quinta-feira, 30 de junho de 2011

ABIH Maranhão entrega doações ao Asilo de Mendicidade de São Luís


Alegria e muita gratidão. Assim foi marcada a entrega dos alimentos arrecadados pela Associação Brasileira de Indústria Hoteleira (ABIH), seccional Maranhão, durante a palestra “Método de Análise do Retorno da Capital” e o workshop “Gestão Comercial Hoteleira – Vendendo Mais e Melhor”, ambos realizados nos dias 10 e 11, no Gran São Luís Hotel.

A entidade contemplada foi o Asilo de Mendicidade de São Luís, que abriga atualmente sessenta idosos com mais de 65 anos, que na maioria das vezes, não possuem família ou são abandonados. A iniciativa visou estimular a responsabilidade social. "É com muita alegria que fazemos essa entrega; é uma forma de ajudar os nossos idosos que trabalharam a vida toda. Para nós é muito gratificante", disse Gervásio Ribeiro, presidente da ABIH-MA.

A mesma opinião é compartilhada pelo Diretor e Tesoureiro da entidade, Nagib Ribeiro. "Sabemos de todas as carências deste lugar. O ato de doar faz bem; esperamos que outras entidades do setor possam também ajudar", falou.

O Asilo de Mendicidade, gerido pela Senhora Maria do Socorro Costa, ficou radiante com as doações. "Ficamos felizes e agradecidos pela doação. Elas são essenciais para manter os serviços prestados aos idosos", comemorou Maria do Socorro.

Fundado há mais de 90 anos, o Asilo de Mendicidade é uma entidade filantrópica mantida pela Loja Maçônica de São Luís e cuja única renda alternativa são as doações. Representando um lar para 60 idosos, o Asilo se preocupa em ocupar a rotina dos internos com ginástica, Tai-Chi, Fisioterapia e outras atividades que contam com apoio de convênios externos com universidades. O consumo de alguns itens, como os de higiene e de alimentação - principalmente leite desnatado, margarina, suco e extrato de tomate, é diário e a necessidade deles é contínua. O asilo está localizado na rua das Paparaúbas, s/nº, Sítio Pedreiras, São Francisco.

Mais fotos:



quarta-feira, 29 de junho de 2011

Flávio Dino assume Embratur


A Embratur tem oficialmente, a partir desta quarta-feira, um novo comandante. Flávio Dino assumiu a presidência da autarquia do Ministério do Turismo substituindo Mário Moysés, que prestou importantes serviços ao setor nos últimos quatro anos.

Segundo Dino, os desafios na promoção internacional do produto turístico brasileiros são muitos, mas sua vasta experiência nas áreas política e jurídica o credenciam para o cargo. “Vamos dar continuidade ao trabalho de promoção que tem sido positivo e, em conjunto com o corpo técnico do MTur, superaremos os obstáculos e mostraremos a competência do Brasil na realização dos grandes eventos esportivos”, garantiu.

O novo comandante da autarquia destacou a diversidade dos produtos turísticos brasileiros e a responsabilidade de promovê-los ao redor do mundo. Além disso, salientou que as ações seguirão as diretrizes no PNT (Plano Nacional de Turismo) e, consequentemente, do Plano Aquarela. “O trabalho será voltado a alcançar metas ousadas para os próximos anos, como dobrar o números de visitantes estrangeiros e triplicar a geração de divisas no País”, afirmou.

Para ele, a Copa e as Olimpíadas são grandes oportunidades para deixar legados materiais, com a ampliação da infraestrutura, por meio de investimentos em aeroportos, rede hoteleira, saneamento e segurança pública, e também legados imateriais, como a consolidação da imagem do Brasil no mercado turístico internacional.

O ex-presidente Mário Moysés relembrou sua marcante passagem pelo setor de turismo, onde ocupou os cargos de chefe de gabinete da ex-ministra Marta Suplicy, a secretaria executiva na gestão de Luiz Barretto, no MTur e a presidência da Embratur, ao lado do ministro do Turismo, Pedro Novais.

“O turismo é um instrumento para combater a desigualdade social, gerar renda e empregos. O Governo tem investido nos últimos anos para isso com o apoio da iniciativa privada. Para que os números do setor continuem a crescer, é preciso uma promoção agressiva no exterior e investimentos em infraestrutura. Tenho confiança que Flávio Dino trará renovação e aprofundamento da promoção internacional para que o turismo alcance um novo patamar no cenário nacional”, afirmou.

O ministro do Turismo, Pedro Novais exaltou a atuação de Moysés na Embratur e demonstrou confiança na continuidade do trabalho da autarquia. “Os números do setor são positivos. Por exemplo, entre 2005 e 2010, o número de viagens domésticas cresceu 34%. O novo presidente veio para somar na grande missão de desenvolver o turismo nacional”, disse.

Participaram também da concorrida solenidade de posse o ministro da Defesa, Nelson Jobim, o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Moreira Franco, o deputado federal Henrique Alves, líder do PMDB na Câmara, o deputado federal Renato Rabelo, presidente Nacional do PCdoB, o ex-ministro do STF, Gilmar Mendes, além da senadora Lídice da Mata e do presidente da CTD (Comissão de Turismo e Desporto) da Câmara dos Deputados, Jonas Donizete

Fonte/Foto:Jornal de Turismo

terça-feira, 28 de junho de 2011

Barreirinhas se prepara para alta estação



O sol a pino e o calor estão às portas e a cidade de entrada dos Lençóis Maranhenses se prepara para a alta estação. Com as lagoas cheias, de braços abertos para um refrescante banho em pleno deserto de areia, a cidade de Barreirinhas – que possui 55 mil habitantes – vê o burburinho dos turistas se multiplicar nos meses de julho e agosto.

Para oferecer um atrativo a mais para quem a visita, vai acontecer entre os dias 17 e 25 de julho, a tradicional Vaquejada de Barreirinhas. Já em agosto, nos dias 12, 13 e 14, está agendada a terceira edição do Festival Internacional de Blues e Jazz – este ano, os organizadores resolveram levar o evento para a praça pública no terceiro dia, com o objetivo de formar platéia e oportunizar a todos os munícipes e visitantes momentos de boa música. O compositor de jazz do Rio Grande do Sul, Yamadu Costa, possivelmente será uma das atrações da programação que, também, vai contemplar nomes internacionais.

De acordo com a secretária de Turismo de Barreirinhas, Kátia Lima, a alta estação é esperada com ansiedade. “Embora a cidade tenha demanda o ano inteiro, é na alta estação que realmente o movimento fica maior”, comenta a gestora, lembrando que neste ano foi instituído o vaucher para o passeio às dunas.

“Abril foi o mês escolhido para o funcionamento do vaucher. O resultado foi bem interessante: das 30 agências de viagens cadastradas no município, apenas oito trabalharam com o sistema na época e venderam juntas exatos 2.500 vauchers para o parque. Um número muito bom, se considerarmos que o mês era de baixíssima estação”, destacou a secretária.

Infraestrutura Segundo informações de Kátia Lima, as obras de pavimentação de Barreirinhas estão a pleno vapor e têm previsão de término apenas no final do ano. Ela falou ao blog no Encontro de Gestores de Turismo que aconteceu na última semana, em São Luís.

Praça da Alegria convive com uma triste realidade


A praça convive com o lixo, barracas de lanche irregular e veículos estacionados na calçada.

O descaso do poder público e a falta de manutenção tornaram a Praça da Alegria um local com muito lixo e sujeira. Além da ocupação irregular de barracas de lanche, a praça também perde espaço para os veículos que ficam estacionados em cima da calçada. Os visitantes são obrigados a dividir espaço com animais, que também ocupam o local.

Uma das mais tradicionais praças de São Luís está em situação de abandono. Há problemas estruturais que acabam afastando os visitantes e turistas. A maioria dos bancos da praça, por exemplo, está quebrada e os que ainda estão inteiros são ocupados por moradores de rua durante toda a manhã.

A carcaça de um dos bancos da praça é utilizada, hoje, para prender um carrinho de supermercado. Outros assentos, feitos de concreto, estão na mesma situação, com rachaduras e hastes de ferro expostas. Para contornar o problema, as pessoas que trabalham no local improvisaram assentos com pedras. E os visitantes sentam em degraus de escadas e divisórias dos canteiros.

Alguns canteiros estão servindo de depósito de lixo. Há restos de construção civil. As folhas secas das árvores também não são recolhidas no início do dia pela equipe de limpeza e deixam o lugar com uma aparência pior. E nos locais onde não há lixo, o mato alto toma conta dos espaços e já começa a crescer entre as fendas dos paralelepípedos.

As calçadas que cercam a praça também estão em péssimo estado de conservação. Em alguns pontos, os paralelepípedos estão soltos e representam risco para as pessoas. Comerciantes contam que frequentemente idosos e mulheres que utilizam salto alto tropeçam nas pedras e nos buracos.

Ocupação - Boa parte do espaço da Praça da Alegria está sendo ocupada por barracas de lanches. Mas o fato mais preocupante são as consequências que a prática traz. As mesas e cadeiras dos pontos comerciais estão espalhadas por corredores e canteiros da praça e é grande a quantidade de garrafas e latas espalhadas pelo chão.

Os donos das barracas dizem que colocam lixeiras perto das mesas, mas as pessoas não consomem os produtos no local e acabam largando pelo caminho. Para Sandra Regina Farias, estudante, um espaço deveria ser destinado para o comércio do tipo na praça. “As pessoas precisam e estão querendo trabalhar, só que as barracas deveriam estar mais organizadas”, afirmou.

Outro problema relacionado ao consumo de lanches na praça são os cachorros que foram atraídos pelos restos de comida. Até alguns animais visivelmente doentes transitam entre as mesas dos consumidores. As pessoas colocam sobras de refeições nas calçadas para os cachorros.

Mais
Outro agravante na Praça da Alegria diz respeito à utilização de seu espaço como estacionamento. Os veículos ficam estacionados nas calçadas, impedindo o direito de ir e vir dos pedestres. Flanelinhas disciplinam o estacionamento irregular e não há fiscalização de agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT).

Fonte: Jornal O Estado do MA

Parada LGBT é o evento mais atrativo para turistas


A Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), que aconteceu neste domingo, 26, na avenida Paulista, é o evento que mais atrai turistas para a cidade de São Paulo. A informação é de Luiz Sales, diretor de ações estratégicas da SPTuris, empresa responsável pelo turismo e por eventos da capital. Ele ressalta entretanto que é um evento curto: “o maior fluxo de pessoas vêm no sábado e no domingo e isso faz com que o impacto econômico não seja o maior."

Segundo Sales, o Carnaval é o evento em que os visitantes ficam por mais tempo na cidade, mas o mais lucrativo é a Fórmula 1, que ocorre no segundo semestre, quando a atividade econômica já está mais aquecida e cujo visitante tem um poder econômico mais alto.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

''Temos uma agenda importante para o ano do quarto centenário'', diz Ministro do Turismo


Às vésperas de completar 400 anos, São Luís vem recebendo vários investimentos do Governo Federal principalmente no setor turístico. Somente em 2011, foram celebrados convênios da ordem de R$ 23 milhões para a construção de uma grande avenida e também para a reforma do Palacete Gentil Braga, no Centro. Nessa entrevista, o ministro do Turismo, Pedro Novais, fala de novos investimentos em São Luís, que podem chegar a até U$$ 40 milhões e que existem projetos para fomentar a atividade turística em cidades como Tasso Fragoso, Riachão, Carolina e Arari.

O Maranhão ganhou um reforço esse ano com a assinatura de dois convênios, um de R$ 20 milhões, para a construção da Via Expressa, e outro de R$ 2,3 milhões para a reforma do Palacete Gentil Braga. Existem outros convênios ou projetos previstos?

Pedro Novais –
Nada oficial ainda. Nessa reunião que vou ter com os dois secretários do município (de Turismo e do Estado, Liviomar Macatrão e Tadeu Palácio), vamos estudar o que pode ser feito de agora em diante. Temos uma agenda muito importante para o próximo ano, que é o quarto centenário de São Luís. Sempre temos que estar atentos.

O que vai ser feito ainda não está definido...

Pedro Novais –
Ainda não. Não dispomos de recursos agora, porque os recursos federais estão, em grande parte, contingenciados. Precisamos esperar esse descontigenciamento para adotar as providências. Estou visitando todos os estados para sentir e ver as necessidades e a partir daí traçar uma linha de ação. A partir do segundo semestre, como acontece todos os anos. Em todos os anos, os grandes projetos são alavancados a partir de julho. E aqui no Norte- Nordeste, com especialidade, porque chove muito e as obras só começam depois das chuvas.

Qual é o real potencial do turismo do Maranhão hoje e como o Ministério pode ajudar o estado a ser mais forte?

Pedro Novais –
O Brasil tem 65 destinos indutores do turismo. É um programa que se iniciou no Ministério há três anos. Vinte e sete destes destinos são as 27 capitais. São Luís, portanto, é um destino turístico indutor e está nas prioridades do Ministério. Temos também os Lençóis Maranhenses. Em geral, os estados têm dois ou mais destinos indutores. O Maranhão está nesse cenário.

Mas existem outras áreas importantes no estado...

Pedro Novais –
Conhecemos as necessidades de São Luís e dos Lençóis e as prioridades são para esses dois locais. Mas existem outros destinos turísticos importantes no estado como Carolina, Riachão e Tasso Fragoso. Este último tem um acervo arqueológico importante. Estamos estudando essa área. Outro local, de turismo especializado, é Arari, por causa do surf. Esses locais recebem muitos estrangeiros a partir de julho. É outro problema que está nas nossas preocupações. Temos que fazer alguma coisa para melhorar. Precisa de estrada, melhorar as pousadas nos municípios, uma série de coisas. A baixada maranhense é outro local privilegiado pela natureza e que até agora não recebeu devida atenção do Poder Público. Sem falar em Alcântara, que foi, durante muito tempo, um centro indutor de turismo.

O senhor pretende conversar com os prefeitos para programar políticas indutoras de turismo?

Pedro Novais
– Já estamos sendo procurados por esses prefeitos. O de Tasso Fragoso já me procurou. O de Carolina não esteve comigo diretamente, mas esteve no Ministério. Então, estamos tendo contato e ver os projetos viários para cada região.

Dá para falar que hoje, com essa política, o Ministério do Turismo tenta descentralizar as ações do eixo São Luís e Barreirinhas?

Pedro Novais –
Primeiro, o plano do Ministério é consolidar esses dois destinos. O que significa consolidar? No caso de São Luís, tentar ampliar a rede hoteleira. No caso de Barreirinhas, a cidade precisa de investimentos em locomoção dentro do Parque dos Lençóis. Sabemos que falta estrada para Santo Amaro. A gente sabe que falta uma estrada direta para Barreirinhas, Tutóia, Araíoses, Parnaíba, Jericoaquara. Já existe uma parte feita do Piauí e do Ceará. O Maranhão precisa complementar a sua. Grandes operadoras de turismo já lançaram um roteiro que sai de Barreirinhas e vai até Jericoaquara. Precisamos consolidar esse roteiro.

Como?

Pedro Novais –
Melhorando a estrutura, divulgando e criando incentivo para que as pessoas se movimentem para essas áreas.

E São Luís?

Pedro Novais –
Com relação a São Luís, a governadora tem um pleito no Ministério de Turismo da ordem de U$$ 40 milhões, com recurso em parte vindo do estrangeiro em parte vindo do Ministério. Esse convênio já foi aprovado preliminarmente pelo Ministério do Planejamento e está em estudo para aprovação da corporação andina (Corporação Andina de Fomento – CAF – que tem sede na Venezuela e foi constituída em 1968 para apoiar o desenvolvimento de seus países, inclusive o Brasil). Dentro deste aí está os R$ 20 milhões da Via Expressa.

Esses recursos são para quais projetos?

Pedro Novais –
Recuperação de prédios no Centro Histórico, melhoria da infraestrutura no Centro Histórico e etc. É o maior programa que o estado tem. Já adiantamos um pouco celebrando o convênio de R$ 20 milhões.

Agora, qual é a chance que o restante desse convênio saia? Qual é o cenário?

Pedro Novais –
Com certeza vai sair. Estamos trabalhando para isso. Tem uma burocracia muito grande, principalmente quando se trata de recursos externos. Então, o estado está no caminho certo e está fazendo. Até dezembro (de 2010), a situação era uma. Em janeiro, começou outra. Tanto começou outra que conseguimos viabilizar esse convênio. Em seis meses, no máximo, podemos complementar o outro.

Fonte: Jornal O Estado do MA

Fim de semana de muita festança nos arraiais da capital


O fim de semana foi de muita festança nos quatro cantos da capital. No Ceprama, o cantor maranhense César Nascimento adaptou o repertório e fez o público entrar no ritmo das brincadeiras juninas.

No Centro Histórico, a sensualidade dos grupos de cacuriá. Os brincantes do cacuriá de Dona Babá, de São José de Ribamar, mostraram muita empolgação com as coreografias.


No Canto da Cultura, também na Praia Grande, eram os grupos de bumba meu que se apresentavam. O Boi de Barreto, sotaque de matraca, foi a atração que animou o público até o fim da noite.

Já na praça Maria Aragão, a empolgação dos brincantes do Boi Novilho Branco. Os brincantes do boi sotaque de orquestra capricharam na coreografia.

No arraial da Lagoa da Jansen, os grupos de bumba boi de vários sotaques. O Unidos de Santa Fé, sotaque da baixada, se apresentou já durante a madrugada. Os turistas ficaram encantados com a riqueza cultural do Maranhão.

Fonte: Secma

sexta-feira, 24 de junho de 2011

De olho na infraestrutura do porto do Itaqui


O presidente da EMAP, Luiz Carlos Fossati, recebeu esta semana a visita do cônsul geral da República Federal da Alemanha no Nordeste, Thomas Wulfing, e do cônsul honorário em Fortaleza, Dieter Gerdeng. Os dois vieram ao Maranhão para conhecer a infraestrutura do porto público maranhense e as possibilidades de negócios entre a Alemanha e o Brasil.

O prefeito Castelo também recebeu a visita dos cônsules da Alemanha. “Foi uma visita de cortesia. Eles vieram conhecer as belezas e a cultura da nossa cidade”, disse Castelo que aproveitou a ocasião para convidar os dois cônsules para prestigiar o arraial da Maria Aragão.


Em conversa com o prefeito, Thomas Wülfing e Dieter Gerding falaram sobre a impressão que tiveram de São Luís e afirmaram que ficaram contentes com a receptividade da população. “Foi uma experiência muito boa; a cidade é muito bela e seus moradores bastante acolhedores”, destacou.

O consulado da Alemanha no Nordeste abrange os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Ao final, o prefeito João Castelo entregou lembranças aos dois cônsules como gesto de agradecimento pela visita.

Tome nota: "Trade Fair" em São Luís

Vem aí o primeiro mega evento nos segmentos de infra-estrutura turística, gastronomia e diversão do Estado do Maranhão. Trata-se do "Trade Fair - Hotelaria, Turismo, Eventos, Gastronomia, Alimentos & Bebidas", que vai acontecer de 25 a 27 de agosto no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana.

O evento vem para mostrar as tendências do "dia-a-dia" dos seus empreendimentos. Tudo ligado a uma completa infra-estrutura, da reforma a inauguração e aquecimento do mercado.

A Feira, assim como, os eventos paralelos (Fóruns, palestras e workshop), mostrarão tudo dos setores. Já os fornecedores apresentarão diversas novidades, lançamentos em produtos e serviços do Brasil e exterior.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Tadeu rebate acusações e garante que Setur/MA está atuante


Acusações contra o secretário de Turismo do Estado, Tadeu Palácio, têm repercutido continuamente na imprensa local. Denúncias de que o gestor usa dinheiro público para viajar a passeio, de que a pasta está inoperante em ações efetivas, de que o Governo não tem feito nada para a promoção do turismo do Estado... Comentários ácidos que também colocam em xeque a competência do secretário estão sendo uma constante. Até a Assembléia Legislativa do Maranhão levantou questionamentos, na semana passada, quanto à inoperância da Setur/MA diante de problemas que ainda maculam a atividade turística no Maranhão.

Ontem (21/06), em evento que aconteceu no Palácio Henrique de La Roque – o Encontro de Gestores de Turismo do Maranhão – aproveitamos para tirar a limpo essa estória e conversamos com Palácio. O secretário foi enfático em sua defesa e disparou: as denúncias não têm fundamento. E mais: ele já está tomando providências legais para rebater as acusações e levar seus acusadores as barras da justiça.

“As pessoas precisam ter ao menos respeito, dignidade e caráter para falar sobre determinados assuntos publicamente. Quem faz esse tipo de declaração, são pessoas irresponsáveis que tentam denegrir a imagem de quem, ao longo de sua vida, tentou ser alguém correto”, rechaçou o secretário.

Segundo Tadeu Palácio, a pasta que comanda está atuando sim! Porém, dentro de suas “limitações”. Além da burocracia que versa as ações do serviço público – e que imperam a celeridade dos projetos – tem a questão do orçamento, que em todo o País está mais parco para o Turismo. “Qualquer outro secretário que estivesse em meu lugar também passaria o que mesmo que eu. Porém, mesmo assim, buscamos avançar”, declara Tadeu.

terça-feira, 21 de junho de 2011

INFRAERO ESCLARECE

Em nota à imprensa divulgada no final da tarde de hoje, a Infraero – Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária, esclarece informações veiculadas em ptograma de televisão local e nacional sobre suspensão de voos, internacionalização do Aeroporto Marechal Cunha Machado e voo charter. Segue nota na íntegra.

Em relação às informações divulgadas pela TV Mirante e Bom Dia Brasil, não é correta a afirmação de que a Infraero suspendeu voos. Esta não é uma atribuição da empresa.

Também não é correta a afirmação de que o Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado, em São Luís (MA), perdeu o status de internacional. Esta classificação é conferida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e leva em conta uma série de requisitos que um aeroporto deve atender, e o Aeroporto de São Luis continua atendendo a estas exigências.

O que está suspenso temporariamente é o processo de alfandegamento das áreas de embarque e desembarque do Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado. Tal suspensão foi solicitada pela própria Infraero à Receita Federal, em função da interdição do Terminal de Passageiros, ocorrida em 24 de março de 2011, pois naquela ocasião, o Terminal de Passageiros, que passou a operar provisoriamente no antigo saguão de passageiros, não oferecia as condições necessárias para operar simultaneamente voos domésticos e internacionais.

A empresa esclarece ainda que o Aeroporto de São Luís, devido ao baixo movimento de voos internacionais, não está habilitado pela Anac para receber voos internacionais regulares e que possui permissão do citado órgão para receber apenas voos charters vindos do exterior, que são aqueles fretados. O último voo internacional que o aeroporto recebeu foi em dezembro de 2010.

Quanto ao atendimento dos voos procedentes de Milão, ainda não há qualquer definição por parte da Receita Federal. A Infraero aguarda do referido órgão a resposta para a solicitação, em caráter excepcional, do alfandegamento das áreas de embarque e desembarque. Além disso, a empresa ressalta que todas as medidas referentes a essas operações já foram propostas e estão sob análise de uma comissão de alfandegamento, composta por órgãos públicos tais como: Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Vigilância Agropecuária (Vigiagro). Dessa forma, a previsão é de que elas estejam em funcionamento em julho de 2011, quando uma nova inspeção da Receita Federal vai definir a situação do alfandegamento.


Assessoria de Imprensa – Infraero
imprensa@infraero.gov.br
www.twitter.com/canalinfraero

Graves problemas estruturais afetam igrejas históricas de SL


Sem reformas ou restaurações, igrejas e paróquias de São Luís estão com seu estado de conservação comprometido. Rachaduras, paredes sem cobertura, tetos danificados, janelas e portas quebradas e pintura desgastada são alguns dos problemas vistos, por exemplo, na Igreja de Santo Antônio, nas paróquias de São João, Nossa Senhora dos Remédios e na Igreja da Sé. Fiéis, insatisfeitos, pedem por melhorias nos templos sagrados.

Em alguns, reformas não são feitas há 20 anos, como na Igreja de Santo Antônio. Nos últimos anos, foram feitos apenas alguns reparos no local, já desgastado com o tempo. “Não fazem reforma geral desde que o papa João Paulo II visitou São Luís, em 1991. É uma tristeza isso”, afirmou Terezinha de Jesus Santos, frequentadora do templo.

A pintura da igreja está desgastada, o mato cresceu na fachada, nas torres e nas paredes; a cobertura cedeu. A caixa de energia, instalada logo na entrada do templo, está enferrujada e a fiação exposta, impondo perigo a quem passa no local. As janelas do templo e do seminário, um prédio situado ao lado, estão deterioradas.

Na Paróquia de São João, a situação é precária em seu interior. Vários altares, como o de Santa Antônio, São José, Nossa Senhora Auxiliadora e Santa Cecília apresentam rachaduras. A escada e, sobretudo, o teto, que são de madeira, estão desgastados. Em alguns pontos, pedaços caíram.

Por causa disso, na paróquia existe uma urna na qual é pedido aos fiéis uma colaboração para a recuperação do espaço. A solicitação de ajuda é por causa da proximidade do festejo de São João. “O festejo está muito próximo e provavelmente não dará tempo de fazer nada”, lamentou a fiel Angelita Sodré.

A Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, uma das mais frequentadas de São Luís, também apresenta problemas. Os vitrais da fachada estão quebrados. O mato também está presente nas paredes, a pintura desgastada e algumas portas estão deterioradas, apresentando até buracos na madeira.

Na Igreja da Sé, mato e rachaduras também são encontrados na estrutura. Relógios e sino não funcionam mais, pois foram estragados ao longo do tempo. Segundo o padre Ailton César Alves de Sousa, uma reforma estava programada para ser feita no ano passado, mas até agora não aconteceu.

Conforme o arcebispo de São Luís, dom Belisário, cada paróquia é responsável pela conservação de seus templos. Para reformas, a maioria conta com apoio de fiéis, instituições, órgãos, entidades e outros parceiros, que disponibilizam recursos. No caso de o local ser tombado como Patrimônio Histórico, as alterações tem de contar com autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como no caso da Catedral da Sé.

O arcebispo avaliou o estado de conservação das igrejas e paróquias de São Luís. “Algumas foram descaracterizadas, como a de São João Batista e de São Pantaleão. Outras estão em bom estado, mas os reparos têm de ser feitos constantemente. Acho que de 10 em 10 anos seria um bom período para reformas gerais acontecerem”, analisou.

Saiba mais

Igreja da Sé

Situada na Av. Pedro II, Centro. Foi construída pelos jesuítas no ano de 1762 em homenagem a Nossa Senhora da Vitória. É a principal do estado e seu altar-mor foi tombado como patrimônio histórico.

Nossa Senhora dos Remédios

Situada na Praça Gonçalves Dias, Centro. Foi construída em 1719 e permanece sendo a única de São Luís erguida no estilo barroco.

Santo Antônio
Situada na Rua Padre Antonio Vieira, Centro. Foi construída em 1624 por estímulo do Frei Cristóvão de Lisboa. No local, Antônio Vieira dissera o célebre “Sermão dos peixes”.

São João
Situada no cruzamento da Rua da Paz com a Rua São João, Centro. Foi construída em 1665 por estímulo de governador Ruy Vaz Siqueira. Foi erguida no estilo neoclássico e reconstruída em 1934.

Fonte: Jornal O Estado do MA

segunda-feira, 20 de junho de 2011

CONTAS A ACERTAR: Entidades vão ter que dar explicações sobre projetos culturais

A Secretaria Estadual de Cultura acionou a Corregedoria do Estado do Maranhão para cobrar prestação de contas de projetos culturais que receberam investimento do Governo do Estado do Maranhão e não prestaram contas no ano de 2009. Os convênios, todos estabelecidos durante a gestão do PDT, no ano de 2009, referem-se ao “Carnaval da Maranhensidade 2009”, ao “São João 2009” e às festas de Natal e Réveillon. São 42 contratos, que totalizam um investimento de R$ 4,6 milhões.

Foi publicada no Diário Oficial do Estado, edição do dia 6 de junho, a Portaria nº 090, de 30 de maio de 2011, determinando abertura de processo para apurar de quem é a responsabilidade pela não prestação de conta dos recursos investidos pelo Governo do Estado, nos eventos culturais. A maior parte dos convênios foi estabelecida diretamente com municípios, tendo suas áreas culturais se responsabilizado pelo compromisso de prestar contas. Entre as contas inadimplentes destacam-se pelo grande valor dos recursos os contratos.

O primeiro foi firmado com o Coral São João (266/2009), sob administração de Fernando Elias Mouchrek, que teria recebido R$ 700 mil para o projeto “Natal de Jesus: Festa de Alegria e Luz 2009”; o segundo, agenciado com a AGE Consórcio (168/2009), sob tutela de Juarez Alves Lima, que teria recebido R$ 1,1 milhão, para o Carnaval da Maranhensidade; e o contrato acertado com a Conlagos Consórcios (169/2009), sob responsabilidade de José Ronald Boueres Damasceno, que teria recebido R$ 921 mil. Com a providência, a Secretaria Estadual de Cultura pretende tão somente colocar o carro nos trilhos, de modo a normalizar os processos com as prestações de contas. Isso porque, no caso, a não prestação de contas caracteriza irregularidade grave, pelas quais os responsáveis pelos contratos responderão.

Fonte: Coluna Estado Maior

Pedro Novais e Flávio Dino: Santo de casa faz milagre???

O turismo do Brasil está nas mãos do Maranhão. O Ministro do Turismo é o maranhense Pedro Novais e, na semana passada, saiu a nomeação do ex-deputado Flávio Dino (PC do B) para assumir a presidência do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), responsável pela promoção do turismo brasileiro internacionalmente. A pergunta que não quer calar é a seguinte: os dois conterrâneos farão algo pelo Maranhão? A ideia é que sim!

Ao menos Flávio Dino já começou a arregaçar as mangas. Sem muito tempo para comemorações pelo novo cargo – ele que, antes de ingressar na política, já foi Secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil e assessor da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), Dino já começou com o pé direito em sua nova função: ainda dia 17/06, após sair sua nomeação, reuniu-se com a equipe da EMBRATUR para traçar um plano de ação. De acordo com o novo presidente, agora é trabalhar e se esforçar “ao máximo para honrar a confiança da presidente Dilma”.

Os nossos votos é que o esforço valha à pena, que os resultados sejam visíveis e que o turismo do Brasil e do Maranhão venha a ganhar! Em se tratando da promoção do turismo do Estado, que a ajuda venha e chegue rápido. Até porque, durante esses seis meses de pasta de Pedro Novais no MTur, alguns convênios foram assinados – inclusive no início desta semana – mas o dinheiro que é bom, até agora, necas de pitibiriba!

Sabemos que de fato a EMBRATUR não pode arrastar o Maranhão pela coleira, já que existe um planejamento e prioridades na promoção do País internacionalmente, mas acreditamos que tendo um líder maranhense em parceria com o Ministro, o turismo maranhense, carente e com a auto estima abalada possa galgar um lugar de destaque nos cenários nacional e internacional, já que potencial temos!

O que nós, turismólogos, profissionais da hotelaria, comunicólogos que vive o turismo e que ama o Maranhão esperamos é que os nossos representantes no MTur e na Embratur não sejam portadores da máxima “casa de ferreiro, espeto de pau” e que, ao contrário do que o título desse post sugere, eles façam milagre sim.

Amém!

sábado, 18 de junho de 2011

Aeroporto de São Luís recebe autorização especial para operar voos internacionais

Uma comissão de auditores da Receita Federal, Infraero e Técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) estiveram reunidos ontem (17/06) para analisar as condições do Aeroporto Marechal da Cunha Machado, que há três meses foi interditado e com isso, perdeu a condição de Internacional, uma vez que o setor que era destinado à fiscalização alfandegária, foi o que apresentou problemas. Após a reunião os auditores foram embora, e o parecer será emitido daqui a algumas semanas.

Com toda problemática apresentada no Aeroporto de São Luís, o Estado deixou de receber voos de outros países, a exemplo dos voos vindos de Milão/Itália, que ficou de aterrissar em solo ludovicense desde o início do mês de junho e foram adiados para 15 de julho e agora foi adiado novamente para o mês de outubro.

Os motivos do adiamento destes voos foram alegados pelos empresários, que a interdição e incertezas da reinternacionalização do Aeroporto de São Luís não foi trabalhado a divulgação destes voos e, por isso, resolveram adiar para outubro, período de inverno na Europa. Antes destes, chegará ao Maranhão, voos charters vindos de Lisboa/Portugal, trazidos por uma operadora com apoio da Secretaria Estadual de Turismo. Para tanto, o Aeroporto de São Luís, receberá uma condição especial de Internacional somente para estes voos.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Governadora Roseana Sarney lamenta morte de Luciano Moreira


O enterro do deputado federal Luciano Moreira, que morreu na noite dessa quinta-feira (16) em acidente na rodovia BR-402, em Morros , ocorre nesta sexta-feira (17), às 17h, em São Luís. O cortejo segue para o cemitério da Pax União, proximo a beira Rio, no Municpio de Paço do Lumiar. O sepultamento deve acontecer daqui a pouco, às 17h.

No início da tarde, a governadora do Estado do Maranhão, Roseana Sarney, chegou a São Luís após viagem a Brasília e foi direto ao velório do deputado,que acontece no plenário Nagib Haickel, da Assembleia Legislativa.

Em poucas palavras, Roseana Sarney relatou a sua tristeza em perder um amigo. De acordo com a governadora, o Maranhão sentirá falta de Luciano Moreira. “Era um grande parceiro, um grande amigo meu. O Maranhão vai sentir muito a sua falta”, comentou Roseana que cancelou todos os seus compromissos ao saber da morte de Moreira, inclusive a solenidade de inauguração da rodoviária em Imperatriz.

Para o velório, além da governadora, estão previstas as presenças do presidente da Câmara dos Deputados, Marcos Maia; do presidente da Comissão de Tributação e Finanças da Câmara, Cláudio Putim; e do líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves. Eles chegam ao Estado nas próximas horas.

Pesar - O presidente da Assembleia Legislativa (AL), deputado Arnaldo Melo (PMDB), também lamentou a morte do deputado federal Luciano Moreira (PMDB). "O Maranhão perdeu um grande político, um técnico brilhante. Luciano Moreira foi um grande homem, um pai de família exemplar, um profissional que se destacou por onde passou. Perde o Maranhão, perde o povo do Maranhão.

Abalado pela notícia, Arnaldo Melo anunciou que se reunirá com os deputados estaduais para definir o posicionamento da Assembleia Legislativa pelos próximos dias, em razão da "perda irreparável". "Ele sempre foi um homem estudioso e comprometido em fazer o melhor", concluiu Arnaldo Melo.

O deputado federal Luciano Moreira viajava de Barreirinhas na região dos Lençóis, com destino a São Luis, onde participou de um Encontro de Procuradores. Há 40 quilômetros do município de Morros, na BR-402, o motorista tentou desviar de um búfalo na pista, perdeu o controle e o carro capotou diversas vezes. No acidente, o deputado – que estava sem o cionto de segurança – foi arremessado para fora do carro e morreu na hora. As outras três pessoas que estavam no veículo tiveram apenas ferimentos mais leves. Com o deputado viajavam o motorista Kleber Brandão, a secretária Cecília Cidrek e o coordenador do gabinete estadual do parlamentar, Mariano Laranjeira, que muito abalado mal conseguia falar.

Luciano Moreira nasceu no Ceará e tinha 58 anos. Trabalhou 35 anos na vida pública. Foi secretário de Estado nas áreas de Planejamento, Administração, Educação, Ciência e Tecnologia, Assuntos Estratégicos e Previdência dos Estados do Ceará, Maranhão e Roraima.
Nos anos 90, chegou ao Maranhão e iniciou uma grande reforma administrativa no Estado. Implementou o programa "Minha Casa", idealizou o "Shopping do Cidadão", e, em 2009, colocou em prática um amplo programa de valorização do servidor público.

Há dois anos, recebeu o título de cidadão maranhense na Assembleia Legislativa. Em 2010, elegeu-se deputado federal pelo PMDB e foi um dos mais votados do Estado.


Fonte: www.imirante.com.br

Políticos no fundo do poço


Por Chico Viana*

O senador Heráclito Fortes, do Piauí, infelizmente derrotado nas eleições do ano passado, quando alguém se referia que algo estava chegando ao fim do poço, ele redargüia. - É, mas sempre tem mola quando chega lá. E parece que tem mesmo.

E por mais que apronte a classe política, essa que faz a política menor, não confundir com a Arte Política maior de Platão que paradoxalmente, não acreditava na democracia, essa não chega nunca ao fim do poço, por mais que nele esteja e profundo vá.

Para ele, Platão, o ideal seria uma coletividade governada pelos líderes mais sábios, visto que os pensadores eram uma espécie de sócios humanos dos deuses, os únicos a entenderem os difíceis mecanismos da boa regência de tudo. Achava que a Política, com “P”maiúsculo mesmo, a boa condução dos homens em sociedade era uma boa arte que somente bem poucos a dominavam. Grávido de razão estava o filósofo.

Quanto à democracia, ele foi ratificado por Winston Churchill que admitia ser o pior dos regimes, mas reparava, “infelizmente não existe um melhor ainda no mundo”.
E o mundo está provando que a vida imita a arte e, a cada pesquisa de opinião pública, os políticos se tornam menos confiáveis aos olhos do povo.

A última, de uma pesquisa realizada pela GfK, 4ª maior empresa de pesquisa de mercado no Brasil e 4º maior grupo mundial do setor, realizada em 2010 comprova isso. De 16% de descrédito no ano anterior, despencou para 11%.

De vinte profissões e instituições pesquisadas ficou em último lugar e descendo. Só para registrar, as cinco primeiras foram respectivamente bombeiros (98%), carteiros (92%), professores do ensino fundamental e médio (87%), médicos (87%) e exército (84%). Os cinco últimos foram funcionalismo público (56%), policiais (51%), sindicatos (50%), executivos e bancos (47%), e, repetindo, políticos (11%).

No permeio destes extremos, temos as instituições religiosas, em 8º lugar com 70%, instituições de caridade, a seguir, com (68%), os juízes depois com (67%), profissionais de marketing em 11º, com (67%) e diretores de grandes empresas no 12º, com 64%. Jornalistas e advogados mantiveram-se equilibrados, com 76%, (6º) e 57% (13º), pela ordem.

O que se observa, é que algumas instituições ou profissões, procuram melhorar de conceito, mas a classe política “não está nem aí para a opinião pública” e dela se preocupa de quatro em quatro anos, respaldados, não em aprovação espontâneas, mas nos votos cegos, aqueles que vale quanto pesa, comprado no atacado por quem der mais ou tiver mais poder e, neste ponto vêm se dando muito bem, é só olhar a paisagem.

Estivessem preocupados com a opinião pública, os nossos deputados não proporiam esta imoralidade que, inclusive já se encontrou abrigo no Plano de Pronta Ação (PPA) como uma demanda a ser cumprida nos exercícios de 2012/2015, que é a criação de mais 105 municípios, na última contagem parcial, todo dia aparece mais um.

Cada deputado quer o seu município de algibeira devidamente guarnecido com as transferências federais: Fundo de Participação, SUS, Fundeb, Fundef, etc. Enfim, mil e um recursos que são a festa dos prefeitos corruptos. Isso sem falar nas famosas emendas parlamentares.

Não há a menor justificativa para o ato. É imoralidade mesmo.
Um Estado que tem 128 municípios com população entre cinco mil e 20 mil habitantes vai dividir o quê? Desmembrar para que, senão para atender interesses subalternos de seus patrocinadores?

A governadora se orgulha de em seu último governo, em que foi eleita pelo voto popular antes deste, haver criado 81 municípios e, pelo andar da carruagem vai criar os 105 ou mais pretendidos pelos nossos insaciáveis deputados.

Será que nesta divisão esdrúxula, vão entrar, pasmem, sete municípios com população abaixo de cinco mil habitantes, começando por São Roberto: 4.989 habitantes e terminando por São Pedro dos Crentes com 4.020 almas? Os outros são Nova Iorque (4.892), Nova Colinas (4.829), Sucupira do Riachão (4.675), São Raimundo do Doca Bezerra, este já vem com o nome do dono (4.502) e São Félix de Balsas (4,398).
Municípios com uma média de 2.500 a 3.000 votos. Incrível, famílias praticamente só de eleitores.
Estes, municípios, os menores do Maranhão, segunda dados da Transparência Brasil, (http://ma.transparencia.gov.br/municipios?) colhidos nesta semana, foram beneficiados em 2010, na rubrica “Convênios”, nas tabelas “Total de Ações de Benefícios Direto ao Cidadão” e “Total de Outras Ações”, um total geral de R$ 53.381,642,87.

São Roberto foi o mais beneficiado com R$ 8.449.503,68, Sucupira do Riachão foi o 2º com R$ 8.120.433,05 seguindo Nova Colinas com R$ 8.001.293,78; São Raimundo do Doca, com R$ 7.811.877,13, São Pedro dos Crentes R$ 7.766,638,28 e São Félix de Balsas R$ 1.6691.379,52.

Não é nada, não é nada, sem falar em outras transferências extraordinárias e das famosas emendas parlamentares estaduais e federais, cada município foi custou-nos na média, R$ 4.448.470,23 mensais, convenhamos, é dinheiro para qualquer algibeira. Fiquei pasmo, fiz e refiz os números e é isto mesmo.

Não é sem razão que o sonho de todo deputado, e até senador, é ser prefeito.
Incrível!!!

N.A: Nosso reconhecimento ao Dr. Paulo Roberto Barbosa Ramos, 11ª Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso, que sem alardes, sem medo, nem imprensa à tira colo, vai agindo.

__________________________

*Chico Viana é médico, jornalista e vereador de São Luís pelo PSDB

Flávio Dino é o novo presidente da Embratur


O ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB/MA) é mesmo movido a desafios. Foi assim, quando em 2006 decidiu abandonar uma carreira brilhante no judiciário para tentar uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Partido Comunista, no estado mais atrasado da federação.

Não havia se passado dois anos. Flávio surpreende, de novo. Com apenas 3% nas pesquisas, em junho de 2008, candidata-se a prefeito da capital. Consegue ir ao segundo turno e por pouco não é o prefeito de São Luís.

No ano passado, com uma reeleição assegurada para a Câmara dos Deputados, decidiu candidatar-se ao governo do Estado. Tinha como principais oponentes, a atual governadora Roseana Sarney, em seu quarto mandato e o ex-governador e ex-prefeito de São Luís (três mandatos), Jackson Lago. Faltou pouco, muito pouco, menos de 3 mil votos para Flávio chegar ao segundo turno.

Agora, tem pela frente outro desafio. O ex-deputado Flávio Dino (PCdoB/MA), é o novo presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur). A nomeação foi publicada hoje (17) no Diário Oficial da União. Ele assume o cargo em substituição a Mário Augusto Lopes Moysés, cuja exoneração também foi publicada nesta sexta-feira.


Em mensagem postada no Twitter, Dino diz que se dedicará “ao máximo para ajudar nosso país e honrar confiança da presidente Dilma”.


TRADE TURÍSTICO COMEMORA
O trade turístico de São Luís recebeu com satisfação a notícia. Para o secretário estadual de Turismo, "Dino é mais um nome maranhense na composição do turismo do Brasil que vem somar e ajudará a superar as dificuldades que este setor enfrenta", diz o titular da pasta, Tadeu Palácio.

A mesma opinião é compartilhada pelo presidente da Associação Brasileira de Hotéis, seccional Maranhão, Gervásio Ribeiro. "Ter mais um maranhense numa pasta tão importante como a Embratur merece ser comemorado. O momento é de orgulho e satisfação não só para o trade local, mas para todos os maranhenses", comemora.

O presidente do São Luís Convention & Visitors Bureau, Nan Souza, também ficou muito satisfeito ao receber a notícia e espera que "o novo titular da Embratur possa fomentar cada vez mais as ações para o desenvolvimento social e econômico do Brasil por meio da ampliação do fluxo turístico nos destinos nacionais".

SOBRE FLÁVIO DINO
É advogado, ex-magistrado, professor de direito e político brasileiro filiado ao Partido Comunista do Brasil (PC do B). Em 2006, foi eleito deputado federal pelo Maranhão, exercendo seu mandato até 1 de fevereiro de 2011. Foi eleito com mais de 120 mil votos (4,3% do total), sendo o quarto candidato mais votado no pleito. Na Câmara Federal, se destacou como um dos redatores do projeto de Reforma Política. Em 2010, Dino foi eleito um dos parlamentares mais influentes do Brasil pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP). Também foi eleito, por quatro anos consecutivos, um dos melhores parlamentares do país pelo site Congresso em Foco.

É casado e pai de dois filhos. Antes de ingressar na política, exerceu os cargos de secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil e assessor da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) na gestão de Nelson Jobim.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Batalha diária e contínua



Por Damares Barbosa*

Amigos agente de viagens, jornalistas e todos os senhores que são direto ou indiretamente ligados ao turismo.

Quero expressar meu descontentamento de alguns bachareis em turismo e alguns professores que dizem que regulamentar a classe, não vai salvar a lavoura. Eles chegaram até afirmar que o Turismo é tão complexo e tão gigante, que acharam até uma piada, chegaram a acreditar que se todas as todas as atividades que um Turismólogo pode exercer fossem regulamentadas não haveriam outras profissões e, assim, deram boas gargalhadas.

Quero deixar bem claro que os que querem a regulamentação não choromigam. Eles querem seus direitos e isso se chama ser otimista. Acredite: você só se torna o que quer ser – não é simplesmente dizendo amém para alguns que não se orgulham e não têm amor pela profissão. Esses com certeza queremos distância.

Com certeza, esses não devem ter noção do quanto eu e outros que têm mais de 26 anos de turismo e que amam o que fazem, acham importante essa regulamentação. Vocês acham que uma classe unida, seja os agentes de viagens e outras áreas que envolvam o turismo, seja tão difícil de ser reconhecida? Não temos nem um valor por não sermos uma classe e uma categoria reconhecida. Na categoria somos "outros". É disso que vocês têm orgulho, amigos?

A prova está aí, não temos forças para nada, nem para lutar contra as companhias aéreas que vêm da Europa e nos oferecem 1% de comissão para vendê-las e elas economizarem em pessoal e, ainda, passarem suas promoções não inteligentes pela internet, fazendo dos pobres internautas seus escravos de madrugadas, ávidos pelas promoções. Elas têm que dar lucro para a telefonia também, pois os internautas ficam horas a espera e muitas vezes a economia de comprar o bilhete pela internet é não ter direito nem de ser reembolsado. Lembrem-se: a internet e a companhia aérea só ganham, além dos fidelidades e milhas da vida, que eles ganham dos passageiros através das compras nos cartões de crédito – onde o cliente compra até um chiclete para juntar milhas, mal sabendo que estão pagando juros e impostos em tudo que eles compram pelo cartão.

(...) Não me conformo com a ideia de certos turismólogos e professores do turismo dizerem que, realmente, isso não é importante. Vamos lá, desde quando os agentes de viagem com seus representantes Abav, Embratur, Ministério do Turismo ganham alguma coisa, quando protestam? (...) Que adianta termos tanto conhecimento, tentarmos com amor ajudar os
clientes nos piores momentos se, quando algo dá errado na viagem, chegam os bobos da corte e nos colocam de lado?

Ah, gente, tem dó! No jornal nacional de ontem, 15, o agente de viagem é útil para resolver problemas, como o do Aeroporto em Guarulhos, com relação às cinzas do vulcão. " O presidente da Abav/SP, Edmar Bull, recomendou: “O que a gente tem falado ao viajante é para entrar em contato com o seu agente de viagem e fazer uma boa negociação. Os hotéis estão perdendo, a companhia aérea, a agência e o receptivo estão perdendo. É preciso tentar fazer alguma transferência para agosto, setembro, ou mesmo janeiro e fevereiro, o que
sempre dá certo". E ele, Edmar Bull, que falou que "BERRAR" não é a única opção... Porém, na hora do problema, ele envia para nós agente de viagens, deixando claro, conforme Nelly Anidjar da Tournée Viagens e Turismo, que não somos cabras nem bois, somos humanos que pensamos e temos ideias.

É nessas horas que aparece quem é quem na história do Turismo e o quanto temos valor em ser uma categoria regulamentada (...) Somos mais de 4.600 agentes de viagens no Brasil. É pouco? Para que serve a Abav? Só para fazer cursos, é o mínimo que ela pode fazer. Nós pagamos não é? E o Sr. Carlos Alberto Ferreira, o que nos diz?

(...) Vou dar exemplos de duas classes que ninguém acreditava que elas poderiam ser uma categoria regulamentada e muitos até riam, porém através da união e otimismo, conseguiram vencer.

A classe das empregadas domésticas, com a lei nº 11.324 desde 19 de julho de 2006. Também poderia ser complexa, pois existem, além das empregadas domésticas, diaristas, jardineiros, babás e outros. Mas a complexidade não impediu de se unirem e formarem uma classe, com vez e voz: o sindicado é forte e já está na luta outra vez para melhorar ainda mais a legislação que ampara a classe.

A outra é a das prostitutas. O abolicionismo no Brasil adota esse sistema desde 1942, quando entrou em vigor o atual e antiquado Código Penal, em reforma há mais de cinco anos. Já no
Regulamentarismo, como diz a palavra, a profissão é reconhecida e regulamentada. Em dezembro de 2004, entrou no ar a versão on-line de um jornal voltado para prostitutas. Com periodicidade mensal, a publicação trazia reportagens sobre o dia-a-dia das profissionais do sexo e aspectos gerais de saúde, principalmente a preservação de doenças sexualmente transmissíveis e DST/HIV/AIDS. Hoje, o jornal recebe o apoio do Programa Nacional de DST e AIDS do Ministério da Saúde!

Uma organização de prostitutas com sede no Rio de Janeiro, da mesma forma que o tablóide, tem artigos e matérias que tratam de Direitos Humanos, Legislação e outros temas de interesses da categoria. Cerca de 70 entidades da sociedade civil que desenvolvem ações com a prostituição, distribuem o jornal gratuitamente em 17 estados.

(...) O movimento pela regularização da atividade de nossa classe, agente de viagens, começou em 1975, ainda no governo militar. De lá para cá foram muitos os embates, sem sucesso. A profissão esteve prestes a ser regulamentada por volta de 1994, mas o então presidente Fernando Henrique Cardoso vetou o projeto e continuamos com a lei 1830/99, de autoria da ex-deputada Maria Elvira. Daí por diante foram mudando o número das leis e seus novos autores e ela não foi aceito até hoje, porque "o empresariado e o trade, de maneira geral, são
radicalmente contra a regulamentação do exercício profissional turismólogo por engano. Eles acham que serão obrigados a engolir um turismólogo dentro de cada empresa. Não entendem a diferença entre reserva de mercado e regulamentação do exercício da profissão, que é
nossa única luta”.

"Era um projeto de quatro artigos, que não fazia mal a ninguém". Para nós, o que interessava era o artigo 1º, que reconhecia a nomenclatura de turismólogo para os bacharéis”, explica Fernandes Martins. Ele lembrava que no País, há cerca de 140 mil alunos matriculados em 752 cursos superiores de Turismo e Hotelaria – fora os já graduados. “Os alunos saem da faculdade sem saber o que são, para onde vão e onde podem atuar. Ninguém quer garantia de emprego,
queremos garantia de uma identidade profissional, que ela conste do Catálogo Brasileiro de Ocupação (CBO)”.

Agora, em 6 de maio de 2011, com a nova lei 290/01. Segundo o deputado Francisco Souza, o projeto tramita há 11 anos em Brasília e já foi aprovado em todas as comissões técnicas do Senado e da Câmara Federal, faltando apenas entrar na pauta de votação do Congresso e, a partir daí, virar lei". O deputado Francisco Souza afirmou também que as principais lideranças políticas da Região Norte e parte do Nordeste decidiram apoiar o senador Eduardo Braga na mobilização para levar o projeto ao plenário do Congresso. “Como se diz popularmente, a proposta está na boca do gol. Falta, portanto, chutar para consolidar a vitória”, afirmou o parlamentar.

E que os pessimistas e mal amados fiquem bem longe de nossa luta, pois não têm nenhum amor a profissão. Alguns têm como hobby, outros tem por herdar sem luta a empresa de turismo, outros por necessidade e, ainda, se deixam envenenar por aqueles que não têm a mínima dignidade de honrar um trabalho tão maravilhoso que é fazer idosos felizes, aproveitando a melhor idade; os casais viajarem em sua lua de mel e fazerem sua renovação de votos através das Bodas, com uma viagem inesquecível; facilitando a vida dos passageiros que viajam para lugares longínquo, avisá-los das mudanças de horários de vôos, marcar o
assento que desejam e pedir um cuidado especial para aquele viajante diretamente à companhia aérea; facilitar a vida e a jornada dos congressistas. É, assim, com muito amor, que deve ser o agente de viagem e futuro turismólogo que, em breve, será reconhecido. Sejamos
otimistas!!

Para nós turismólogos e agentes de viagem, estudar o Turismo é uma necessidade. Entendê-lo, um desafio. E, sermos reconhecidos como uma classe trabalhista, uma batalha diária e contínua.


Até breve, amigos.

____________________________
*Damares Barbosa é diretora/sócia administrativa da Assessoria Turística Évora

Aeroporto de São Luís pode ser reinternacionalizado nesta sexta (17)


O aeroporto Marechal Cunha Machado pode voltar a operar com voos internacionais. Tudo vai depender de uma vistoria que a Receita Federal fará nesta sexta-feira (17) no Aeroporto da capital.

O objetivo, segundo a Infraero, é o alfandegamento provisório para as áreas de embarque e desembarque adaptadas para atendimento das operações de passageiros, enquanto acontecem as obras no Terminal interditado. Se a solicitação da Infraero for atendida, o Aeroporto de São Luís poderá recuperar seu status de internacional.

O aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís, perdeu a condição de terminal internacional de passageiros após ser parcialmente interditado para reformas em 24 de março deste ano. Com a interdição parcial, o terminal foi realocado para uma área de estacionamento. A área de check-in remanejada para a antiga sede administrativa da Infraero.

Obras
A Infraero garante que as obras de adequação das instalações provisórias continuam a todo vapor. No momento, estão sendo ampliadas as áreas climatizadas, onde serão instalados no check-in mais cinco split's, além do desembarque, que receberá um forro térmico para viabilizar a instalação de 10 split's. No desembarque e check-in, haverá a ampliação de sanitários tipo PCD para pessoas com deficiência, além da substituição do elevador também para PDC, que liga a área de check-in ao piso superior onde ficarão instalados a maioria dos órgãos públicos.

Mais
Desde 2003, o aeroporto de São Luís é homologado como internacional e no ano passado recebeu voos charters da Europa. O último, em dezembro, trouxe 230 turistas europeus que visitaram a capital, Barreirinhas e Alcântara.

ENAMTUR a todo vapor

O ENAMTUR (Encontro dos Amigos do Turismo) já está a todo vapor para a sua segunda edição deste ano, desta vez com destino ao resort IberoStar Premium Praia do Forte, na Bahia, de 7 a 11 de setembro. O pacote, com preço especialíssimo, sai por R$ 2.700,00, incluindo aéreo, resort e transfer. Detalhe o resort opera no sistema “all inclusive”, lá bebidas e comidas a vontade.

O ENAMTUR é uma viagem, onde a finalidade é estreitar relacionamentos a valores baixos. Os clientes são advogados, promotores de justiça, médicos, diretores de faculdades, imprensa, agentes de viagens, entre outros.

NOTAS RÁPIDAS

Encontro empresarial
É hoje, às 19h, no Rio Poty Hotel, a abertura do 1º Encontro Empresarial do Maranhão, cujo ponto alto será a palestra magna com Roberto Shinyashiki, que ministrará o tema “Liderança em tempo de Mudança”. Autor de best-sellers como “Sem Medo de Vencer”, “A Revolução dos Campeões” e “O Sucesso É Ser Feliz”, com mais de 6 milhões de exemplares vendidos; Shinyashiki é um dos nomes mais requisitados no meio empresarial para dar palestras.

Arte e literatura
Com uma exposição de quadros, com o tema “Fantasia junina”, o pintor, cronista e poeta Bento Moreira Lima, lança hoje, às 19h30, no Hotel Luzeiros, o livro “Coisas do Destino”. A mostra permanece em cartaz no local até dia 30 próximo.

Plástico
As sacolinhas plásticas já não andam fazendo sucesso no mercado. Mas outro tipo de plástico continua a escalada rumo ao primeiro bilhão: o cartão. Em abril, havia 643,55 milhões de cartões em circulação no país, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). No primeiro trimestre de 2011 houve um crescimento de 11% na comparação com o primeiro trimestre de 2010.

Salão de Artes Plásticas
Quem ainda não foi não deve deixar de dar uma conferida na 2ª edição do Salão de Artes Plásticas de São Luís. A exposição permanece aberta à visitação pública na Oficina Escola, na Praia Grande, de segunda à sexta, das 9h às 13h e das 15h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 18h. Este ano, o acervo da mostra reúne cerca de 60 obras, contemplando 27 artistas. Além do prêmio da mostra competitiva, o júri também escolherá o melhor trabalho do Salão que receberá um prêmio no valor bruto de R$ 5.000,00.

Vale reúne arte com reciclagem
Quadros, bonecos e outros objetos de artes, produzidos por pacientes do Centro de Assistência Psíquico Social (CAPS), estão expostos na galeria do Parque Botânico Vale. É a mostra "Arte: Inclusão de Valores", cujo objetivo é contribuir para a inclusão social, além de transmitir aos visitantes as várias formas de reciclagem de materiais descartáveis .

Festa junina tem prevenção contra Aids


De vento em popa a campanha de Prevenção DSTs/Aids neste São João, sob o comando da Secretaria Municipal de Turismo. Na Praça Maria Aragão, arraial oficial da Prefeitura de São Luís, prossegue a distribuição de material informativo e de preservativos.

No comunidade do Lira, hoje, a campanha será regada a um big café da manhã junino, como parte da Campanha de Prevenção das DSTs/Aids no São João.

Durante todo o mês haverá distribuição de material informativo e de preservativos no Arraial da Praça Maria Aragão (das 20h às 22h), nas unidades de saúde do município - Centros de Saúde, Unidades Básicas de Saúde (ISF), Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e SAE (Serviço de Assistência Especializada) – nas ONGs Solevida, Lema, Aprosma, Atrama, Gayvota, Inecma, Thebas, RNP+ e Rede Nacional de Religião Afro Brasileira e Saúde.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

"SÃO LUÍS, 400 ANOS, COMEMORAR O QUÊ?": Passeata nesta quinta vai cobrar melhorias na cidade

Nesta quinta-feira, 16 de junho, turismólogos, acadêmicos, ativistas e grupos de artistas promovem a passeata "SÃO LUÍS, 400 ANOS, COMEMORAR O QUÊ?" em direção ao Palácio do governo estadual e municipal, exigindo melhorias para a cidade que está prestes a completar 400 anos.

Na pauta das reivindicações, a revitalização do Centro Histórico de São Luís; a despoluição da Lagoa da Jansen; a revitalização do aterro do Bacanga, implantando naquele lugar um complexo esportivo Cultural, e ainda a revitalização das principais Praças Esportivas - Castelão e Costa Rodrigues; Construção de uma rede de tratamento de esgoto, vsito que todas as praias da capital estão poluídas, bem como o lençol freático e quase todos os rios que nascem na Ilha; a implantação de reciclagem e coleta seletiva de lixo.

Será exigido também uma Segurança Pública eficiente, visto que São Luís tem (1) um policial para (800) oitocentos habitantes, a média Nacional é de (1) um policial para (400) quatrocentos habitantes e a recomendação internacional é de (1) um policial para 250(duzentos e cinquenta) habitantes; a revitalização do Memorial Bandeira Tribuzi e do Forte de São Luís – a obra está parada desde 2004 e ainda a revitalização da malha viária – completamente esburacada. As entidades vão cobrar também melhorias na Saúde Pública e no Transporte Público.

"A presença de todos é muito importante, pois retratará o sentimento frustrado da sociedade Ludovicense diante de tanto descaso com a Ilha do Amor", convida o turismólogo Fábio Henrique, uma dos organizadores da passeata.

A concentração ocorre a partir das 15h, na Praça João Lisboa. Mais informações: falar com Fábio Henrique pelos telefones (98) 8812-9193 ou 8143-4593.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Por que não começar do zero?

O turismo do Maranhão, ou melhor, a inoperância e inércia do Governo do Estado em proporcionar infraestrutura aos pólos turísticos importantes, como Barreirinhas e Alcântara, foi destaque de hoje na Assembléia Legislativa.

Se a palavra tivesse vindo da oposição, normal. Mas a questão foi levantada pelo próprio líder do governo, deputado Manoel Ribeiro (PTB) que, num rompante de lucidez, percebeu (somente hoje!) o que está escancarado e às vistas de todo e qualquer cidadão maranhense ou turista: a falta de investimentos governamentais no turismo do Maranhão.

Não é por menos que, segundo o Turismólogo Fábio Henrique Farias Carvalho, em participação na Rádio Capital AM na última semana, comentou que todas as faculdades particulares de São Luís fecharam seus cursos de Turismo. Quem quiser agora se formar na área, só mesmo na Universidade Federal do Maranhão (Ufma). O motivo? Justamente o que o nobre parlamentar Manoel Ribeiro testemunhou na tribuna hoje: falta total de investimento no setor.

O deputado Manoel Ribeiro ganhou aliados e os discursos ficaram mais acalorados na manhã desta terça-feira na “casa do poder”. Teve parlamentar que até gritou do lado de lá e disparou: “Que se esqueça tudo o que foi feito e que o turismo no Maranhão volte à estaca zero!”. Outro ressaltou o descaso com a porta de entrada dos Lençóis Maranhenses: “Existem várias palavras em português que eu poderia dizer aqui para o que está acontecendo com Barreirinhas: vergonha, inércia, incúria, incompetência …”.

O engraçado é que os comentários, em sua maioria, partiram da bancada governista. Tiro no pé? Fogo amigo? Não sei. O fato é que ontem mesmo, a governadora disse em alto e bom som no Ministério do Turismo, quando assinava convênios com o ministro Pedro Novaes para revitalização do Palacete Gentil Braga e investimentos locais do Programa Nacional de Desenvolvimento do turismo (Prodetur): “O turismo é uma das prioridades do nosso governo, pois é um setor consolidado no Estado, que gera trabalho e renda, e é importante que busquemos mais investimentos para incrementar a atividade”.

Consolidado, governadora? Incrementar? O que se sabe é que se incrementa e se melhora o que já existe. E no caso do Turismo do Maranhão.... Talvez o melhor seja mesmo seguir a sugestão do deputado Antônio Pereira (DEM): “esquecer tudo e se partir do zero”.

Uma sugestão é, de repente, o governo descer do salto e ouvir quem faz turismo no Estado, quem trabalha diretamente na área e lida continuamente com as deficiências e dificuldades do setor. Não se consegue fazer nada, muito menos empreender, porque o Estado é totalmente ausente e incapaz.

Já foram fechados os cursos de turismo das faculdades, muitos empregos foram e estão sendo perdidos por falta de turistas em nossas cidades e os poucos que se aventuram a vir para cá, vem atraídos pelo turismo de eventos, isto é, os poucos minguados eventos que alguns abnegados do trade local, tem conseguido captar, fazendo das tripas coração, prometendo mundos e fundos para atrair eventos para o Maranhão e, ao final, muitos destes turistas saem falando mal da falta dos principais destinos maranhenses e sua falta de infraestrutura.

Quando se trata de promoção do destino Maranhão, a coisa é muito mais séria. Não se vê divulgação do Estado em mídias nacionais, ou melhor, o governo até faz esporadicamente, esquecendo que um destino precisa ser colocado nas prateleiras do mercado diuturnamente.

Outra deficiência do governo em relação ao turismo é a maneira como trata quem trabalha com a divulgação das belezas do Estado. A falta de acessibilidade a algumas secretarias e, em especial, a Secretaria de Comunicação (SECOM) é quase impossivel para pessoas comuns ou que não reze na cartilha do governo.

Já se passaram mais de dois anos do retorno da governadora Roseana ao comando do Maranhão e até hoje tentamos uma parceria com a SECOM, mas sem êxito. Até mesmo uma entrevista para ouvir a governadora, sobre seus projetos e ideias para o turismo do Estado, falar do Plano Maior, que foi contratado a peso de ouro, com validade 2010 a 2020, e até agora não foi implementado.

O Jornal Cazumbá, como único Jornal especializado em turismo do Estado, com 10 anos de atuação,retratando as belezas, costumes e bem receber do maranhense e, sempre que pode estar presente nas principais feiras e eventos de Turismo do Brasil, levando a mensagem de que o Maranhão é um Estado sem igual, com atrativos únicos e de uma gente que recebe como ninguém. Mas, mesmo assim não é reconhecido pelo governo.

Assim é difícil, fazer promoção e trazer turistas para este Estado. Talvez com o brado dado da tribuna da Assembléia Legislativa do Estado, por parlamentares que dá sustentação ao próprio governo, ainda dê tempo para um bom (re)começo. Vale à pena, ao menos, tentar!

Descaso com o Patrimônio Histórico de São Luís indigna turista


Um bom destino turístico torna-se inesquecível por suas belezas naturais, seus atrativos históricos e culturais. Em São Luís, o turismo tem crescido. Não em proporções desejadas, mas tem crescido e com essa demanda alguns serviços foram melhorados e outros nem tanto. Tudo isso, para que ao chegar a São Luís o turista se sinta a vontade e desfrute das belezas desta cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.

Bem, esse seria o ideal. Todavia, ao longo do dia podem surgir situações constrangedoras, já que a falta de infraestrutura básica é um dos principais problemas da cidade. Problemas com a falta de manutenção e o descaso com os equipamentos turísticos da cidade são observados todos os dias pelos turistas que nos visitam.

Caso desse turista de São Paulo, que hospedado em um hotel da capital, ficou indignado com a situação da cidade e fez o seguinte comentário no Questionário de Avaliação do referido hotel. Veja:


TRANSCRIÇÃO
“Prezados gestores públicos é uma vergonha o que vocês estão fazendo com o Patrimônio Histórico da Humanidade. A decadência é latente, é triste. Ambientes degradados estão transformando um monumento em lixo”.

Esse é só um dos muitos turistas que ficam perplexos com a situação lamentável de São Luís, que é Patrimônio Histórico da Humanidade. O processo de depredação e destruição a que vem passando a capital maranhense é uma situação bastante antiga. Faltam políticas públicas municipais eficazes para preservar esse conjunto, que é repleto de recordações históricas, mas, ao mesmo tempo, abandonado, desprotegido, e a mercê de um processo de depredação lento e contínuo.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Já pensou a cena....?

Estava eu assistindo TV numa tarde de Domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada o que fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando minha mulher deitou-se do meu lado e ficou brincando com minhas 'partes'.
Após alguns minutos ela veio com a 'brilhante' idéia:

- Por que não depilamos seus ovinhos, assim eu poderia fazer 'outras coisas' com eles.

Aquela frase foi igual um sino na minha cabeça.

Por alguns segundos fiquei imaginando o que seriam 'outras coisas'.

- Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu, imaginando as 'outras coisas', não tive mais como negar. Concordei.

Ela me pediu que ficasse pelado enquanto buscaria os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei olhando para TV, porém minha mente estava vagando pelas novas sensações que só despertei quando ouvi o beep do microondas.

Ela voltou ao quarto com um pote de cêra, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei meio estranho aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de 'dona da situação' que deixaria qualquer médico urologista sentindo-se como residente.
Fiquei tranqüilo e autorizei o restante do processo.

Pediu para que eu ficasse numa posição de quase frango-assado e liberasse o acesso à zona do agrião.

Pegou meus ovinhos como quem pega duas bolinhas de porcelana e começou a passar cêra morna. Achei aquela sensação maravilhosa!

O Sr. Pinto já estava todo 'pimpão' como quem diz: 'sou o próximo da fila'!

Pelo início, fiquei imaginando quais seriam as 'outras coisas' que viriam.

Após estarem completamente besuntados de cêra, ela embrulhou ambos no plástico com tanto cuidado que eu achei que iria levá-los para viagem.

Fiquei imaginando onde ela teria aprendido essa técnica de prazer: na Thailândia, na China ou pela Internet mesmo?

Porém, alguns segundos depois ela esticou o saquinho para um lado e deu um puxão repentino.. Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro PUUUUTA QUEEEE ME PARIUUUUUUU quase falado letra por letra..

Olhei para o plástico para ver se o couro do meu saco não tinha ficado grudado.

Ela disse que ainda restavam alguns pelinhos, e que precisava passar de novo.

Respondi prontamente: - Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!!
Segurei o Dr. Esquerdo e o Dr. Direito com as duas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazônica em extinção, e fui para o banheiro.

Sentia o coração bater nos ovos.

Abri o chuveiro e foi a primeira vez que eu molhei o saco antes de molhar a cabeça.

Passei alguns minutos só deixando a água gelada escorrer pelo meu corpo.

Saí do banho, mas nesses momentos de dor qualquer homem vira um bebezinho novo: faz merda atrás de merda. Peguei meu gel pós-barba com camomila 'que acalma a pele', enchi as mãos e passei nos ovos.

Foi como se estivesse passado molho de pimenta. Sentei no bidê na posição de 'lava xereca' e deixei o chuveirinho acalmar os Drs.

Peguei a toalha de rosto e fiquei abanando os ovos como quem abana um boxeador no 10°round.

Olhei para meu pinto. Ele, coitado, tão alegrinho minutos atrás, estava tão pequeno que mais parecia irmão gêmeo de meu umbigo.

Nesse momento minha mulher bate à porta do banheiro e pergunta se estava passando bem.

Aquela voz antes tão aveludada e sedutora ficou igual uma gralha.

Saí do banheiro e voltei para o quarto. Ela estava argumentado que os pentelhos tinham saído pelas raízes, que demorariam voltar a nascer.

'Pela espessura da pele do meu saco, aqui não nasce nem penugem, meus ovos vão ficar que nem os das codornas', respondi.

Ela pediu para olhar como estavam. Eu falei para olhar a meio metro de distância e sem tocar em nada e se ficar rindo vai entrar na PORRADA!!

Vesti a camiseta e fui dormir (somente de camiseta).

Naquele momento sexo para mim, nem para perpetuar a espécie humana.

No outro dia pela manhã fui me arrumar para ir trabalhar. Os ovos estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros.

Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca antes visitados.

Tentei colocar a cueca, mas nada feito. Procurei alguma cueca de veludo e nada.

Vesti a calça mais folgada que achei no armário e fui trabalhar sem cueca mesmo.

Entrei na minha seção andando igual um cowboy cagado.

Falei bom dia para todos, mas sem olhar nos olhos. E passei o dia inteiro trabalhando em pé com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície.

Resultado, certas coisas devem ser feitas somente pelas mulheres.

Não adianta tentar misturar os universos masculino e feminino.

Ainda dói.


Depilação:Luiz Fernando Veríssimo

Pedintes na orla urbana



Estive na última semana na cidade de Maceió, capital do Estado de Alagoas. Belas praias, ceuzão azul, quase sem nuvens, coqueirais deslumbrantes que formam, junto com o lindo tom de verde do mar, uma paisagem paradisíaca. O povo, hospitaleiro e alegre como todo nordestino.

No entanto, um fator atrai o olhar de quem visita o lugar: o número de pedintes na orla. O caso é sério e deve ser levado em consideração pelos governantes, haja vista que Maceió recebe muitos turistas, é sede de grandes eventos e, em 2014, durante a Copa do Mundo, está no corredor das cidades que serão sede dos jogos na Região Nordeste – Salvador (BA), Recife (PE), Natal (RN) e Fortaleza (CE). Ou seja: pela beleza natural, certamente a capital alagoana será destino de muita gente, ávida por conhecer esse Brasilzão de nosso Deus!

O número de pedintes, que se concentram na orla urbana onde os grandes ou aconchegantes hotéis estão instalados, é mesmo considerável em Maceió. E não respeitam horário: seja de manhãzinha, quando a gente se aventura por uma caminhada na praia ou num passeio noturno pelo calçadão, lá estão eles. “Me dê uma ajudinha aí!” Se fosse só pedir, tudo bem. Alguns vêm um olhar ameaçador e jeito de maloqueiro que parece dizer: “Se não me der nada, vou te roubar!”

Quem tem estabelecimentos no calçadão, como barracas e boxes, também precisa tomar certos cuidados. Ter grades nos vãos e fechaduras fortes são de menos. Até lâmpadas precisam ser desenroscadas e guardadas após o “expediente”, porque durante a madrugada, os vândalos de plantão quebram ou as levam no bolso.

Agora imagine essa onda de “me dê uma ajudinha aí!” durante um grande movimento de turistas na capital de Alagoas? É uma pedra no sapato di turismo. Sem falar na falta de segurança nas ruas. Guardas municipais ou mesmo a Polícia Militar não foi vista em nenhum momento na orla durante minha permanência de quatro dias por lá.
E o pessoal aqui do Maranhão ainda reclama das nossas deficiências – como, aliás, deve reclamar todo povo que se sente ultrajado com o que vê. Mas tem lugar que é muito pior – se a teoria da compensação servir de consolo para esses casos...

Composição maranhense pode embalar a Beija-Flor


O desfile da Beija-Flor de Nilópolis no Carnaval 2012 pode ganhar os tons da batucada maranhense. É que a agremiação, cujo enredo será “São Luís - O poema encantado do Maranhão”, vai realizar na Ilha uma eliminatória do concurso para escolha do seu samba. As inscrições já estão abertas na Secretaria de Estado da Cultura (Secma). A disputa musical está prevista para acontecer na segunda quinzena de agosto.

A etapa a ser realiza na Ilha de São Luís corresponderá a uma semifinal do concurso, da qual sairão três compositores classificados para a disputa da final no Rio de Janeiro. Membros da Comissão de Carnaval da escola virão ao Maranhão para participar do julgamento dos sambas concorrentes.

“Com essa decisão, a Beija-Flor comprova seu encantamento pelo que encontrou no nosso estado. A escola não só está pedindo emprestada a nossa riqueza para levar à Sapucaí como está abrindo espaço para que um de nossos compositores, que não são poucos, possa chegar a cantar essa riqueza no Carnaval carioca”, declarou o secretário de Cultura Luís Henrique Bulcão.

Os compositores interessados devem se dirigir à Superintendência de Ação e Difusão Cultural (Sadc) da Secma. A sinopse (briefing) do enredo está disponível no site da escola (www.beija-flor.com.br) e no portal do Governo do Estado (www.ma.gov. br) nas versões texto e vídeo.

A proposta de realização de uma semifinal no Maranhão foi sugerida pelo secretário Luís Bulcão e pelo superintendente de Ação e Difusão Cultural da Secma, Wellington Reis, durante a apresentação do enredo, no início do mês, na quadra da escola. A aceitação da diretoria da agremiação foi confirmada na semana passada.

“O estado tem bons compositores e estamos confiantes nos nossos talentos. Será também uma boa oportunidade para mostrar a musicalidade do Maranhão, berço de expoentes da música brasileira, como João do Vale e Catulo da Paixão Cearense, num evento de abrangência mundial, que é o desfile das escolas no Rio de Janeiro”, destacou Wellington Reis.

Na noite da apresentação do enredo, dia 1º deste mês, o presidente da Beija-Flor, Nelson Alexandre Senas, o Elsinho David, demonstrou o interesse de ter a presença de maranhenses no concurso. “Todos podem participar. Os compositores terão um mês e meio para apresentar o samba enredo à escola. As eliminatórias começam em agosto e a final deve ser no dia 11 de outubro”, detalhou Elsinho David.

São Luís é tema da escola de Nilópolis
O enredo da Beija-Flor, “São Luís - O poema encantado do Maranhão”, é uma homenagem aos 400 anos de São Luís, a serem celebrados em 2012. Na avenida, a escola homenageará a capital maranhense, enfocando desde os primórdios da fundação francesa (em 1612), passando pelo título de Athenas Brasileira (pela efervescência da produção literária) até chegar à denominação de Jamaica Brasileira (garantida pela influência do reggae na cidade).

Para a construção da sinopse do enredo, uma equipe da escola, encabeçada pelo diretor de Carnaval, Luís Fernando do Carmo, o Laíla, e pelo carnavalesco Fran-Sérgio, esteve na capital maranhense para realizar pesquisa. Durante o trabalho, eles fizeram visitas a espaços culturais e conheceram um pouco mais sobre a religião, culinária, artesanato e misticismo que rondam as histórias da cidade.

Uma comissão de personalidades foi formada para dar subsídio à pesquisa e apresentar aspectos diferenciais da cultura maranhense. Entre os participantes, o pesquisador Sebastião Duarte; o teatrólogo Aldo Leite; os carnavalescos Miguel Veiga e Chico Coimbra; o produtor cultural José Pereira Godão; os cantores Roberto Brandão, Sergio Habibe, Mano Borges, Betto Pereira; e o coordenador do Grupo Gdam, Cláudio Adão.

A agremiação
A escola Beija-Flor, que defende as cores azul e branco na avenida, foi fundada em 25 de dezembro de 1948, durante as comemorações do Natal. Na data, um grupo formado por Milton de Oliveira (Negão da Cuíca), Edson Vieira Rodrigues (Edinho do Ferro Velho), Helles Ferreira da Silva, Mário Silva, Walter da Silva, Hamilton Floriano e José Fernandes da Silva decidiu criar um bloco carnavalesco.

Fonte: Jornal O Estado do MA

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O descaso com o SÍTIO SANTA EULÁLIA


O Sítio Santa Eulália, situado na Avenida Carlos Cunha, uma área com milhares de metros quadrados, está completamente abandonado pelo poder público, invadido e degradado.

Seu espaço serve perfeitamente para abrigar um ZOOLÓGICO e um PARQUE BOTÂNICO, onde ambos poderiam ser administrados por uma fundação como acontece, por exemplo, em Ribeirão Preto, Brasília e Porto Alegre.

Não se pode admitir que todos os nossos Sítios Ecológicos fiquem relegado ao abandono como o Rangedor, Itapiracó e o próprio Sítio Santa Eulália.

Seria uma opção de lazer, entretenimento para a família e também, uma fonte de emprego, renda e visibilidade para a Cidade que poderia ter um Parque Zoológico de referência.

O próprio Sitio, já tem uma mata exuberante, Igarapés, varias nascentes de riachos e um manguezal belíssimo.

Por ser área de tombamento Estadual, possui nele toda infraestrutura de arruamento e demarcação, pronto para ser utilizado para algum fim e isso tudo sem contar que tem uma localização privilegiadíssima!

Seria muito bom para toda a cidade. Bastava o Governo Estadual e Municipal se mobilizarem, mas enquanto eles ficam brincando de Governar, todas as capitais do Nordeste vão se estruturando e buscando atrativos e alternativas para o Turismo e para a Própria população. Tudo isso pensando nos dois maiores eventos do planeta que acontecerá no Brasil: COPA DO MUNDO 2014 E OLIMPIADAS 2016.

Enquanto isso, continuamos na mesma inércia de sempre sem ao menos conseguirmos tapar os buracos de maneira digna.

ACORDA MARANHÃO!!!!

Fonte: reproduzido do Blog Patuscadas & Pantomimas, de Fábio Henrique Farias Carvalho.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

3ª idade: os novos consumidores do Turismo


Está ocorrendo no Brasil, uma transformação demográfica que vem conduzindo a um gradual envelhecimento da população, causada, pela diminuição do número de filhos, pelo avanço da medicina e pela prevenção no controle de doenças. Esses idosos estão redescobrindo seus valores, libertando seus desejos e realizando-os, em virtude das experiências acumuladas durante suas vidas. Com a saída dos filhos sentem-se livres das obrigações domésticas e financeiras, buscando um novo relacionamento social.

São pessoas com muito tempo para vivenciar as localidades visitadas e acabam se interagindo com o núcleo receptor, mantendo uma boa relação social. Além disso, há o interesse em sair de seus pequenos mundos e conhecer lugares novos, portanto, representam um mercado importante para o Turismo.

Evidentemente, não são todos que podem usufruir desses "benefícios" do tempo livre, principalmente em nosso país, onde a renda dessa faixa etária é na maioria das vezes restrita a uma aposentadoria irrisória; contudo existem àqueles que podem ser novamente inclusos nas relações sociais de produção, já que dispõem de rendimentos para isso.

Devido a essa baixa renda, já existe no Brasil leis que favorecem a 3ª idade, bem como descontos especiais em viagens, faltando apenas, uma divulgação mais adequada em todo o país.


À medida que as populações amadurecem e que os governos, educadores e a iniciativa privada continuarem a promover o Turismo como um direito, as pessoas viajarão como nunca.

A "Indústria" do Turismo está respondendo com vários planos de viagens para atender toda e qualquer situação, procurando sempre criar "mercadorias" individualizadas satisfazendo os anseios de cada consumidor.

O público da 3ª idade busca o contato com novas pessoas, novas culturas e novas atividades; isso demonstra uma inter-relação entre o turismo para a 3ª idade e os demais tipos de Turismo, ou seja, o de eventos, o cultural, o religioso, o rural, etc.

Além disso, o turismo acaba sendo um instrumento importante para fazer com que as pessoas continuem a ser "interessantes" para o sistema capitalista mesmo depois de encerrada a exploração da força de trabalho, pois permanecem, produtivas para a economia. Os idosos costumam viajar em épocas de baixa temporada, onde os movimentos são menores, favorecendo assim, a economia do local; costumam usufruir do lazer e levarem consigo souvenires para toda a família. Estes são alguns exemplos de como os idosos podem contribuir para o sistema capitalista; e, mais importante que isso, o seu tempo livre é um grande atrativo para o sistema, que através do Turismo o transforma em lucros.

Os idosos carregam consigo muita energia e alegria, tornando-se necessário ocupá-los, oferecendo-lhes momentos agradáveis em companhia de amigos. Daí entra o Turismo, que é capaz de revigorar as energias e até mesmo, curar muitos males, contribuindo para uma longevidade saudável.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Terminal Turístico de Raposa nunca foi concluído


Tem coisas que só acontece mesmo no Maranhão. O Ministério do Turismo disponibilizou através de convênio com o município de Raposa, aproximadamente R$ 340.000,00 (trezentos e quarenta mil reais) para a construção de um terminal turístico. A obra foi iniciada, porém encontra-se inacabada.

Segundo informações de moradores da praia do Garrancho, ponto final de ônibus do município, onde a obra está localizada, a construtora não consegue concluir a obra porque a Caixa Econômica Federal não liberou a última parcela da verba, por problemas com a medição da obra.

Ainda de acordo com informações de pessoas próximas ao Terminal, funcionários abandonaram a obra por falta de pagamento, e segundo informações que necessitam ser investigadas na CEF, uma outra construtora jogou areia no negócio. Já se passaram mais de três anos e até hoje nada foi concluído. Quem perde com isso são os turistas, visitantes e a comunidade que poderia usufruir mais um espaço de lazer.
A comunidade quer saber por que a obra não foi concluída. De quem é a responsabilidade? Por que ninguém foi responsabilizado? Com a palavra a administração municipal e o Ministério Público.

Enquanto isso, os jumentos continuam a tomar conta do patrimônio público da Raposa. É só conferir a imagem abaixo.