presos são colocados em jaulas; etc. e tal. A cada chamada do programa, tem sido um tapa na cara dos maranhenses, que assistem e depois se indignam com tamanho desrespeito cometidos por parte de quem tem o dever de zelar e prover as necessidades da própria coletividade, que a tudo assiste e não toma nenhuma providência.

O programa Fantástico apontou, em reportagem veiculada na noite deste domingo (06), o problema do lixo nas praias do Brasil, que tem a praia de Copacabana como uma das mais sujas do País, com 2.800 quilos de lixo por km. Conhecida como símbolo do turismo brasileiro, Copacabana atrai turistas de todos os continentes e será centro das atenções das Olimpíadas de 2016.

Mas a reportagem mostrou que a praia carioca não é exceção. No litoral nordestino a situação é bem pior. A praia do calhau, na área nobre da capital maranhense, foi recolhido 3 toneladas de lixo por km², num único final de semana, perdendo somente para a praia de Piantan, na Bahia, com 3.390 quilos de lixo. Ainda bem que a reportagem não foi às praias do Olho d’Água, Caolho e outras, que sem sombra de dúvidas a sujeira recolhida seria bem maior.

O problema do lixo e esgotos, despejados in natura, nos logradouros públicos, e em especial nas praias, é uma realidade que todo maranhense conhece. Há bem pouco tempo atrás, muitas destas praias foram interditadas, mas ficou somente nisso. Até mesmo as placas que sinalizavam que eram impróprias para banho, foram arrancadas, ficando em seu lugar a sujeira e o odor.

A mídia cumpre seu papel que é informar, mesmo que isso mexa nos brios de muitos de nós que amamos essa terra, e não aceitamos de bom grado os desmantelos, os quais só denigrem essa gente simples, ordeira que também sabe se indignar.

Ao poder público, que se movam e saiam de sua zona de conforto e dê respostas a tamanhos descalabros, para que amanhã a mesma reportagem não retorne ao Estado e perceba que nada foi feita para melhorar essas situações degradantes que envergonham todos nós. a final, se o lixo define quem somos, não é por é causa de uma minoria, sem consciencia, que joga seu lixo em qualquer lugar que ficaremos conhecido como um povo sujo e que não sabe da destinação correta ao seu lixo.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O Maranhão ESQUENTA o programa da Regina Casé


Uma grata satisfação foi o que senti ao ligar a TV neste domingo e ver o Maranhão no Programa Esquenta, apresentado por Regina Casé. Nossa maior representante, a nossa embaixatriz cultural, Alcione, conhecida nacionalmente como Marrom, que com seu encanto e maranhês contagiou toda a platéia do programa. Na sequência, ainda, teve um número com um artista imitando seus trejeitos de cantar. Foi hilário!

Cenário decorado com as cores do Maranhão e o Bumba-meu-boi do Oriente, sotaque de zabumba, umas das maiores expressões culturais do Estado, e, ainda, a gastronomia tradicional do Maranhão, representada pela irmã da Marrom, que levou ao Projac a Base da Ivone, que preparou o arroz de patipuru, oriundo da região de Caxias, guarnecida com torta de camarão feita à moda maranhense, deixando todos os presentes e até mesmo os espectadores com água na boca.

O programa todo foi de homenagem ao samba e a cultura do Maranhão. A apresentadora vestia uma indumentária dos amos do bumba-meu-boi, as crianças do programa, tinham fitilhos usados nas roupas dos brincantes do boi, além da participação de artistas, como a primeira dama do samba do Brasil, Ivone Lara, que num diálogo com Alcione e Regina, exaltaram a figura da mulher e suas conquistas ao longo dos anos no Brasil.

O programa do início ao fim foi expressão do Maranhão. Regina falou que uma das maiores alegrias de sua vida foi ter passado as festividades juninas em São Luis, falou de sua admiração pela quantidade de terreiros/arraiais na cidade. Alcione, falou da quantidade de bois da capital, que os cadastrados, chegam a 400 e durante todo o programa, a Marrom fez dueto com Dona Ivone Lara, Belo, interpretando alguns dos seus maiores sucessos. O programa teve ainda a participação da esposa do cantor Belo, a bela Gracyanne, que sambou divinamente e a atriz Claudia Raia, falando um pouco de sua vida.

O programa é uma mistura de ritmos, de sotaques de expressões, de gente, ou melhor, um programa sem frescura, sem preconceito. Em suma, o programa Esquenta, a platéia participa, não segue a nenhum padrão, é o que faltava na TV brasileira, que nos últimos anos, estava restrito em programas, assistencialistas, de besteiróis assexuados. Que diga, Faustão, Gugu, Ana Hickmann, Eliana, entre outros.

Fotos:divulgação/internet

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Max Barros discute revitalização do Centro Histórico com o ministro Edson Lobão


O deputado estadual Max Barros (DEM) e o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, discutiram, na tarde desta sexta-feira (4), medidas para a revitalização do Centro Histórico de São Luís.

A intenção é preparar um dos mais visitados pontos turísticos da capital para o aniversário de 400 anos, como determinou a governadora Roseana Sarney (PMDB).

Em audiência na Esplanada dos Ministérios, Barros solicitou do MME apoio para o projeto de retirada das redes elétrica e telefônica de toda a cidade antiga, especialmente na Rua Grande, e transformá-las em redes subterrâneas.

Segundo o deputado, essa intervenção melhoraria o aspecto visual de todo o Centro Histórico, valorizaria o endereço e contemplaria a revitalização da área. Ele avaliou como positiva a reunião como o ministro Edson Lobão.

“A visita que fizemos ao ministro Edson Lobão foi muito proveitosa. Ele mostrou receptividade ao nosso projeto, principalmente porque é uma medida que contribuirá para a preservação de toda a área do Centro Histórico, revitalizando um dos principais cartões postais da nossa cidade para prepará-la para os seus 400 anos”, afirmou.

Barreirinhas
Ainda durante a tarde, Max Barros reuniu-se com o presidente da Infraero, Murilo Marques Barbosa. Em pauta, melhorias para o Aeroporto de Barreirinhas, como a recuperação das pistas de pouso de decolagem e climatização de todas as instalações do aeroporto – já em andamento a pedido da governadora – e a construção de terraço panorâmico e duplicação das áreas de embarque e desembarque.

“O presidente garantiu a recuperação das pistas e a climatização do aeroporto, até porque isso já está adiantado, e confirmou que na próxima semana deve enviar um diretor para conversar com a governadora e tratar da ampliação das áreas de embarque e desembarque, projeto no qual está contemplada a construção do terraço panorâmico”, completou.

Reproduzido do Blog de Gilberto Leda

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Empresários e Secretaria de Turismo em rota de colisão em Barreirinhas

O clima não está nada amistoso entre os empresários de turismo de Barreirinhas e a administração municipal, devido a algumas imposições da administração do Prefeito Albérico, que, de uma hora para outra, resolveu cobrar impostos nunca antes cobrados no município e, em especial, as taxas de serviços de turismo.

Tudo começou ainda na gestão passada, que contratou uma consultoria do Mato Grosso, para estudo e implantação de um voucher nos serviços de turísticos do município, bem como outras taxas que onera os já tão sacrificados prestadores de serviços e empresários do setor, provocando um descontentamento geral.

De acordo com alguns empresários, a Prefeitura decidiu cobrar a partir de agora, todos os impostos que incidem sobre esses serviços, que tem de ser pagos na fonte, ou seja, os prestadores de serviços já descontam dos guias, toioteiros, entre outros, no momento de prestar os serviços. Os empresários entendem que a Prefeitura até pode cobrar esses impostos, mas que fosse dado um prazo para adaptação e conversa com outros prestadores de serviços de outras localidades que já compraram hospedagem e passeios nos Lençóis Maranhenses com antecedência.

Veja os valores que segundo os empresários a administração quer colocar em vigor a partir de agora: R$ 2,00 cobrados por hóspede nos meios de hospedagens, 3% nos vouches, ou seja, no total dos valores cobrados. Esses valores deverão ser repassados para a Prefeitura para atender um decreto municipal e os empresários já não sabem a quem recorrer.

Dizem, ainda, que a secretária de Turismo, Kátia Lima, está ameaçando aplicar multa em quem não aplicar esses valores e percentuais, e, ainda tem a cobrança do IPTU que nunca tinha sido cobrado e hoje quem quiser renovar alvará de funcionamento ou emitir qualquer nota fiscal, tem de pagar 5 anos de impostos atrasados, e quem não pagar, não tem os serviços liberados.

Em conversa com a Secretária Kátia Lima, ela informou, que nada do que está sendo cobrado é novo. De acordo com ela, a lei 564 de 2 de janeiro de 2007, foi discutida exaustivamente com esses empresários em inúmeras reuniões com o Conselho Municipal de Turismo, antes de sua ascensão na pasta e que o conselho é formado por 4 pessoas do poder público e 7 da iniciativa privada.

Falou Kátia: “a cobrança desses impostos é uma maneira de controlar quem realmente trabalha com seriedade, além de evitar os atravessadores. Os recursos serão aplicados numa conta especial que será administrada pelo conselho e que essas medidas vem sendo discutidas desde 2007, quando foi criado e implantado o voucher, e que só não tinha entrado em vigor antes porque se esperava a implantação da lei geral do turismo, que rege todas as atividades do setor.

E completa: “os empresários foram avisados que a partir de janeiro de 2011 essas cobranças começariam a valer. Mesmo assim, a administração municipal resolveu começar a cobrar a partir de março, com um período de adaptação, que é até junho de 2011, para que se corrijam eventuais problemas no sistema”.

Sobre a cobrança do IPTU, a secretária falou que não é atribuição sua e que o prefeito não pode abrir mão dessa cobrança, sob pena de responsabilidade fiscal, uma vez que a lei que rege essa cobrança é federal, cabendo ao município somente fixar os valores.

Seção besteirol: Revelação



Mesmo não sendo amante das cevadas ou qualquer tipo de aguardente, mas como bom jornalista que sou, tive acesso a um dossiê ultra-secreto sobre as tais bebidas e resolvi expor aos meus leitores para que tire suas conclusões. No documento, uma entrevista reveladora e surpreendente que vai deixar muita gente de queixo caído. Só espero não ser processado por tais revelações:

1- A CERVEJA MATA?
Sim. Sobretudo se a pessoa for atingida por uma caixa de cerveja com garrafas cheias. Anos atrás, um rapaz, ao passar pela rua, foi atingido por 1 caixa de cerveja que caiu de um caminhão levando-o a morte instantânea. Além disso, casos de infarto do miocárdio em idosos teriam sido associados às propagandas de cervejas com modelos.

2 – O USO CONTINUO DO ALCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS?
Não, o álcool é a mais pesada das drogas: uma garrafa de cerveja pesa cerca de 900 gramas.

3 – CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA?
Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados preferem whisky

4 – MULHERES GRÁVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO?
Sim. Está provado que, nas blitz, a polícia nunca pede o teste do bafômetro pras gestantes… . E se elas tiverem que fazer o teste de andar em linha reta, sempre podem atribuir o desequilíbrio ao peso da barriga.

5 – CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS?
Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada 1 caixa de cerveja para cada um beber e, em seguida, foram colocados um por um diante do espelho. Em nenhum dos casos, os reflexos foram alterados.

6 – EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE BEBIDA E ENVELHECIMENTO?
Sim. A bebida envelhece muito rápido… Para se ter uma idéia, se você deixar uma garrafa ou lata de cerveja aberta ela perderá o seu sabor em aproximadamente quinze minutos.

7 – A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR?
Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas com a venda de cerveja nas cantinas e bares na esquina.

8 – O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES?Inúmeras pesquisas vinham sendo feitas por laboratórios de renome e todas indicam, em primeiríssimo lugar, o garçom.

9 – A CERVEJA CAUSA DIMINUIÇÃO DA MEMÓRIA?
Que eu me lembre, não.

Max Barros garante verba para Prodetur e “Rota das Emoções”


Em visita ao ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB), quinta-feira (3), o secretário de Estado de Infraestrutura, Max Barros, garantiu verbas do Governo Federal para a inclusão do Maranhão no Prodetur e a recuperação da BR-402, no trecho entre Barreirinhas e Pirangi, passando pela localidade Barro Duro, em Tutóia. É a chamada Rota das Emoções.

O ministro confirmou a Max Barros que haverá a inclusão de 20 municípios maranhenses no Programa de Desenvolvimento do Turismo. Para isso, serão viabilizados recursos da ordem de US$ 40 milhões.

“O Maranhão tem crescido nas áreas industrial e de comércio e o turismo não poderia ficar para trás. Esses recursos vão possibilitar ao estado o início de um ciclo de desenvolvimento do turismo”, afirmou o secretário de Infrasestrutura.

Rota das Emoções

Para a infraestrutura rodoviária, o projeto é recuperar a BR-402 entre Barreirinhas e o povoado Pirangi, na divisa do Maranhão com o Piauí.

A idéia é reativar a chamada “Rota das Emoções”, que engloba Jericoacoara, o Delta da Parnaíba e os Lençóis Maranhenses.

Max Barros continua em Brasília até esta sexta-feira (4), onde busca mais recursos para investimentos no Maranhão.


Fonte Blog do: gilbertoleda.com
Foto:Divulgação

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Eleições da Assembléia: sentados à beira do rio a espera de cadáveres, será que existem?

Passado a euforia da eleição da mesa diretora da Assembléia Legislativa do Maranhão, a casa ainda vive a contar o rescaldo do pleito, com alguns deputados ocupando a tribuna, falando dos bastidores e atuação de cada grupo ou parlamentar, nesta que está sendo chamada de “A mais espetacular eleição do legislativo maranhense”. Assim, pode ser contada a primeira semana desta nova legislatura.

Entre discursos inflamados e conciliadores, alguns deputados vêem os últimos acontecimentos como uma chuva de verão, aquela repentina e torrencial, que chega, enche rios e córregos, alaga casas, destrói plantações e desabriga famílias provocando um caos, e, ao final, se leva algum tempo para se reconstruir tudo o que se perdeu. Alguns destes desabrigados, ficam a pensar como se refazer. Outros ficam sentados à beira do rio a procura de cadáveres.

Sabe-se que três deputados já pediram para sair do grupinho. Para alguns, esses parlamentares não resistiram à pressão e neste primeiro momento resolveram se refazer sozinhos, mas sempre com apoio as ações e medidas do governo.

Assim, podem ser comparados os fatos que culminaram com a vitória do Deputado Arnaldo Melo e o grupinho, ou novos deputados, que contrariando orientações de caciques e mentores de suas candidaturas se rebelaram e mostraram a que vieram no parlamento maranhense.

Para o Deputado da base governista Vitor Mendes, é do parlamento esse comportamento. Ele mesmo conta que já passou por isso há quatro anos na sua primeira legislatura. “Essas divergência são naturais, agora realmente foi um fato atípico, foi uma eleição diferente, mas com o diálogo, com o tempo consegue-se resolver, aparar as arestas. É deixar um pouco o tempo andar e tudo vai ser resolvido”, disse. E completou: “Foi uma chuva, mas não tiveram alagados e nem desabrigados e muito menos cadáveres na beira do rio. Foi um processo que aconteceu, e que o diálogo e bom senso vão predominar e contornar essa situação”.

Perguntado sobre possíveis retaliações, o Deputado respondeu que não acredita em retaliações, sendo categórico: “A decisão da governadora não é de retaliar ninguém, ela é uma pessoa democrática, já foi líder de governo, foi líder do PMBD, já está acostumada a essas opiniões e divergências. E uma pessoa que quer fazer o melhor governo de sua vida sabe que precisa conciliar e não retaliar”.

Para o Deputado de oposição Rubens Jr. esse é um momento de união independente de quem votou em qual bloco, para que todos construam um mandato que valorize ainda mais o Poder Legislativo, onde quem ganha é a sociedade maranhense. “Foi apenas um indicativo a partir da eleição da mesa diretora, independente da formação dos blocos, esse sentimento persistirá durante toda a legislatura. Estou bastante otimista com esse novo mandato. Entre mortos e feridos, quem ganhou foi o Poder Legislativo”.

Perguntado sobre o comportamento desses novos deputados, Rubem respondeu: “Eles foram determinantes no momento de maior turbulência, justamente nas eleições da mesa diretora eles se mostraram independentes, isso me dá certeza absoluta que durante todo o mandato haverá essa independência”. E continuou: “A maioria dos deputados é do governo, nós que somos de oposição respeitaremos essa posição política deles, mas com a certeza de que essa assembléia é uma assembléia diferente, por conta da renovação de 50%, e pela autonomia demonstrada na eleição da mesa diretora”.

Desvio de dinheiro: Prefeito de Barra do Corda é acusado de desviar R$ 50 milhões

Polícia Federal está a procura do prefeito da cidade para cumprir os mandados de prisão temporária. Familiares do político também estão envolvidos nas investigações.

Polícia Federal do Maranhão deflagra a “Operação Astiages” na cidade de Barra do Corda, localizada a 425 km da capital. A operação é comandada pelo Grupo de Repressão aos Crimes Financeiros e Lavagem de Dinheiro – GRFIN da Superintendência Regional de Polícia Federal no Maranhão.

Nas primeiras ações foram apreendidos vários objetos de valores, veículos de luxo e até um avião, que seriam de propriedade do prefeito da cidade, Manoel Mariano de Sousa, mais conhecido como “Nenzim”. Segundo informações ele, e alguns familiares, estão sendo procurado pela PF.

Estão participando da “Operação Astiages” mais de 100 policiais federais de dois estados e do Distrito Federal (Maranhão, Piauí e Brasília), no cumprimento de 30 mandados, sendo 18 de busca e apreensão e 12 de prisão temporária. De acordo com informações preliminares, dos 30, nove mandados foram cumpridos.

Somente pelas investigações iniciais já se constatou a movimentação de aproximadamente R$ 50 milhões originados da Prefeitura de Barra do Corda sem destinação definida, ou seja, os envolvidos são acusados de desvio de recursos federais.

Uma entrevista coletiva ocorrerá na sede da Superintendência Regional de Polícia Federa para revelar o balanço geral às 16h. A PF é localizada na Avenida Daniel de La Touche, número 4000, Cohama.

Nome
A “Operação Astiages” recebeu esse título em referência a um Rei Medo (império da Média-Persia) que governou de 585-550. ASTIAGES, em grego, significa “destruidor de muralhas”, mas em babilônio significa “SAQUEADOR DE CIDADES”, e seu nome ainda deriva do Deus de Marte, que assolava e destruía cidades de 747 a 557 a.C.

Fonte:http:oimparcialonline.com.br

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Brasil não está preocupado com a sinalização turística


A comprovação está na coluna Mercado Aberto, da Folha de São Paulo, de hoje: "A sinalização é o principal problema enfrentado pelos turistas no Brasil, mas a melhoria do serviço não é prioridade para a Copa do Mundo."

O texto informa que de 2004 a 2009, 25,1% dos estrangeiros entrevistados em estudos do Ministério do Turismo e da Fipe criticaram a clareza das placas no país. O número seria ainda pior se não computasse turistas que falam espanhol e entendem apenas parte da sinalização, diz o presidente da Embratur, Mário Moysés.

Para o governo federal, porém, não há urgência. "São obras executadas em pouco tempo", diz o diretor do Ministério do Turismo José Augusto Guedes Falcão. A consultora da FGV-RJ Laura Monteiro afirma que o estrangeiro não consegue chegar às atrações turísticas. "Ele volta dizendo para amigos trazerem GPS ao Brasil." As cidades brasileiras têm a obrigação de implantar sistemas multilíngues, diz Moysés. "Com a Copa, teremos um legado permanente."

Fonte: Site Destino sol

A Evolução da Educação:

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia...
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas...

Leiam o relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.
Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.
Por que estou contando isso?
Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

7. Em 2010 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder).
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00


E se um moleque resolver pichar a sala de aula e a professora fizer com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.

- Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável:
“Todo mundo está 'pensando'
em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que se 'pensará'
em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A banana comeu o macaco - noviços se articulam e derrotam os cardeais da Assembléia Legislativa do Maranhão

É sabido que os elefantes possuem a curiosa capacidade de se reconhecerem, quando em frente a espelhos, e que os camundongos sentem compaixão quando observam companheiros de gaiola sofrendo. Apesar desses estudos parecerem meras curiosidades do mundo animal, eles revelam que certos animais, assim como os humanos, possuem um certo nível de auto-consciência e quando afrontados conseguem fazer coisas imagináveis.

Assim, pode ser contada a eleição para a mesa diretora da Assembléia Legislativa do Maranhão, que durante três meses teve um "virtual presidente de consenso", com apoio da maioria dos deputados e partidos, e se mostrava coeso entorno de uma liderança. Ou seja, os deputados com mais de um mandato, achavam que somente eles poderiam fazer a Presidência da casa, subestimando o poder de articulação dos novos eleitos, os chamados deputados “noviços” ou “novos patos”.

Esqueceram os “cardeais” ou deputados passados na casca do alho, que o mau do sabido é achar que todos que estão em sua volta são bestas. Ou seja, os deputados antigos não trataram os “patinhos novos” como leitores. Enquanto isso, os noviços estavam “tomando leite de onça”, que, segundo os mais antigos, é um leite mais consistente, mais forte, que alimenta melhor. Isso ficou comprovado hoje, quando esses novos “patinhos” tomaram conta da lagoa e deram um banho nos “patos velhos”.

A chapa vitoriosa foi um exemplo de resistência. Quando tudo convergia para uma eleição unânime em torno do Deputado Ricardo, eles se mostravam unidos, resistentes às investidas, às cooptações, aos cargos. Durante esse tempo de quase três meses entre a eleição e a posse, os “noviços” se movimentavam como se fossem deputados de longas datas, pois tiveram uma capacidade de aliança que fez a diferença.

Mas onde entram a banana e o macaco? Entra na seguinte questão. O Deputado Arnaldo Melo, não precisou chamar nenhum deputado para fazer sua campanha à presidência da casa. Os novos deputados, irmanados com dois ou três mais antigos, se encarregaram de fazer isso, entregando a cabeça da chapa de mãos beijadas ao Deputado Arnaldo, que sem nenhum esforço olímpico, só teve que se articular dentro do grupo e correr para o abraço.

A vitória do Deputado Arnaldo Melo, pode ser considerado um coroamento pelos cinco mandatos ininterruptos no parlamento maranhense. as lutas em favor de uma Assembleia mais justa. Foi também uma vitória da humildade. Enquanto alguns se assoberbavam e cantavam vitória antes da hora, subestimando os novos deputados, tentando enfiar goela abaixo nomes de candidatos já conhecidos e viciados com causas que não engrandecem o parlamento maranhense.

Assim, esses deputados disseram não, mostrando ao resto da Assembléia que eles tem vontade e assim elegeram um candidato, que para a maioria é o melhor para a casa. Assim sendo, as eleições para a mesa diretora da Assembléia Legislativa do Maranhão, pelo menos desta vez a banana comeu o macaco.